Bicentenário do término da Inquisição Luso-Brasileira 

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Nesta quarta-feira (31), às 19h30 acontece o lançamento do livro Bicentenário do Término da Inquisição Luso-Brasileira (1821 – 2021), em lembrança do término da inquisição católica no Mundo Português.

Há dois séculos, os deputados das Cortes Constituintes de Portugal aprovaram o decreto-lei que extinguiu os Tribunais do Santo Ofício da Inquisição.

Por quase três séculos milhares de pessoas consideradas hereges foram processadas, julgadas, sofreram tormentos físicos e mentais. Após condenadas, várias foram executadas nas fogueiras inquisitoriais.

Dentre os considerados hereges, os cristãos-novos (judeus obrigados à conversão forçada ao catolicismo) foram os mais perseguidos e processados; vários tiveram seus bens confiscados, muitos foram condenados ao uso da vestimenta “sambenito” e muitos outros à morte na fogueira.

O livro nos apresenta o percurso das inquisições contra os judeus no mundo por diversos séculos até a criação do santo ofício em Espanha no ano de 1478 e o decreto de expulsão ou conversão compulsória em Portugal em 1496.

Descreve a maneira como os Tribunais da Inquisição Católica atuava no reinado português: a autodenúncia, a delação de outrem, os modos e instrumentos de tortura para obtenção das declarações, a formalização e conclusão do processo penal por prática judaizante.

Os Bandeirantes e a criação da província de Minas Gerais, sendo boa parte deles de cristãos-novos ou descendentes em linha direta.

Temos o glossário com o significado das expressões judaicas, as tradições, expressões e costumes que ainda mantemos em nosso meio como herança maior de nossos antepassados judeus sefaraditas.

Apresenta ainda a sede do Museu da História da Inquisição em Belo Horizonte – MG, seu acervo, biblioteca e réplica dos instrumentos de tortura e o registro da história em si.

Na cronologia histórica em 25 de Maio de 1773, por decreto real de Dom José, sendo o Marquês de Pombal seu primeiro ministro, foi abolida a distinção entre cristãos-velhos e cristãos-novos, podendo estes, portanto, passarem a assumir cargos da administração do reino português.

Em tempo: encontra-se na biblioteca do Museu da História da Inquisição via original deste decreto-lei.

A 31 de Março de 2021 relembramos essa data histórica dos duzentos anos do decreto-lei firmado por Dom João VI após a aprovação das Cortes Constituintes de Portugal.

Lançamento do Livro, assista em:

https://www.youtube.com/channel/UCxgv5MsdpjEJsSPtPaAq9hQ

 

Para aquisição da obra, acesse:

https://www.lojamuseuonline.com.br/livros/bicentenario-do-termino-da-inquisicao-luso-brasileira

Demais informações, acesse:

Equipe do Museu da História da Inquisição

www.museudainquisicao.org.br

contato@museudainquisicao.org.br

Autor: Marcelo Miranda Guimarães

Editora Ensinando de Sião

Capa dura

164 páginas

Papel Couchê Fosco 170g/m3

Fotogragias internas coloridas

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário