Coesos, vereadores do grupão aprovam emenda que reduz para 10% o percentual do orçamento que Marco Antônio Lage pode remanejar em 2022

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Como esperado, a 24ª reunião ordinária da Câmara Municipal de Itabira, nessa terça-feira (20), seguiu o script já traçado pelo posicionamento do grupão formado por dez vereadores, que até recentemente tinha apenas o vereador Neidson Freitas (MDB) declaradamente oposicionista.

Os demais se autodeclaram como independentes, mas na prática o grupão já se revelou como um bloco fechado e coeso, pronto para dificultar a administração do prefeito Marco Antônio Lage (PSB).

A emenda ao projeto de lei 33/2021, que estabelece as diretrizes para elaboração da Lei Orçamentária Anual (LOA) do município, foi aprovada por dez votos favoráveis e seis contrários.

Com isso, o prefeito fica autorizado a remanejar apenas 10% da verba livre do orçamento municipal para 2022, enquanto o governo municipal defendia que essa margem fosse de 25%.

Durante a discussão da emenda nenhum vereador favorável se manifestou, ainda que fosse para defender a autonomia e a independência legislativa, juntamente com a prerrogativa fiscalizadora. Boquifecharam-se.

Esse silêncio levou o líder do governo, vereador Júber Madeira (PSDB), a ironizar a conduta durante o debate parlamentar, antes da votação: “Confio na rejeição da emenda que reduz a margem de remanejamento, já que nenhum vereador a defendeu aqui no plenário”.

Populares e apoiadores do prefeito ocuparam a Câmara contra a emenda que “engessa” a administração municipal

Questão fechada

Muitos dos vereadores que votaram na emenda que restringe a margem de relocação de recursos para 10% foram favoráveis, na legislatura passada, a conceder percentual de 40% para o ex-prefeito Ronaldo Magalhães (2017-20) remanejar verbas livres do orçamento em pleno período eleitoral.

Votaram favoráveis à emenda dos 10% os vereadores Neidson Freitas, Heraldo Noronha (PTB), Sebastião Ferreira Leite (Patriota), Rosilene Félix (MDB), Rodrigo “Diquerê” (PTB), Roberto Fernandes (MDB), Sidney “do Salão” Marques, Luciano “Sobrinho” Gonçalves (MDB), Júlio “Contador” César Araújo (PTB) e Reinaldo Soares Lacerda (PSDB).

Já os que votaram contra a emenda, para que fosse mantido o percentual de 25% como limite para o prefeito remanejar recursos livres do orçamento, foram: Júber Madeira, Carlinhos “Sacolão” da Silva (PSDB), Júlio “do Combem” Rodrigues (PP), Bernardo Rosa (Avante) e Marcelino Guedes (PSB).

Cizânias

O presidente da Câmara, vereador Weverton “Vetão” Andrade (PDT), só votaria em caso de empate. Mas ele é outro parlamentar que se autodeclara independente e que tem sido crítico em relação à administração municipal.

Mesmo de forma simbólica, ele votou contra o pedido de empréstimo de R$ 70,1 milhões, pretendido pela Prefeitura para execução imediata de obras de infraestrutura na cidade e nos distritos de Ipoema e Senhora do Carmo.

E tem sido crítico contumaz à coordenação política do governo municipal. Na sessão do dia 6 de julho, quando esteve presente na Câmara o secretário de Governo Márcio Passos, Vetão criticou assessores do prefeito que, segundo ele, têm difamado os vereadores pela mídia e rede social.

A crítica tem endereço certo, uma resposta e cobrança às críticas de Passos: “Tem vereador que não tem limite. É um saco sem fundo”, afirmou o coordenador político do governo municipal, provocando mais cizânia no já combalido relacionamento do prefeito com os vereadores da oposição e “independentes”.

“Em nome de tudo que vivenciamos juntos, espero pela retratação do secretário ou que ele diga quem fez ou propôs fazer negociatas. Com tantas pautas importantes, estamos ainda discutindo essa rixa entre o legislativo e o executivo itabirano”, lamentou, na ocasião, o vereador Vetão.

O secretário Márcio Passos até então não se retratou, como também não deu “nomes aos bois”, indicando quais vereadores são “sacos sem fundo”. Deve isso à sociedade itabirana.

Pelo visto, o entrevero entre o grupão e o prefeito Marco Antônio Lage tende a se agravar. A conferir nas próximas sessões e embates no legislativo itabirano.

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

2 Comentários

  1. Vergonha mostraram que estão contra por estar contra, sem argumentos pura politicagem. Marco Antônio será difícil, mas o povo está com vc, não ceda a pressões que só podem ser ilegais.

  2. João Tobias Vieira belisario on

    Gente é muito simples o prefeito conseguir aprovação de todos seus projetos . É só como antes escancarar as portas do gabinete pra receber Edís com propostas indecorosas , fazer maracutaias , fazer passar máquinas pra fazer estradas em terrenos particulares , empregar a todos que tiveram dos Edís promessa de emprego . O PREFEITO tem que deixar de ser uma ameaça à corrupção que se instalou por estas bandas por anos . Tem que se aliar com os que saquearam a cidade . Tem que parar com esse negócio de ficar valorizando a cultura principalmente a local . Estrada entre Carmo e Ipoema pra que ? Os ortifrut do Ceasa com um tiquim de agrotóxico é bem melhor e o asfalto daqui a BH já tá pronto . Enfim é só o prefeito se dobrar aos derrotados que ele vai governar suave na máquina. Falando sério, o povo se acostumou com o pouco e sem poder reclamar , e estes políticos nunca se relacionaram com um sujeito que num aceita pilantragem , simplis assim !!!

Deixe um comentário