Itabira terá mais leitos de UTI e enfermaria. Atendimento na microrregião contará também com hospital de retaguarda em São Gonçalo

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

O prefeito de Itabira, Marco Antônio Lage (PSB), disse em coletiva de imprensa, nessa quarta-feira (24), que não vai abrir hospital de campanha.

Mas informou que vai investir na abertura de novos leitos nas enfermarias dos hospitais Nossa Senhora das Dores e Carlos Chagas (MCC), a exemplo do que fez a administração passada no início da pandemia – e também em novos leitos de UTIs.

A estratégia, portanto, continua sendo a de aparelhar mais os hospitais, ampliando a infraestrutura de atendimento que permanecerá após vencida a primeira a guerra contra o novo coronavírus (Sars-Cov-2), que só será vencida quando todos os itabiranos que precisam ser vacinados forem imunizados.

Segundo o prefeito, por meio de parcerias, inclusive com a Vale, vai ampliar com mais 28 leitos de enfermaria o hospital Municipal Carlos Chagas (HMCC) – com mais 24 leitos no Nossa Senhora das Dores (HNSD).

E, ainda, serão instalados mais 12 leitos de UTI na rede hospitalar, como medida emergencial (dois no HMCC e 10 no HNSD).

De acordo com ele, a grande dificuldade tem sido a contratação de mão-de-obra especializada – e muitos profissionais de saúde estão afastados por cansaço e estresse, como também por terem testados positivos para a Covid-19. “Já temos a sinalização da Vale que vai contratar e garantir a ampliação da equipe do Nossa Senhora das Dores”, informou o prefeito.

Emergência em saúde

A instalação desses novos leitos é medida emergencial e precisa ser imediata. Isso porque os hospitais continuam com 100% das UTIs ocupadas, com ligeira queda nas enfermarias, com 85,5% dos leitos ocupados.

À ampliação da capacidade de atendimento se soma a disponibilidade já instalada nos dois hospitais.

Atualmente, segundo informações da assessoria de imprensa da Prefeitura, o HNSD dispõe de 17 leitos SUS e quatro de convênios para atendimento exclusivo de pacientes com Covid-19 nas enfermarias. E de seis leitos SUS e quatro de convênios nas UTIs.

Já no HMCC a disponibilidade é de 20 leitos nas UTIs, incluídos os dez que foram reabertos pela atual administração. E mais 38 leitos em enfermaria, todos exclusivos para atendimento a pacientes SUS.

Além disso, um hospital de retaguarda irá funcionar em São Gonçalo do Rio Abaixo, devendo ser aparelhado com recursos alocados pela mineradora Vale. Com ele, a expectativa é desafogar o atendimento nos hospitais de Itabira, que são referências na microrregião com mais de 200 mil habitantes.

“Com a equipe do hospital Albert Einstein, que está nos assessorando, enxergamos essa oportunidade de parceria com São Gonçalo. A Vale vai também participar da montagem desse hospital que já existe, mas que só estava funcionando com o pronto-atendimento”, justificou o prefeito de Itabira.

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário