Vale informa ao mercado que já tem adotado medidas cautelares e preventivas nas minas de Itabira

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Em comunicado ao mercado, a Vale informa sobre a interdição do complexo minerador de Itabira, além de apresentar as ações que tem adotado de combate à Covid-19 na empresa e na cidade.

E que aguarda o julgamento do mérito da ação, com a adoção das medidas necessárias para conter a pandemia, sob pena de aplicação de multa diária no valor de R$ 500 mil.

Assegura que as suas atividades minerárias em Itabira seguem todos os critérios técnicos e protocolos de segurança para proteger a saúde dos trabalhadores.

“A Vale tem consciência de sua responsabilidade socioeconômica e que, desde o início da pandemia, tem buscado meios para contribuir com a sociedade brasileira na luta contra o vírus, protegendo seus empregados e as comunidades no entorno de suas operações”, diz a nota da empresa.

Prevenção

Entre as medidas adotadas, a mineradora sustenta que segue a rigor o protocolo da Organização Mundial da Saúde (OMS), que consiste em testar, afastar, rastrear e tratar os casos positivos ou suspeitos.

E sustenta que com essas medidas contribue para o controle da pandemia nas cidades onde atua. “A Vale vem promovendo testagem em massa de seus empregados no Brasil, permitindo o mapeamento das pessoas que tiveram contato com o vírus e estão assintomáticas.”

Informa que até 5 de junho realizou testes em mais de 75% de sua força de trabalho (próprios e terceiros) no país. E que em Itabira já foi testada a quase totalidade de seus empregados.

“A testagem em massa oferece uma maior transparência do número de empregados da Vale que tiveram contato com o vírus, o que contrasta com a menor incidência nas comunidades do entorno, onde não há testagem em larga escala”, acentua.

Reafirma o propósito de se manter firme no apoio aos municípios onde atua no processo de testagem, como já vem ocorrendo em Itabira, com o apoio ao Hospital Nossa Senhora das Dores. Tudo isso sem prejuízo de outras medidas como a doação de 5 milhões de testes ao governo brasileiro.

Outros cuidados

Ainda para assegurar a segurança de seus empregos, além dos testes rápidos,  já no inicio da pandemia a mineradora teria adotado outras medidas preventivas, como a adoção do trabalho remoto (home-office).

Outra iniciativa foi afastar dos locais de trabalho os empregados com idade acima de 60 anos, ou com fatores de risco relevantes. O número de pessoas nas áreas operacionais também foi reduzido, com escalonamento de turnos, uso obrigatório de máscaras nas unidades.

E também com triagem diária na chegada dos trabalhadores nos locais de trabalho, quando eram, até a suspensão das operações nas minas, quando eram submetidos à aferição de temperatura corporal e aplicação de questionário de saúde para 100% do efetivo.

No transporte, a preocupação tem sido também com o distanciamento social e controle do número de passageiros, com aumento da frota de ônibus.

Tudo isso, além da redução do número de empregados nos refeitórios e higienização permanente das instalações e equipamentos operacionais, é o que a empresa assegura que já vem fazendo em suas unidades operacionais.

Queda de produção                

Com produção mensal esperada de 2,7 milhões de toneladas no complexo de Itabira, com a parada das minas a a Vale informa ao mercado que pode ocorrer desabastecimento temporário de pelotas para o mercado interno.

Isso enquanto permanecer a paralisação em Itabira, que fornece pellet-feed para as usinas de pelotização de Tubarão (ES).

Informa ainda que, para este ano, o volume de produção de minério de ferro considera um impacto negativo de 15 milhões de toneladas decorrentes de eventuais impactos da Covid-19.

Compartilhe.

Sobre o Autor