Grandes empresas brasileiras importam insumos para abastecer UTIs de todo país para fazer frente ao agravamento da pandemia

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Por iniciativa da mineradora Vale, foi formado um pool de empresas brasileiras para importar da China sedativos, neurobloqueadores musculares e analgésicos opioides, que são insumos básicos em falta em todo território nacional, necessários para realizar a intubação de pacientes em estado grave, acometidos pela Covid-19.

O primeiro lote da aquisição está previsto para chegar ao país a partir de 15 de abril. Segundo a assessoria de imprensa da Vale, os itens são todos certificados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), além da agência chinesa.

Serão doados 3,4 milhões de medicamentos para intubação, quantidade suficiente para a gestão de 500 leitos pelo período de um mês e meio. Esses insumos serão entregues ao governo federal para distribuir aos estados, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS),

A iniciativa da Vale foi motivada pelo recrudescimento da pandemia, principalmente depois do surgimento de novas variantes do novo coronavírus (Sars-CoV2), que estão se revelando mais infectantes e letais.

Além da Vale, participam do pool de empresas: Engie, Itaú Unibanco, Klabin, Petrobras e Raízen. O presidente da Vale, Eduardo Bartolomeo, explicou o que motivou a formação desse pool empresarial para auxiliar o governo federal na gestão da crise sanitária nacional:

“É importante destacar que essa ação só tem força por contar com adesão de empresas de diversos setores. O momento pede união e esperamos contribuir para o sistema de saúde em todo território brasileiro.”

No destaque, atendimento em UTIs em Manaus. Foto ilustrativa (Reprodução)

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário