Foi dada a largada para a disputa da cadeira número 1 do Paço Municipal Juscelino Kubitscheck, sede da Prefeitura de Itabira

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

A partir deste domingo (27), tem início a campanha eleitoral para a sucessão municipal nos 5 570 municípios brasileiros. Em Itabira, cinco candidatos irão disputar a cadeira de número 1 do terceiro andar do Paço Municipal Presidente Juscelino Kubitscheck de Oliveira.

Gustavo Milânio, candidato a vice, e Ronaldo Magalhães, à reeleição por uma coalizão de partidos que já governa Itabira (Fotos: Divulgação)

O prefeito Ronaldo Magalhães (PTB) é candidato à sua sucessão. Para isso formou a coligação Frente Itabira – Ação e Desenvolvimento, uma proposta de governo de coalizão formada pelos partidos PTB, MDB, PSDB, PP e DC que irão dar sustentação à sua campanha visando a reeleição.

Tem como candidato a vice-prefeito o advogado Gustavo Milânio, também do PTB, ex-chefe de Gabinete da Prefeitura. Posteriormente, Milânio ocupou o mesmo cargo no Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais (TCE-MG), na assessoria de seu presidente, o ex-deputado Mauri Torres (PSDB).

Ronaldo tem bom recall por já ter sido prefeito de Itabira por duas vezes (2001/04 e 2017/20). Isso o torna mais conhecido do eleitorado, mas também se apresenta com forte rejeição, principalmente entre os servidores municipais e no segmento mais jovem do eleitorado itabirano.

Magalhães tem como trunfo as suas realizações, como as aberturas das avenidas Espigão e Machado de Assis, e também, a avenida Mauro Ribeiro, em sua administração anterior.

Outro trunfo na campanha são as parcerias público-privadas para construção de moradias populares e para a ampliação do campus da Unifei. Leia mais sobre a candidatura aqui.

Espera contar ainda com os retoques paisagísticos de última hora que a sua administração tem feito a toque de caixa em vários pontos da cidade. Mas já sofre também desgaste em decorrência de cortes excessivos e podas de árvores por toda a cidade no início da Primavera.

 

Oposição

Marco Antônio Gomes e Marco Antônio Lage, candidatos a vice e a prefeito, respectivamente, devem polarizar com as candidaturas situacinistas

O prefeito de Itabira tem como seu principal oponente o empresário e jornalista Marco Antônio Lage (PSB), que se candidata pela frente partidária Marco Novo, formada pela coalizão entre o seu partido e mais o PL, PDT e Patriota.

Lage é de Ipoema e passou boa parte de sua juventude em Itabira. Mas foi em Belo Horizonte que ele viveu ultimamente, tendo exercido o cargo de Diretor de Comunicação Corporativa e Sustentabilidade da Fiat entre 1992 a julho de 2017, quando aposentou. Depois ocupou o mesmo cargo na Cemig.

Na campanha o seu grande desafio é se tornar mais conhecido do eleitorado itabirano em tempo hábil, até as eleições em 15 de novembro. Para isso ele conta com a popularidade de seu candidato a vice-prefeito, o seu xará Marco Antônio Gomes (PL), médico nefrologista, membro da Igreja Batista Central.

Outro apoio considerado fundamental para o sucesso da candidatura oposicionista é do ex-vereador Bernardo Mucida (PSB), segundo colocado na eleição municipal de 2016 para prefeito e primeiro suplente de deputado estadual pela coligação PT/PL/PSB.

Marco Antônio Lage espera também obter outros apoios de peso de políticos itabiranos para alavancar a sua candidatura. Leia mais aqui.

Outros candidatos

Além de Ronaldo Magalhães e Marco Antônio Lage, que devem polarizar a disputa para a prefeitura, mais três candidatos entram na corrida sucessória em Itabira.

Alexandre “Banana” com o seu vice Tião Ferró: tarefa de resgatar a tradição esquecida de luta do PT em Itabira

O dentista Alexandre “Banana” Martins da Costa (PT) sai candidato pelo seu partido, que já governou Itabira com o ex-prefeito Jackson de Pinho Tavares (1997/2000).

Tem como candidato a vice-prefeito o aposentado Sebastião Faria de Souza, o Tião Ferró, também do Partido dos Trabalhadores (PT).

Eles compõem a coligação Saúde, Paz e Trabalho. A chapa majoritária petista, segundo brincou o candidato a prefeito, pode também ser chamada de BananaFerró.

Com a sua candidatura a prefeito, Alexandre “Banana” espera provar que o PT, fundado em 1979 sob a liderança do então metalúrgico Luiz Inácio Lula da Silva, está vivo e presente na cena política itabirana. Leia também aqui.

Jânio Nunes é candidato a prefeito pelo PSOL, tendo como vice a empresária Marlene Sampaio

Já o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) lança a candidatura de Jânio Nunes para prefeito e da empresária Marlene Sampaio para vice-prefeita.

A proposta de sua candidatura é mais à esquerda, com destaque para a ação social e participação popular nas decisões municipais, “com liberdade e justiça social.

O empresário Márcio Lúcio Moreira Couto, o Marcinho “da Loteria”, é também candidato a prefeito desta urbe minerada pela coligação Itabira em Boas Mãos, uma proposta de coalizão formada pelos partidos Avante e Cidadania.

A empresária Cibele Machado compõe a sua chapa como candidata a vice-prefeita.

Marcinho “da Loteria” é também candidato a prefeito e a empresária Cibele Machado compõe a sua chapa como candidata a vice-prefeita

Vereança

A coligação Itabira em Boas Mãos tem a terceira maior chapa proporcional, com 44 candidatos a vereador, sendo 29 homens e 15 mulheres, informa a sua assessoria de imprensa. A segunda maior é a coligação Marco Novo, com 65 candidatos à eleição proporcional.

Mas a coligação com maior número de candidatos a edil itabirano é a que apoia Ronaldo Magalhães, formada por 120 candidatos a vereador, além de mais de 250 servidores em cargos comissionados, de livre nomeação nos primeiros escalões da administração municipal.

Já a menor chapa proporcional é a do PT, com apenas um candidato a vereador, o aposentado da Vale Ceomar de Paula Santos.

No total, 253 candidatos irão disputar uma das 17 cadeiras do legislativo itabirano.

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

1 comentário

  1. Ronaldo como sempre só mostra alguma coisa no último ano de mandato. Já fez isso outras vezes e perdeu e não aprendeu. Com força conseguiremos trocar estes que aí estão. Por isso Novo Marco vem aí.

Deixe um comentário