Por escolha direta, Festival Literário de Itabira é incluído entre os patrocínios do Instituto Cultural Vale para 2021

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Em novo comunicado à imprensa, a assessoria de imprensa da Vale informa que o Festival Literário de Itabira (Fliitabira) foi aprovado em escolha por seleção direta, fora da 1ª Chamada Vale de Patrocínios Culturais, cujos contemplados foram divulgados nessa terça-feira (22).

A data de sua realização, porém, não foi informada. Mas é bem possível que ocorra na Semana Drummondiana, realizada em Itabira há mais de 30 anos, e que acontece no fim de outubro, quando, em 2021, serão celebrados os 119 anos de nascimento do poeta Carlos Drummond de Andrade.

Ainda para Itabira, foi selecionado pela 1ª Chamada Vale de Patrocínios Culturais, o patrocínio de R$ 190,6 mil para a realização do I Festival de Inverno da Serra dos Alves, no distrito de Senhora do Carmo.

O evento deve ser realizado em julho, quando se espera que boa parte da população já esteja imunizada com a vacinação em massa contra a Covid-19. O festival vai ser produzido pelo empreendedor cultural Alexandre Segundo de Souza.

Para as apresentações musicais na Serra dos Alves haverá um sistema de som de alta qualidade e mínimo volume, com apresentações no formato acústico. As contratações terão como prioridade pessoal e serviços locais, adianta a assessoria de imprensa da Vale.

No total, o Instituto Cultural Vale vai patrocinar 145 projetos em todo o país, com recursos da ordem de R$ 154 milhões. Desses projetos, 77 foram de escolha direta, como é o caso da Fiitabira, e 68 pela 1ª Chamada Vale de Patrocínios Culturais.

Em Minas Gerais serão realizados 51 projetos, com investimento superior a R$ 55 milhões, informa a Vale em novo comunicado à imprensa. Entre os projetos selecionados, além da FliItabira, estão o Instituto Inhotim, Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, Orquestra Ouro Preto, Grupo Galpão, Museu de Congonhas, Museu do Oratório, Grupo Corpo e XXVI Cine OP.

Os investimentos contemplam também a reforma e modernização do Teatro Atiaia, o único teatro de Governador Valadares, assim como a restauração da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Piedade do Paraopeba, em Brumadinho.

Ainda entre os investimentos consta a revitalização do Trem da Vale, que liga as cidades históricas de Ouro Preto e Mariana.

Por essa revitalização serão criados espaços museológicos no complexo histórico-cultural, a partir do conceito de Museu de Percurso, com espaços para abrigar exposições de longa duração e temporárias, programação cultural e educativas, beneficiando a população local e turistas.

Conheça alguns dos projetos mineiros contemplados com patrocínios do Instituto Cultural Vale

Galpão CineHorto – Manutenção e Programação 2021

Visa promover a manutenção e modernização das atividades do CPMT – Centro de Pesquisa e Memória do Teatro, primeira unidade de informação e memória especializada em teatro no Estado de Minas Gerais, localizada em Belo Horizonte.

Em 2021, o CPTM completa 15 anos de atividades e irá promover ações como a modernização de sua sala, dentro do centro cultural Galpão Cine Horto; a manutenção e ampliação do Portal Primeiro Sinal; a realização do 5º Seminário Subtexto; a publicação (digital e impressa) bilíngue da 16ª Revista Subtexto; além da circulação do projeto Memória em Circulação pelas cidades mineiras de Barbacena, Ipatinga, Nova Lima  e Mariana, que levará a metodologia de preservação de acervo em artes cênicas para grupos e centros culturais locais nas cidades atendidas.

Festival de Cultura Popular – Ouro Preto e Mariana

Realização do festival nas cidades históricas de Mariana e Ouro Preto. O evento será gratuito e reunirá apresentações, debates e residências artísticas, exposições e feiras de produtos artesanais e gastronômicos. Tem como objetivo principal a democratização ao acesso à diversidade cultural brasileira, a promoção de trocas de saberes, o intercâmbio de culturas e o diálogo entre os agentes do setor e o público em geral.

Música & poesia nos Caminhos da Estrada Real

Irá promover apresentações culturais em cidades da Estrada Real, em Minas Gerais. Trata-se de um sarau de música e poesia, com participação do compositor e músico Toninho Horta e do poeta mineiro Petrônio Souza Gonçalves.

Durante as apresentações, os autores abordarão detalhes e características de suas obras, além da poesia na música popular brasileira, histórias do Clube da Esquina e bastidores do mundo literário. Inclusive, com composição inédita para a Estrada Real, abrindo reflexões sobre sua história e sua cultura. Haverá, ao final, de cada apresentação, espaço para perguntas e bate papo com o público.

Rede de Patrimônio Criativo e Colaborativo de MG

Realizará amplo processo de educação patrimonial com 150 jovens, de 15 a 29 anos, moradores de dez cidades do interior de Minas Gerais (São Gonçalo do Rio Abaixo, Catas Altas, Rio Piracicaba, Barão de Cocais, Santa Bárbara, Pedra Azul, Araçuaí, Itinga, Rubim e Itaobim), por meio de oficinas de educomunicação e cultura.

O objetivo é fomentar o conhecimento e interesse das juventudes pelas manifestações culturais dos lugares onde vivem e, ao mesmo tempo, contribuir com o mapeamento, o registro da memória e com a valorização e a difusão do patrimônio cultural imaterial de Minas Gerais.

Danças, Artes e Tramas – 2020

Manutenção das ações socioculturais do Instituto FRED, para desenvolvimento dos talentos e habilidades de pessoas de comunidades de baixa renda.

Concertos Didáticos Musicoop – SESI MG

Resplendor, Felixlândia, Fortuna de Minas e Maravilhas. Cinco sessões serão realizadas em escolas da rede pública, e outras cinco em teatros, fábricas ou praças, em datas comemorativas, como Tiradentes, Dia do Trabalho (Concerto para o Trabalhador), Independência do Brasil, Dia das Crianças (Concerto para as Crianças) e Natal.

Cada concerto terá uma hora de duração e contará com breve introdução feita pelo maestro Felipe Magalhães, que irá contextualizar as obras apresentadas de acordo com a época em que foram compostas. Serão apresentadas obras de diferentes períodos, passando pelos séculos XVIII, XIX e XX, com destaque para as composições populares que receberão arranjos orquestrais elaborados, criando-se assim uma ponte para o popular e o erudito de maneira lúdica, prazerosa e de fácil assimilação pelo público.

Das Montanhas e Águas de Minas

Festival de música, no interior de Minas Gerais, que levará as orquestras de viola caipira e outros músicos tradicionais da região para se apresentarem e trocarem   experiências por meio de bate-papos com a população. Também serão realizadas oficinas nas escolas, curso de redação, feiras de gastronomia e artesanato, teatro, encontro de tropeiros e grupos tradicionais da região. Será realizado em Itabirito, no distrito de Acurui, lar de grandes montanhas e de muita Água.

O pequeno distrito tem mais de 300 anos e tem um potencial cultural imenso, de artesanato, gastronomia e grupos tradicionais. Está localizado entre as cidades de Itabirito e Rio Acima, conhecidas pelo potencial turístico de cachoeiras e trilhas. O projeto visa também movimentar o turismo local e valorizar a mão de obra da região, além de resgatar e fomentar as tradições da região.

Festival de Inverno da Serra dos Alves

Pequeno festival de música e sustentabilidade a ser realizado no pequeno vilarejo de Serra dos Alves, no município de Itabira. O conceito principal é colaborar na ocupação consciente, sustentável e artística de uma localidade de natureza exuberante.

As apresentações musicais terão sistema de som de alta qualidade e mínimo volume, trazendo às apresentações a similaridade de um formato acústico. As contratações terão como prioridade pessoal e serviços locais, diversidade e sustentabilidade.

Caravana da Alegria – edição Minas

É um projeto de itinerância circense, da Cia de Circo Teatro El Individuo em Minas Gerais, uma oportunidade para circular com os espetáculos de repertório, contribuir com a formação e o aprimoramento de interessados e outros artistas circenses e com a valorização do espaço público como espaço cênico a ser ocupado e mantido. Será realizado nas cidades de Brumadinho, Sarzedo, Nova Lima e Rio Acima.

[MICRO] Festival Itinerante de Bonecos Idosos

O projeto propõe a circulação do festival por 18 cidades do interior de Minas Gerais, em um evento composto por uma intervenção de rua com bonecos habitáveis, um espetáculo de marionetes e uma oficina de máscaras. As atrações são para todas as idades, porém com foco especial nos idosos.

Irmandade Os Carolinos 100 anos

O projeto pretende viabilizar diversas atividades, ao longo de 2021, da Guarda de Moçambique e Congo de Nossa Senhora do Rosário e Sagrado Coração de Jesus – Irmandade Os Carolinos, a terceira mais antiga de Belo Horizonte ainda em atividade, fundada em 1917.

A principal ação é o festejo (ou festa-grande), realizado em outubro, no bairro Aparecida, em Belo Horizonte, e no Retiro, em Contagem, que reúne diversas guardas. O projeto vai também circular com a exposição que celebra o centenário da Irmandade – “Reinado de Chico Calu – Repertórios Sagrados da Irmandade Os Carolinos” – por três cidades do interior de Minas Gerais: Conselheiro Lafaiete, Congonhas e Mariana.

Projeto Música, maestro!

O objetivo é valorizar a música na cidade de Brumadinho e Mário Campos, por meio da Banda de Música, formação musical muito forte na região. Com o projeto, será feito o aprimoramento da Banda São Sebastião, com a implantação de oficinas de especialização para 50 músicos de Brumadinho, como preparação para a criação de uma orquestra no futuro, e a expansão da iniciação musical com 15 participantes em Mário Campos, visando criar uma banda neste município.

Reis do Congo – Documentário

Documentário, média-metragem, sobre o congado em Minas Gerais, de aproximadamente 50 minutos e distribuição gratuita nas redes sociais. A obra audiovisual tem como propósito salvaguardar os saberes oral e a estética do congado mineiro contemporâneo, desde a vestimenta, conhecimentos orais, até o movimento e as canções.

Serão registrados os rituais de Divinópolis, Mariana, Pará de Minas, Brumadinho, Ouro Preto e Congonhas. A ideia é documentar suas rotinas, costumes e dificuldades, apresentando ao espectador um recorte provocativo da realidade das culturas de matriz africana.

 

 

 

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário