Vereador desafia líder do governo a apresentar lista com nomes de todos terceirizados demitidos pela Prefeitura

1
Compartilhe.

A discussão que gerou o desafio começou quando o vereador Allaim Anderson Figueiredo Gomes (PDT) reforçou um pronunciamento do vereador Neidson Freitas (PP), presidente da Câmara Municipal de Itabira, ocorrido na sessão anterior.

Neidson denuncia calote do governo

Na ocasião o presidente da Câmara denunciou o calote de mais de R$ 40 milhões, que é o volume da dívida do governo de Minas Gerais com a Prefeitura de Itabira, assim como deve também aos outros 852 municípios mineiros. Todos amargam uma crise “nunca antes vista” pela falta de repasse do que é devido em impostos arrecadados, principalmente das parcelas de ICMS.

Allaim fala dos esforços do governo frente a crise

“Esses não repasses do governo têm levado a Prefeitura fazer cortes de despesas”, disse o vereador Allaim Gomes, na reunião de terça-feira (6).

Ele citou como exemplo a demissão de mais de 100 servidores em cargos comissionados e mais de 600 demitidos de funções terceirizadas. “Só assim estamos conseguindo vencer a crise que se agrava com a falta de repasses do que é devido pelo governo.”

Reginaldo lança o desafio: ele quer nomes

Foi o bastante para o vereador oposicionista Reginaldo das Mercês Santos (PTB) contestar esse desmesurado esforço para defender o que considera indefensável aos olhos da população.

“Sempre que se fala em crise, dizem que o governo está cortando gastos com pessoal. Eu faço um desafio: que apresentem aqui os nomes das pessoas que ocupavam os 120 cargos que teriam sido demitidos e também dos 600 demitidos em serviços terceirizados”, cobrou o vereador, que se queixa também do grande número de aposentados da Vale ocupando cargos de confiança na Prefeitura.

Carlinhos Silva aceita o desafio e dará nomes aos apadrinhados

Mas ele reconhece que há mesmo um aprofundamento da crise na cidade – e que recai sobretudo entre as pessoas socialmente mais vulneráveis.

“Temos mais de 20 mil desempregados que não têm nem mesmo uma cesta básica. E o governo continua contratando seus apoiadores. Inclusive contratou agora um ex-vereador para ocupar cargo de confiança”, estranhou.

No exercício de sua função de líder do governo, o vereador Carlos Henrique Silva Filho (Podemos) prontamente contestou o vereador oposicionista. E aceitou o desafio.

“Devo dizer que dos 120 ocupantes de cargos que foram demitidos, 18 foram por indicação do vereador Reginaldo. Vamos apresentar a lista com todos os demitidos, incluindo os nomes dos 18 indicados por Vossa Excelência”, prometeu o líder do governo na Câmara Municipal.

 

Sobre o Autor

1 comentário

  1. Cristina da silveira em

    Mas, me explique para que: tratar de assunto tão angelical se a dívida do prefeito com a cidade está no âmbito da ética. A câmara precisa urgente de tênis e salto alto. Fora, os pares de calça.

Deixe um comentário