A voz do povo não é a voz de Deus, mas pode ser do governo

WhatsApp Pinterest LinkedIn +
Cristina Silveira

Na quinta-feira (25), ouvi e vi o prefeito de Itabira falar com o povo pela web. A sensação foi agradável e decorrente à inevitável comparação com o ex-prefeito Ronaldo Magalhães, de fala sem texto, de face choca, desbotado de empatia, essas características que desanimam o povo, afasta as massas da Prefeitura.

Ronaldo foi derrotado por Marco Antônio Lage (PSB). A vitória criou expectativa positiva, da esquerda à direita, também atraiu a extrema direita, dado que o vice é bolsonarista.

De todo modo, a caneta está nas mãos do prefeito, que conheci desde que nasceu e posso afirmar não ser fascista e cultiva o sentido da dignidade humana.

“Somos ondas do mesmo mar, folhas da mesma árvore, flores do mesmo jardim”. (República Popular da China, 2020).

Zana, a Fada Madrinha, é reintegrada na Itaurb: “Era meu sonho ser vigilante de novo” (Foto: Reprodução)

Itaurb: lavou a alma dos vigilantes da empresa! Ao vivo reintegrou os trabalhadores injustiçados, representados por uma mulher: Zana. Zana, que na mitologia grega e romena significa Fada Madrinha.

Certa de ser merecedora do uniforme novo entregue pelo prefeito, Zana, emocionada, agradecida e comprometida, respondeu ao Marco Antonio: “o maior sonho de minha vida é ser vigilante de novo”.

Tranca-Rua: medida importante pra vencer a guerra contra a pandemia da Covid-19. A Prefeitura deve ser dura, duríssima com os comerciantes; em todo o país os comerciantes hedonistas acreditam que serão preteridos pelo vírus sedento de mutação para sobreviver.

A Acita é uma instituição corporativa das mais antigas, criada no tempo do Matto Dentro, na Cidadezinha. Mas já não é mais o que foi, não cultiva o espírito municipalista a exemplo de um ex-presidente, Altivo Drummond de Andrade, agrônomo, advogado, presidente da Câmara de Itabira.

Como disse o presidente Lula da Silva, o querido Jararaca – há 41 anos no ranquin de maior líder político da história da República – “primeiro vamos vencer a pandemia, depois cuidaremos da economia”. É o certo e o certo é o justo.

“Amigo, seja bem-vindo! Esta é a minha casa. Entra. A casa é tua também. Não faça cerimônia, há sempre um lugar na mesa. Logo verás que em breve, nossos amigos, parentes, estarão conosco, no embalo de longa e gostosa conversa, no convívio fraterno de nossas lembranças, nossas vidas que se fazem história”. (do artista Márcio Sampaio, descrevendo a hospitalidade do povo de Santa Maria)

Santa Maria de Itabira: em companhia de 500 funcionários da Prefeitura, Marco Antonio fez o ato da caminhada até um povo, estendeu as mãos aos Garrucheiros em sua desdita, humanidade em tempos do pós-humano. Ninguém larga a mão de ninguém.

Ipoema/Carmo: Um conselho popular para os distritos de Ipoema e Carmo, tecnologia social para encurtar a distância entre o povo e o prefeito, E o José Inácio Vieira, foi vereador, é um cidadão que conhece a história de Ipoema. Portanto é capaz de vislumbrar o futuro, suavizar o presente. Uma boa parceria.

[parte de uma enorme ilustração de Cornélio Penna para O Jornal (RJ) de 25.12.1927]

Um jardim para Cornélio Penna: “É lindo demais”, frase de alegria do prefeito ao repetir …Itabira, minha melhor amiga… Então, como prerrogativa de prefeito, use e abuse da declaração, Itabira, minha melhor amiga. Será lindo demais quando o povo de Itabira puder declarar: Itabira, minha melhor amiga!

Pessoalmente o prefeito me deixou enchanté ao afirmar que irá atender o pedido do poeta Drummond. E quando a homenagem se realizar, mande rezar uma bela missa em louvação a alma do Cornélio Penna, naturalmente celebrada pelo bispo e padres, na igrejinha de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos e com o coral do Centro Cultural interpretando Cantiga de Viúvo, musicada por Villa-Lobos.

Compartilhe.

Sobre o Autor

4 Comentários

Deixe um comentário