Transita planeja instalar ciclofaixas na avenida Mauro Ribeiro já em setembro

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

A Superintendência de Transporte e Trânsito (Transita) deve iniciar, em setembro, a implantação de ciclofaixas na avenida Mauro Ribeiro. A medida será piloto de outras intervenções projetadas para melhorar o trânsito na cidade, que incluem a repintura das faixas de sinalização horizontais.

Posteriormente, instalações semelhantes devem ocorrer em outras avenidas, de acordo com o que prescreve o Plano Municipal de Mobilidade Urbana. A novidade foi anunciada, nesta quinta-feira (01), na reunião do Conselho Municipal de Meio Ambiente (Codema), pelo superintendente da Transita, Willame Aguiar de Almeida, que é também conselheiro do órgão ambiental do município.

Imagem ilustrativa de uma ciclofaixa, semelhante a que será implantada na avenida Mauro Ribeiro

Para implantar as ciclofaixas, os conselheiros do Codema aprovaram um aporte de R$ 400 mil, provenientes do saldo do Fundo Municipal de Gestão Ambiental (Fega).

“Na próxima reunião do Codema, em setembro, iremos apresentar o plano diretor das ciclofaixas, e também de ciclovias para diversas localidades, interligando diferentes pontos da cidade”, prometeu a presidente do Codema e secretária municipal de Meio Ambiente, Priscila Braga Martins da Costa.

A implantação das ciclofaixas tem previsão de ocorrer também, inicialmente, nas avenidas Duque de Caxias e Ipiranga, no bairro Amazonas. O objetivo é oferecer mais segurança aos ciclistas, seja para o lazer – e também para melhorar a mobilidade urbana.

“É uma alternativa de transporte que pode contribuir para reduzir o número de veículos no trânsito, incentivando o uso da bicicleta como opção para a mobilidade urbana”, explica o superintendente Willame de Almeida.

Foi essa, inclusive, a justificativa para que os conselheiros do Codema aprovassem a destinação de recursos do Fega para o projeto. Isso pelo que pode resultar na redução da emissão de dióxido de carbono pelos veículos motorizados, diminuindo a poluição do ar.

Custo e praticidade

A opção pelas ciclofaixas é em razão da praticidade e também do custo, que é menor. Para implantar uma ciclovia seria necessário um espaço maior, abrindo-se uma faixa exclusiva para circulação de ciclos.

Willame de Almeida explicou aos conselheiros do Codema como será a implantação das ciclofaixas

Já na ciclofaixa, parte da pista de rolamento fica destinada exclusivamente para os ciclos, mas sem separação física, apenas delimitada por faixas. Essa delimitação é feita por sinalização específica.

A ciclofaixa a ser implantada na avenida Mauro Ribeiro será unidirecional, junto ao canteiro central, nos dois sentidos. Para que isso ocorra, as pistas de rolamento deixarão de ser duas, para ser somente uma, com largura de 5,5 metros.

Será mantido o estacionamento de 2,2 metros. A velocidade para a localidade não será alterada, mantendo-se os atuais 40 quilômetros por hora.

“Outra opção é a ciclorrota, também definida pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB)”, afirma Willame de Almeida. Para a ciclorrota não se destina uma faixa específica para as bicicletas. Mas conta com sinalização horizontal com advertência aos usuários de que se trata de uma via mista, compartilhada entre veículos motorizados e bicicletas.

Essa opção será inicialmente instalada no entorno da rotatória da travessa Duque de Caxias e a avenida Mauro Ribeiro. Nessas localidades, a velocidade será limitada em 30 quilômetros por hora.

Na Semana Nacional do Trânsito, em setembro, a Transita irá desenvolver uma campanha educativa direcionada aos ciclistas e aos motoristas. O objetivo é conscientizar para uma relação harmoniosa no trânsito em Itabira.

Transporte coletivo

Pneu careca é ameaça no transporte coletivo, que precisa ser vistoriado

O incentivo ao ciclismo deve ser visto como uma das opções alternativas de mobilidade urbana, mas sem se esquecer, contudo, da necessidade de melhorar a eficácia da prestação de serviços pela empresa concessionária do transporte coletivo na cidade.

Há muita reclamação com relação a esse serviço, que precisa ser melhorado inclusive nos aspectos de segurança, ampliação dos horários e das rotas. Outra reclamação recorrente é da falta de pontualidade.

A vistoria do estado de conservação dos veículos também precisa ser intensificada pela Transita. Recentemente, em um ponto de ônibus da cidade, a reportagem deste site constatou que todos os veículos estacionados no local estavam com pneus desgastados. Todos impróprios para o uso, mas que continuavam rodando.

 

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

3 Comentários

  1. Aguilay Silveira on

    Bela iniciativa.
    Sou amante da magrela como esporte e até mesmo como lazer.
    Incentivar atividade fisica é também papel importante, é saúde pública.
    Mas tenho muitas dúvidas.

    1° porque usar o recurso do Fega para este projeto? 400 mil é bastante dinheiro.
    O Fega é aquele recurso para o projeto preservar para não secar ? Se sim ta errado usar este recurso né.
    Isso não seria pedalada fiscal?

    2° A cidade é bastante acidentada para a prática do ciclismo portanto usar como proposta para diminuir a quantidade de carros me parece uma medida descabida.

    3° Qual o percentual da população que utiliza a bicicleta como meio de transporte.
    Eu só conheço 1 pessoa que vai trabalhar todos os dias na Unifei de bicicleta.

    4° E a melhoria no transporte coletivo como fica?
    Temos poucas rodas e horários muito espaçados.

    5° E as calçadas que em grande parte da cidade inexiste.

    Não sou contra a ciclofaixa muito pelo contrário, vou inclusive utilizar. Mas penso que está proposta beneficiará a população esportiva, enquanto precisamos pensar e dar a maioria da população que utiliza o transporte público uma qualidade que hoje é deficitária.
    Incentivar o transporte público também é uma excelente forma de tirar carros das ruas e assim melhor o trânsito e a qualidade do ar.
    É isso.
    Quero melhoras para todos.

  2. Vamos aos fatos: a rotatória da Praça Acrísio tem projetos para resolver aquele enforcamento? Se tem, por que não aplicar o projeto. Quantos automóveis, caminhões, ônibus, motocicleta, utilitários, SUVs, patinete existem na cidade? Tem um estudo sobre este quantitativo? Sem tem divulgue. Mostre ao itabirano. Foi avaliado o impacto com diminuição da largura da avenida, em relação ao trânsito naquele local? São perguntas que queremos debater, e colocar em prática a questão do trânsito desta Urbe. Planejar é garantir o bom emprego da verba pública. Transita tem esta função, de planejar, organizar, legislar, fiscalizar, e exigir o cumprimento das normas de trânsito que regem sobre a cidade. Transporte urbano, transporte de escolar, transporte público, outorga, concessão, vistorias e cobrar os que estão nos Decretos do Detran MG e as exigências do CONTRAN, e promover a qualificação dos condutores de escolares, moto frete, moto taxista e condutores de táxi dentro da competência municipal.

  3. Pingback: Prefeitura de Itabira abandona projeto de ciclofaixas, piloto de ciclovias, e instala modestas ciclorrotas com recursos do Fega - Vila de Utopia

Deixe um comentário