Pitacos da rodada esportiva

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Luiz Linhares*

O futebol mineiro viveu uma rodada fria como o tempo atual, chuvoso, sem brilho, desinteressante

Cruzeiro no ataque, América na defesa. Venceu o time mais agressivo

Chegamos a quinta rodada do estadual e a tabela nos reservou de uma forma geral o encontro das quatro equipes que vem se mostrando ao longo dos anos as melhores do estado. Três, claro, são os grandes clubes de nosso estado – e mais um azulão lá quase do Triângulo Mineiro que se mostra valente e complicador para esses grandes.

Arrascaeta fez um belo gol de voleio na vitória contra o América (Fotos: UOL)

Veja bem, o clássico primeiro foi marcado por Cruzeiro e América e não posso deixar de parabenizar o torcedor cruzeirense pelo comparecimento, resultado de um programa de sócio torcedor bem feito, bem programado e acredito organizado. Tudo isso fez de um domingo chuvoso, em um jogo que sim, valeria a liderança da competição, mas sem nada a mais de atrativo, conseguir atrair 50 mil pessoas nas arquibancadas ou assentos. Demonstra força de um time que vem sendo remontado, como também força de uma torcida fanática, reconhecida pelos atletas, que ficaram encantados com a performance das arquibancadas. Agradeceram a presença e o apoio incondicional ao longo dos noventa minutos.

Em relação ao jogo acredito que a chuva constante prejudicou, tornando a bola mais rápida e facilitando aquele que buscou mais a marcação, não se esquecendo que ainda se troca passes pelo acerto e conjunto de equipe.

Foi um jogo em que o Cruzeiro venceu pelo talento individual, com direito a um belo gol do meia Arrascaeta pegando um voleio certeiro, o que resultou no gol único do jogo. Se foi muito igual a partida com supremacia cruzeirense no jogo ofensivo, e muita aplicação de marcação pelo América, considero justo o que ficou no final. Ganhou o time que foi mais agressivo, por procurar mais a vitória. O resultado foi justo.

Considero mais aceitável a análise que seus treinadores vão fazer, pensando na frente, numa grandeza maior, adianto ao Mano Menezes que a base é esta, bem formada. É verdade que o grupo sofreu muitas dificuldades de superação com a forte marcação adversária. Mas pode-se ganhar isto com uma condição melhor que vai chegar. Ficou provado que na criação ofensiva se tem lugar para outros que podem chegar com qualidade, coisa de time grande e necessário.

Pelo lado do América, já pensando no que vem pela frente, principalmente a série A do brasileiro, mostrou que á ainda muita carência. Não se pode apenas jogar evitando o adversário. No Brasileiro que em breve vai ter início, quase todos os times são grandes, toda barreira tem limites. O time se mostrou interessante defensivamente, mas muito fraco e pobre na criação. Portanto, melhorar é preciso, fortalecer é necessário, isso para evitar o pior.

Atlético vence sem convencer. URT joga melhor, só faltou o detalhe do gol

O Atlético foi a Patos de Minas e ganhou. Azar do URT que levou o gol já na prorrogação. Pela copa do Brasil, três dias antes, lá mesmo em sua casa, levou gol no minuto final. Deu adeus a uma boa grana e a permanência na disputa. Contra o Galo foi melhor, mostrou força local e conhecimento de gramado. Se impôs, criou melhores momentos e em alguns até encurralou o Galo no seu próprio campo. Faltou o gol para fazer justiça ao jogo. Não veio. Como “castigo”, acabou levando gol também no final do jogo, perdendo mais uma partida.

Ricardo Oliveira fez o seu primeiro gol pelo Atlético em jogo em que a URT merecia vencer (Foto: Superesportes)

Para o Atlético, foi uma vitória importante quebrando uma sequência de maus resultados. A vitória dá tranquilidade para seguir o trabalho. Na quarta-feira começa a disputa pela copa do Brasil contra o fraco xará do Acre. Mas, como se sabe, no futebol o jogo é jogado e vencer é obrigação.

Vencer é sempre bom. Ricardo Oliveira, que foi contratado para ser o “matador”, enfim conseguiu fazer o seu primeiro com a camisa alvinegra, um alívio para todos.

Osvaldo de Oliveira já fica com a corda no pescoço, não tem pode mais errar. É preciso acertar e convencer o mais rápido possível. Fazer com que as peças se encontrem é missão imediata. Ou então muda de cidade> Paciência o alvinegro nunca teve. E não vai ser agora que terá.

*Luiz Linhares é diretor Esportivo da rádio Itabira-AM

 

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário