Sinal de alerta: taxa de transmissão (RT) permanece com viés de alta em Itabira e já está em 1.08

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

“Só permanecemos na onda verde devido à baixa taxa de ocupação de leitos de UTIs e nas enfermarias”, disse o prefeito Marco Antônio Lage (PSB), em seu encontro virtual dessa quinta-feira (17) com seguidores na rede social.

Com a abertura de novos leitos, os hospitais estão com taxa de ocupação de UTI em 53% e nas enfermarias de 10% dos leitos exclusivos para pacientes com Covid-19. Mas mesmo assim a situação não é tranquila no município e na região.

Com 18.160 casos confirmados e 335 óbitos, a preocupação é com uma possível terceira onda, que pode ser tão avassaladora como a que ocorreu em março/abril deste ano, quando Itabira retrocedeu para a onda roxa pelo programa Minas Consciente.

A preocupação é com uma possível nova explosão, com mais pessoas infectadas e também com o aumento de óbitos. “A situação não é boa e isso não é alarmismo”, alertou.

“Felizmente, tivemos cinco dias seguidos até ontem sem óbitos na cidade, mas o que preocupa é essa taxa de transmissão de 1,08, que indica aumento da velocidade do contágio entre as pessoas”, advertiu o prefeito.

Segundo o prefeito, a taxa de ocupação de leitos nos hospitais está mais tranquila e só por isso Itabira permanece na onda verde pelo programa Minas Consciente. Saiba mais no portal Itabira no Monitoramento da Covid-19.

“Precisamos adotar mais medidas restritivas, sem prejudicar a economia”, disse Lage, mas ele não adiantou como isso deve ocorrer sem que volte a fechar as atividades consideradas não essenciais pelo programa do governo de Minas Gerais de reabertura.

Segundo Marco Antônio, Itabira só não regrediu para a onda amarela devido à baixa taxa de ocupação de leitos, mas velocidade da transmissão do vírus é preocupante. Filas enormes continuam frequentes em frente à Caixa Econômica Federal (Fotos: Reprodução e Carlos Cruz) 

Vacinômetro

O chefe do executivo municipal só vislumbra um ambiente de tranquilidade depois que entre 50% e 70% da população estiverem imunizadas com a segunda dose.

Até então, apenas 29.960 doses foram aplicadas em Itabira. Com a segunda dose, esse número é 13.961, de acordo com o último Vacinômetro. Ou seja, pouco mais de 10% da população já devem ter adquirido anticorpos para fazer frente à doença.

“O que tranquiliza um pouco é que a maioria das pessoas com idade acima de 60 anos já recebeu a segunda dose”, disse o prefeito, para quem a preocupação se volta para a disseminação das variantes do novo coronavírus (Sars-Cov-2) entre as pessoas mais jovens sem que tenham tomado a primeira dose – e que saem mais de casa para o trabalho e mesmo para o lazer.

Campanha

A campanha de vacinação na cidade segue agora com a imunização de professores do ensino fundamental, além da população sem comorbidades com idade entre 57 e 59 anos.

“Chegou à minha faixa etária”, comemorou o prefeito, que irá se vacinar no sábado (19), no mutirão de imunização que vai acontecer nos drive-thrus da Prefeitura e da Funcesi – e também nos 32 PSFs da cidade.

Haverá, inclusive, repescagem para quem não tomou a segunda dose e está no prazo, além de quem está com idade acima das faixas atuais sem que tenha ainda iniciado a imunização.

Volta às aulas

Escolas estaduais já anunciam o retorno das aulas presenciais na segunda-feira (21), mesmo não estando a maioria dos professores e profissionais da educação vacinada.

O retorno será para as séries iniciais, do 1º ao 5º ano, informa a Secretaria de Estado da Educação. As escolas privadas também já retornam às atividades escolares presenciais.

Já nas escolas municipais de Itabira, Marco Antônio Lage assegura que o retorno das aulas presenciais somente deve ocorrer em agosto. “O retorno será gradual, não será no avalanche”, ponderou.

Para isso, ele informa que as escolas estão sendo preparadas e que o retorno terá início pelas escolas infantis, com no máximo dez alunos por sala de aula. “Os pais é que decidirão se mandam os filhos para a sala de aula”, assegurou o prefeito de Itabira. “Vamos manter o sistema híbrido, com aulas presenciais e on line, sem perda para o aluno.”

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário