Itabira retorna à onda Verde mesmo com avanço da Covid-19 na cidade. Não é hora de baixar a guarda

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Desde a semana passada Itabira retornou à onda Verde pelo programa Minas Consciente. A progressão de onda ocorre justamente quando cresce o número de infectados pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2) na cidade, inclusive de muitos profissionais de saúde, já se constatando entre pacientes a sua perigosa mutação.

A mudança de onda consta do boletim eletrônico do programa. E está também no recém-lançado portal Itabira no Monitoramento da Covid-19, com informações diárias do número de casos confirmados, pacientes suspeitos e recuperados no município e na região, entre outras informações.

Segundo Valério Adélio, coordenador de comunicação social da Prefeitura de Itabira, a informação sobre a mudança de onda não tem sido divulgada amplamente para não criar um clima de liberou geral na cidade.

Foi o que ocorreu na primeira vez que Itabira ingressou na onda Verde, no início de setembro, 48 dias depois de aderir ao programa de distensão econômica do governo estadual frente à pandemia que está longe de acabar. Pouco tempo depois, já no começo de outubro, o município retornou para onda Amarela, com relaxamento das medidas restritivas e protetivas.

Fonte: Portal Minas Consciente

Cuidados

Com a mudança de onda, pouca coisa muda para o cidadão, que precisa manter os cuidados de sempre, mantendo o distanciamento social, o uso de máscara, higienização constante das mãos.

“Não é um liberou geral. Para as pessoas muda pouca coisa, que é uma maior liberdade nas academias ou para ir ao teatro, cinema. Mas os cuidados têm que ser os mesmos”, explica.

De acordo com Adélio, as alterações estão mais voltadas para o comércio, para que se tenha um atendimento seguro ao público.

Para isso, os comerciantes devem ficar atentos aos protocolos de segurança, mantendo as medidas de higiene e os cuidados específicos de cada atividade.

Importante também manter mais rigor no atendimento, não permitindo entrada de quem está sem máscara, além de impedir aglomeração de pessoas em seus estabelecimentos.

Fonte: Portal da PMI

Pandemia só acaba com vacina para imunizar todo mundo, diz médica infectologista

Para a médica infectologista Andrea Cabral, do hospital Carlos Chagas (HMCC), a pandemia está ainda longe do fim e todos precisam se cuidar e proteger quem está próximo.

“Só vai ter fim quando tiver uma vacina cientificamente eficaz e com todo mundo imunizado”, disse ela em entrevista a este site, prevendo que isso só deve ocorrer até meados de 2021.

Daí que é preciso continuar com as medidas preventivas e protetivas. O uso de máscara continua sendo imprescindível ao sair de casa e sempre que estiver ao lado de outras pessoas.

“Devemos ter cuidado especial com as pessoas idosas e com comorbidades (outras doenças) em casa e também nos locais de trabalho”, insiste a médica infectologista, para quem não é tempo de baixar a guarda.

Afinal, não se trata só de uma pandemia, mas de uma sindemia, como tem conceituado muitos cientistas, uma vez que o novo coronavírus age provocando outras complicações trombóticas, renais, cardíacas e até cerebrais, levando à disfunção desses órgãos e também ao óbito em muitos casos.

Para saber mais sobre a situação da pandemia em Itabira e na região acesse o o link https://bit.ly/3o5uQaX. 

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário