Voluntários da Ampari e dos coletivos Mulheres na Praça e Brigadas Populares se unem pelas pessoas e pelos animais

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Boas ações geram parcerias altruístas pela vida das pessoas – e de gatos e cachorros que também sofrem com a pandemia, não pelo vírus que não os infectam, mas pela fome que tem sido ampliada em tempo dessa doença chamada covid-19 e que está assustando todo o mundo.

Aproveitando do sucesso da Campanha Solidária a Associação de Moradores e Protetores dos Animais da Região de Itabira (Ampari) se uniu a essa boa ação contra a crise e pela vida.

A campanha é uma iniciativa das ativistas do coletivo Mulheres na Praça e militantes das Brigadas Populares, organizações sociais, culturais e de mobilização por uma vida melhor, igualitária e justa para todos.

Assim é que, nas próximas distribuições de alimentos, cães e gatos serão contemplados com rações, distribuídas juntamente com as cestas básicas às famílias que estão em situação de vulnerabilidade com a pandemia.

Campanha pelos animais e pela vida

Trata-se de uma pareceria necessária e pragmática ao unir na mesma logística a distribuição de alimentos a quem perdeu o emprego ou que está impedido de trabalhar pela pandemia, sem se esquecer dos cães e gatos.

Afinal, muitas famílias têm seus animais de estimação que também precisam se alimentar. Foi daí que surgiu a parceria que amplia a campanha solidária, agregando mais essa boa ação.

Serviço 

Para a ação solidária, a Ampari agregou outros parceiros do comércio, que já doaram pacotes de 25 quilos de ração – e estão credenciados a receber doações de sacos de ração em suas lojas, que podem ser também de medicamentos e areia.

São esses os parceiros comerciais: Clinvest (38317596), Agrovida (38343864), Agroduarte (38311854), Casa do Agricultor (38311448), Casa do Amigão (38356233) e All Pets (38405008).

Para facilitar a logística de distribuição e evitar o contágio da covid-19, a campanha não está recolhendo alimentos. Doação de recursos para a compra de cestas básica pode ser feita pela “vaquinha eletrônica” http://vaka.me/973653.

Campanha solidária presta conta de sua primeira ação em Itabira 

Entrega de cestas básicas ocorreu em vários bairros e campanha prossegue com a pandemia

Criada assim que eclodiu a pandemia, com o início da quarentena, a campanha solidária fez a primeira distribuição de alimentos no dia 18 de abril.

Na ocasião foram distribuídas 25 cestas com alimentos e produtos de higiene e limpeza para famílias vulneráveis dos bairros Pedreira, Fênix, Bethânia, São Francisco e Água Fresca, beneficiando cerca de 100 pessoas vulneráveis e fragilizadas com a pandemia.

Segundo a prestação de contas dos organizadores, as cestas foram adquiridas no comércio local e continham os seguintes itens: açúcar cristal (5 Kg), arroz (10 Kg), biscoito de maizena (1un), café moído (500g), molho de tomate (500g), farinha de mandioca (1Kg),farinha de trigo (1Kg), feijão carioca (1Kg), fubá de milho (1Kg), macarrão (1Kg), óleo de soja (900 ml), lata de milho verde (200g), sal refinado (1 Kg).

Na cesta foram incluídos produtos de higiene e limpeza, com cada família recebendo quatro sabonetes, sabão em barra (1 pacote), água sanitária (2 litros) e pasta de dente.

Assepsia

Cesta básica diversificada inclui produtos de limpeza

Para a distribuição das cestas, todo cuidado foi tomado, com uso de máscaras e luvas, além de ser mantido o distanciamento entre voluntários e moradores contemplados.

Na ocasião da entrega, os voluntários enfatizaram a importância do isolamento social para prevenir a disseminação do vírus.

E também a necessidade de lavar as mãos com mais frequência, além de outros cuidados com a higiene em tempo de novo coronavírus.

São cuidados necessários para não infectar as pessoas e assim proteger as famílias, assegurando a vida como um bem maior que toda economia, que tem tempo para se recuperar.

 

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

2 Comentários

  1. Aguilay Silveira on

    Parabéns ao coletivo Mulheres na Praça e A Prigadas Populares pela iniciativa voluntária de solidariedade que o governo federal pela sua total falta de competência não consegue assistir.

  2. Cristina Silveira on

    enquanto isso, os comerciantes contribuem para a contaminação do corona. De um lado a solidariedade voluntária e do outro, os comerciantes, promovendo o festival macabro. FIQUE EM CASA! FIQUE EM CASA!
    FIQUE EM CASA! FIQUE EM CASA!

Deixe um comentário