Triar brilha no palco do 4ª Arte, da Unifei, com belas vozes e arranjos musicais primorosos de Zeca Rodrigues

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

A programação cultural do projeto 4ª Arte, nessa quarta-feira (24), no campus da Unifei-Itabira, apresentou o grupo vocal Triar, que retorna de uma turnê pelo estado do Pará. O grupo se apresentou com um repertório diversificado da música brasileira, e também internacional.

O Triar resgata canções marcantes de consagrados compositores brasileiros – todas revisitadas pelos arranjos primorosos de seu diretor musical, o músico, cantor, compositor e arranjador Zeca Rodrigues (leia mais aqui).

O Triar é um grupo vocal que recria clássicos da música brasileira, e internacional, com arranjos originais de Zeca Rodrigues (Fotos: Carlos Cruz e Divulgação)

O que se ouviu foi uma bela combinação harmônica entre vozes doces, e ao mesmo tempo enérgicas, do grupo vocal. A apresentação no campus da Unifei foi sucesso entre universitários, professores, funcionários e convidados.

A apresentação do grupo deixa seu registro na história da rica e diversificada programação do 4ª Arte, um programa de extensão universitária cultural da Unifei/Itabira, já com mais de três anos de sucesso com as suas intervenções marcantes. O projeto valoriza a cultura e a arte na terra de Drummond, sempre trazendo boas novidades artísticas, intervenções e reflexões importantes para entender a atual cena brasileira e do mundo (leia mais aqui).

Público curtiu, e até tricotou, enquanto ouvia as belas músicas interpretadas pelo Triar, no campus da Unifei/Itabira

Essa foi a segunda apresentação do grupo em Itabira. A primeira foi no dia 22 de fevereiro, na estreia do projeto Jardim Sonoro, do Coletivo Altamente.  (leia aqui).

A pianista, cantora e também regente Nana Mendonça, que já esteve à frente do coral da Unifei, é uma das integrantes do Triar.

Para ela, a iniciativa do 4ª Arte é muito importante por fortalecer a arte e a cultura no ambiente universitário, com forte interação com a comunidade itabirana.

“É sempre uma grande alegria retornar a este palco”, disse ela na abertura do show, relembrando o tempo em que esteve à frente do coral da universidade, tendo ficado boas amizades e recordações que ela guarda viva na memória.

Turnê amazônica

Após a apresentação de estreia, em Itabira, no Jardim Sonoro, o grupo vocal seguiu viagem para uma imersão artístico-amazônica pelo Norte do Brasil, em março. A turnê teve início pelo oeste do Pará.

Os musicistas do trio participaram como artistas residentes de uma apresentação no Espaço Cultural Seringal das Artes, em Alter do Chão, Santarém/PA. Às margens da Floresta Encantada, uma mata de igapó junto ao Lago Verde, o Triar despertou a curiosidade do público.

Apresentação do Triar no espaço cultural Seringal das Artes, em Alter do Chão, Santarém/PA

A apresentação reuniu artistas locais e profissionais das artes audiovisuais para a gravação de um documentário que está sendo produzido pela Globonews, sobre uma história emocionante compartilhada por Jô Malena, cantora e percussionista do Triar (https://www.vakinha.com.br/vaquinha/a-vaquinha-de-pai-inar).

Após essa imersão nas águas claras do rio Tapajós, o grupo seguiu para Belém. Foi quando participou da segunda residência artística, dessa vez no Casarão do Boneco, uma casa histórica datada do início do século XX.

Fica localizada no centro da capital paraense, que abriga todo acervo do grupo de teatro de bonecos, In Bust. Quem se lembra do Macaco Preguinho e da Dona Preguiça do Catalendas, programa de televisão exibido pela TV Cultura?

No Casarão do Boneco os integrantes do Triar ministraram o workshop Canto em Expressão, com práticas em canto coral e corpo em expressão. “O Triar vem com a proposta de trazer um olhar sobre o canto não apenas ligado à técnica, à mecânica ou à construção de timbres, mas também ao afeto e à maneira como a música se expressa em nós, na nossa memória afetiva. Dar significado à palavra estática e inanimada, por meio da emoção e do canto em expressão”, define Nana Mendonça.

Além disso, os artistas do Triar participaram ao vivo do programa Sem Censura, da TV Cultura/PA, falando sobre sua agenda e contando um pouco sobre seu trabalho musical.

Encontro de culturas

O encontro entre as culturas mineira e paraense foi para além da música. No Núcleo de Conexões Ná Figueredo, em Belém, aconteceram mais dois eventos.

Na oficina gastronômica Conexão Sabores Minas Pará, as irmãs mineiras de Itabira, Ná Mendonça e Jô Malena, compartilharam a receita do tradicional pão de queijo.

A iguaria mineira foi preparada e servida ao público com recheios paraenses típicos, como o pesto de jambú, molho de tucupi com camarão e doce de cupuaçu com castanha do Pará. As receitas desses recheios foram preparadas pelas mãos da chef paraense Camila Figueredo.

E para fechar com chave-de-ouro o encontro de culturas, o Triar se apresentou no palco do Núcleo de Conexões Ná Figueredo, com participação especial do ator e performer belenense Carlos Vera Cruz.

Para além-mar 

O grupo se prepara agora para fazer sua primeira turnê pela Europa, de maio a julho, passando por Portugal, Espanha, Itália, e Suíça.

Mas antes de partir para o velho mundo, o trio ainda lançará seu show Leve Coisa Nenhuma, em Belo Horizonte, na próxima quinta-feira (2/5), no Espaço Suricato, tendo como convidado especial o artista Kristoff Silva, ex-professor da Escola Livre de Música de Itabira. (https://www.sympla.com.br/show-do-grupo-triar__508278).

E antes ainda de o grupo partir para além-mar, e depois do show em BH, o Triar fará participação especial na gravação de single dos artistas Dan e Duca, na Serra dos Alves, distrito de Senhora do Carmo, em Itabira.

Contatos para shows:

grupotriar@gmail.com

(31) 999368008/ (021) 979741780

Redes Sociais:

https://www.facebook.com/grupotriar/

https://www.instagram.com/grupotriar/

https://www.youtube.com/channel/UC2T9smbJZfmTall0vjoioqw/featured

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

1 comentário

Deixe um comentário