Itabira migra para a onda verde, mas Prefeitura mantém medidas restritivas diante do risco de uma terceira onda no país

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Mesmo com a taxa de transmissão retornando para próximo de 1.0, o que significa que cada grupo de 100 pessoas infectadas pode transmitir o vírus para ouras 100, caso não haja o isolamento domiciliar de quem pegou o vírus e o distanciamento social para todos, além das outras medidas preventivas e protetivas, Itabira migra para a onda verde do programa Minas Consciente.

A mudança já está valendo a partir deste sábado (12). Entretanto, como o município pode ser mais restritivo nas medidas cautelares, a Prefeitura de Itabira decide manter as restrições que estavam valendo na onda amarela. Isso por precaução e necessidade de conter a velocidade da transmissão no município.

Conforme salientou o prefeito Marco Antônio Lage (PSB) em seu encontro com seguidores na rede social, na quinta-feira (10), a pandemia ainda não está sob controle e o surgimento de novas cepas é ameaça de uma terceira onda.

Segundo ele, a situação é relativamente tranquila no município pelo fato de não haver risco de colapso do sistema de saúde, como ocorreu recentemente, quando houve o retrocesso para onda roxa.

Mas essa tranquilidade só foi possível com a abertura de novos leitos exclusivos para tratamento de pacientes com Covid-19 nos hospitais Nossa Senhora das Dores e Carlos Chagas. Com isso, a taxa de ocupação de leitos de UTIs está em 60,5% e em 17,4% nas enfermarias.

Saiba mais no portal Itabira no Monitoramento da Covid-19.

Controle relativo

“Situações epidemiológica e assistencial em Minas Gerais e no Brasil como um todo não são favoráveis. Não podemos esquecer que não estamos isolados”, salientou a secretária municipal de Saúde, Luciana Carmem Sampaio, explicando os motivos que levaram Itabira a manter os protocolos da onda amarela mesmo migrando para a onda mais favorável à abertura das atividades consideradas não essenciais.

Além disso, como polo microrregional, os hospitais de Itabira recebem pacientes de outras cidades – e até de outros estados –, conforme salienta a secretária de Saúde. Entre os internados nos hospitais de Itabira estão moradores de Belo Horizonte, Itabirito, Mariana, Pedro Leopoldo, Pompéu, Sete Lagoas e até da cidade de João Alfredo (Pernambuco).

Pelo SUS, dos 23 pacientes com Covid-19 internados nas UTIS dos hospitais da cidade, 11 são de Itabira e 12 de outras cidades. Já nas enfermarias, dos 12 leitos ocupados, quatro são de Itabira e oito de outros municípios.

Mesmo com a situação pandêmica no município figurar como sendo de relativo controle, é preciso manter os protocolos preventivos. “A população precisa continuar fazendo sua parte, sempre mantendo as medidas sanitárias indispensáveis de prevenção do vírus”, é o que pede a secretária municipal de Saúde.

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário