Prefeitura deve investir R$ 15 milhões no combate à covid-19, o que inclui, se necessário, abrir hospital de campanha no Parque do intelecto

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Pelo decreto de situação de calamidade em saúde pública, assinado pelo prefeito Ronaldo Magalhães (PTB), nessa terça-feira, a Prefeitura de Itabira se habilita a receber recursos federais para o enfrentar a pandemia do novo coronavírus (covid-19).

Com o decreto, a administração municipal fica também dispensada, dado o caráter emergencial, de fazer concorrência pública para compras e contratações de serviços, tendo como justificativa o mesmo objetivo de enfrentamento.

O vereador André Viana (Patriotas) diz que pretende fiscalizar a aplicação desses recursos, o que é obrigação do legislativo. Ele quer verificar também se a dispensa será válida para outras compras e contratos de serviços que não sejam para o combate à covid-19.

“Temos que voltar a nos reunir na Câmara, ainda que remotamente, com urgência. Os vereadores e a população têm muitas dúvidas que precisam ser esclarecidas.”

Recursos

Rosana Linhares, secretária municipal de Saúde: hospital campanha só de houver colapso no atendimento nos dois hospitais. No destaque, sede do Parque do Intelecto

Pelos cálculos da Secretaria Municipal de Saúde, a previsão é de a Prefeitura investir em torno de R$ 15 milhões com o enfrentamento, só na área de saúde.

Isso fora o que será gasto com a ação social, na assistência às famílias de estudantes carentes que ficaram sem a merenda escolar, aos desempregados e moradores de rua.

Na ampliação do número de leitos nos dois hospitais, mais a aquisição de kits de testes rápidos para o coronavírus, e também influenza (gripe), estão sendo alocados cerca de R$ 1,5 milhão pela Prefeitura.

Essa provisão de recursos é justificada para o caso de a pandemia fugir do controle na cidade e na região atendida por Itabira. A projeção é de que, até o mês de julho, haverá cerca de 8 mil pessoas infectadas pelo coronavírus só no município, fora os que serão afetados na região e socorridos nos hospitais da cidade.

Dos possíveis infectados em Itabira, cerca 15% podem precisar de atendimento médico-hospitalar. Nesse percentual estão incluídos os casos mais graves, que serão internados nas Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs).

“Se as pessoas permanecerem em casa, em isolamento social, a nossa infraestrutura será suficiente. Mas se isso não ocorrer, nosso sistema não dará conta de atender a todos que irão precisar de assistência. E muitos podem morrer por falta de atendimento”, afirmou a secretária municipal de Saúde, Rosana Linhares, em recente pronunciamento pela internet.

Descontrole

Sem o isolamento social, ou relaxamento das medidas restritivas, o que inclui a reabertura do comércio nesta conjuntura, será até mesmo preciso abrir um hospital de campanha, para o caso de o atendimento nos hospitais Nossa Senhora das Dores e Carlos Chagas entrar em colapso.

O hospital de campanha, se necessário, será instalado na sede do Parque Natural Municipal do Intelecto, onde funciona a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, que será transferida para outro local.

“Será usada a estrutura já existente. O local foi melhor avaliado pela proximidade com o Carlos Chagas”, explica o subsecretário municipal de Comunicação, Ricardo Guerra. “Isso (o hospital de campanha) só será instalado em caso de necessidade, acompanhando a curva da epidemia em Itabira.”

Já a reabertura do comércio, embora o governador Romeu Zema (Podemos) esteja para flexibilizar as medidas restritivas no estado, vai depender da avaliação do prefeito Ronaldo Magalhães. É que a decisão, segundo o STF, passa também pelos prefeitos municipais. Que o bom senso, a prevenção e a precaução prevaleçam.

Serviço

Foi aberta uma linha telefônica em Itabira para a pessoa que estiver com sintomas da covid-19 fazer consulta remota com um médico. Se você estiver com sintomas ligue 3839 2133. Mas tenha paciência e insista na discagem. A procura já é grande.

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

1 comentário

Deixe um comentário