Vale diz ter atendido todas condicionantes e que está aberta ao diálogo com Itabira

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Em resposta a este site para a série de reportagens que vem publicando alusivas aos 20 anos da concessão da Licença de Operação Corretiva (LOC), do Distrito Ferrífero de Itabira, ocorrida em 18 de maio de 2000, pela Câmara de Mineração do Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam), a mineradora Vale encaminhou a nota a seguir à redação da Vila de Utopia.

“A Vale esclarece que atendeu às exigências impostas pela LOC, obtendo a renovação da Licença Ambiental com o Órgão Ambiental competente. Mesmo assim, sempre que acionada, esclarece sobre o tema no âmbito de um grupo de trabalho composto por representantes da empresa e do Município, reafirmando seu compromisso com a transparência e o diálogo. 

Importante reforçar que as condicionantes de atendimento contínuo, como o monitoramento de particulados e qualidade das águas, são executadas permanentemente. A empresa está empenhada na busca de modernização e melhoria contínua de seus processos, como no caso da instalação, por mera liberalidade, de estações de monitoramento de particulado PM 2.5. Esse processo aguarda a chegada de equipamentos importados. 

Em abril, Vale, Prefeitura de Itabira e Universidade Federal de Itajubá (Unifei) oficializaram convênio da ordem de R$ 100 milhões, em cumprimento ao protocolo de intenções assinado em outubro de 2019, durante o Fórum Itabira Sustentável. A parceria tem o intuído de apoiar a cidade a se tornar um polo de educação e inovação referência no Estado.

O recurso será destinado para ampliação do Campus da Unifei no município, programas educacionais e fomento ao empreendedorismo de base tecnológica. O montante vai viabilizar a construção de mais três prédios da universidade, com salas de aula e laboratórios, além de programas de educação definidos pelo Hub de Educação e Tecnologia de Itabira. 

O valor será repassado de forma gradual conforme cronograma de etapas já estruturado. A iniciativa também contribuirá para reduzir a dependência econômica de Itabira da mineração.

O investimento nessas áreas é resultado de uma série de discussões e estudos do Grupo de Trabalho (GT), liderado pela Prefeitura de Itabira, para buscar alternativas de diversificação econômica para a cidade.

A Vale reafirma o seu compromisso com a comunidade de Itabira, contribuindo para o desenvolvimento local, e a segurança de suas operações, de seus empregados e das localidades onde atua.”

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

1 comentário

  1. Antônio Basílio Mota, itabirano do Mato Dentro on

    A Vale sempre afirmando que está aberta ao diálogo. Mas diálogo com quem? Com o prefeito e vereadores que são sempre cordados? Ou com a Inter que não deu um pio sequer sobre os riscos das barragens? Ou com a Acita que está sempre de pires nas mãos mendigando ajuda para esse malfadado programa WIN que é de autoelogio à classe empresarial e de um puxassaquismo descarado à mineradora? Existem outras vozes que precisam ser ouvidas, não só aquelas que dizem sempre amém ao que a Vale quer. Ouça a voz do povo, mas não só aquelas que sempre chegam com o pires nas mãos atrás de migalhas. Diálogo só com as vozes concordantes é querer buscar a unanimidade burra. Assim não vale, Vale!
    Antônio Basílio Mota

Deixe um comentário