Fevereiro foi o mês mais letal da pandemia. Março pode ser pior

WhatsApp Pinterest LinkedIn +
Por José Eustáquio Diniz Alves*

[EcoDebate] O Brasil está passando pela pior fase da pandemia. Nos primeiros 59 dias de 2021 ocorreram 2,9 milhões de infecções (média diária de 49 mil casos) e 60,2 mil mortes (média diária de 1.020 óbitos). O mês de fevereiro foi o mais letal da pandemia, mas março pode ser ainda pior.

O gráfico abaixo, com base nos dados do Ministério da Saúde, mostra que o pico mensal da primeira onda brasileira ocorreu em julho de 2020 com uma média diária de 1.061 óbitos. Esses números caíram até novembro com média diária de 441 óbitos, mas subiram nos meses seguintes até atingir o pico mais alto da série em fevereiro, com 1.093 óbitos diários.

No final de fevereiro há 13 estados com tendência de alta, 11 estados com estabilidade e somente três unidades da Federação com tendência de baixa. A crise do sistema de saúde é geral. Desta forma, as estimativas apontam para tristes recordes que, provavelmente, ocorrerão em março de 2021.

média diária de óbitos da covid-19 no Brasil

O gráfico abaixo mostra que o pico mensal da primeira onda de infecções ocorreu nos meses de julho e agosto com média diária em torno de 40 mil casos. Os números caíram em outubro para 23 mil casos, mas voltaram a subir e bateram o recorde em janeiro e fevereiro de 2021 com cerca de 49 mil casos diários.

covid-19 - pico mensal da 1ª onda de infecções

Ao mesmo tempo em que a pandemia avança no Brasil ela recua no mundo. O gráfico abaixo da OMS mostra que o pico de casos ocorreu na semana de 04 a 10 de janeiro de 2021. Nas 7 semanas seguintes os números caíram para cerca da metade, sendo que houve uma certa estabilidade nos últimos 14 dias.

As Américas apresentam o maior número acumulado de casos, seguido pela Europa e pelo Sul da Ásia. A África e o Leste do Pacífico apresentam os menos montantes de casos acumulados.

gráfico abaixo da OMS mostra que o pico de casos ocorreu na semana de 04 a 10 de janeiro de 2021

O gráfico abaixo, também da OMS, mostra que o pico da primeira onda ocorreu na semana de 13 a 19 de abril de 2020, depois os números de óbitos diminuíram até outubro, mas começaram a subir em novembro e atingiram o pico geral na semana de 25 a 31 de janeiro de 2021. No mês de fevereiro o número de óbitos caiu, embora ainda esteja acima do pico da primeira onda.

covid-19 - pico da 1ª onda

Todos esses dados mostram que o Brasil está na contramão da tendência global. A pandemia recua no mundo, mas está fora de controle no Brasil.

O médico e neurocientista, Miguel Nicolelis, tem dado inúmeras entrevistas mostrando que há uma grande chance de um colapso nacional do sistema de saúde e a possibilidade de um aumento exponencial do número de mortes pela covid-19. Ele critica as autoridades do Governo Federal e diz que “a população precisa acordar para a dimensão da nossa tragédia”.

*José Eustáquio Diniz Alves é colunista do EcoDebate, doutor em demografia, link do CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/2003298427606382

Referências:

ALVES, JED. A pandemia de Coronavírus e o pandemônio na economia internacional, Ecodebate, 09/03/2020 https://www.ecodebate.com.br/2020/03/09/a-pandemia-de-coronavirus-covid-19-e-o-pandemonio-na-economia-internacional-artigo-de-jose-eustaquio-diniz-alves/

ALVES, JED. A covid-19 bate todos os recordes globais em novembro, Ecodebate, 16/11/2020
https://www.ecodebate.com.br/2020/11/16/a-covid-19-bate-todos-os-recordes-globais-em-novembro/

ALVES, JED. O impacto mortal da covid-19 sobre a economia e a demografia brasileira, ANPOCS, 11/05/2020
http://anpocs.com/images/stories/boletim/boletim_CS/Boletim_n37.pdf

ALVES, JED. Passado, Presente e Futuro da Pandemia da Covid-19, Instituto Fernando Braudel, SP, 11/06/2020
https://pt.scribd.com/document/465506796/O-passado-o-presente-e-o-futuro-da-pandemia-do-novo-coronavirus

Vídeo: https://www.facebook.com/watch/live/?v=293538905150329&ref=watch_permalink

ALVES, JED. A covid-19 bate todos os recordes globais em novembro, Ecodebate, 16/11/2020
https://www.ecodebate.com.br/2020/11/16/a-covid-19-bate-todos-os-recordes-globais-em-novembro/

José Gomes Temporão, Carlos Gadelha, José Eustáquio Alves e Alberto Carlos Almeida. Vacinas, Política, Economia e Desenvolvimento Tecnológico, Live, 28/01/21
https://www.youtube.com/watch?v=8gFWznXkO8A

 

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário