Trabalho em casa veio para ficar entre empregados da Vale com misto de espaços colaborativos, anuncia a mineradora

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Com a pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov2) não se pode dizer que se tem um “novo normal”, pois isso não pode ser visto como normal, mas como uma excepcionalidade que vai passar com a chegada das vacinas.

Mas muitas situações antes tidas como normais e imutáveis tendem a se modificar. É o caso do trabalho remoto (home-office), adotado por muitas empresas – e que tende a virar rotina para muitos empregados que podem executar as suas funções em casa com segurança e com economia para a empresa, inclusive do cafezinho.

É assim que a mineradora Vale anuncia que o novo sistema será adotado daqui para frente como forma permanente, combinando um modelo de trabalho flexível em casa com uso de espaços colaborativos.

Segundo nota divulgada pela mineradora, a pandemia teria acelerado mudanças que já estavam em curso na empresa. Desde março de 2020, todas as funções administrativas e de suporte operacional vem sendo executadas em home-office. E assim devem permanecer, mesmo após a pandemia virar página virada na história do país e do mundo.

É que o novo modelo de trabalho foi considerado produtivo – e passa a ser adotado pela mineradora em larga escala e de forma global. A justificativa é pela proteção da saúde e por ser um meio mais seguro para a execução de tarefas que não exigem presenças nos locais trabalho. E não deixa de ser também uma forma de economia.

Para isso, a empresa diz que vai adotar o formato flexible office, que tem por base o tripé de gestão com as modalidades on-site (posições fixas nas operações), off-site (trabalho remoto) e near-site (hubs colaborativos).

A justificativa é que, pelo modelo flexível, os empregados podem alternar a execução de suas funções entre o trabalho remoto e encontros presenciais nos hubs, e com até mesmo visitas restritas e planejadas nas operações.

Somente as funções operacionais serão presenciais, executadas nos locais de trabalho (on-site), até mesmo pelas suas características. Afinal, ainda não dá para operar um caminhão fora de estrada do escritório em casa, pelo menos por enquanto.

É assim que espera assegurar a continuidade operacional do seu negócio com total segurança.

Antecedentes

A Vale diz que desde no ano passado, antes mesmo da pandemia, já vinha adotando o trabalho remoto. E que vem estudando a adoção de formatos de trabalho considerados “mais modernos e alternativos.

“Estamos construindo um novo modelo de trabalho e ele será resultado da contribuição de cada um de nossos colaboradores. Seguiremos avançando neste novo formato da Vale que queremos, no qual o bem-estar e a segurança das pessoas estão em primeiro lugar”, afirma o diretor-presidente da Vale, Eduardo Bartolomeo, para quem a mudança exige aprendizado contínuo.

A mudança com esses novos modelos ganhou até um programa específico na empresa, chamado Jornada Vale. Segundo a sua gerente executiva e líder do programa, Josilda Saad, trata-se de um novo cenário global e desafiador, que nos últimos meses aglutinou os esforços visando a mudança de cultura da empresa, já com resultados positivos.

De acordo com ela, já no início da pandemia a empresa vinha se preparando para realizar parte do trabalho remotamente. “Fizemos uma pesquisa interna e o resultado mostrou que mais de 75% dos respondentes se sentem produtivos em trabalhar em home office. Para nós, isso já foi um sinal de que estamos no caminho certo”, afirma.

Espaços colaborativos

Nesse contexto de mudança do mundo trabalho, nas proximidades das unidades operacionais da mineradora, no país e no mundo, serão instalados espaços colaborativos (hubs), ambientes seguros “destinados ao engajamento, desenvolvimento e treinamento de equipes.

Esses espaços contarão com mesas flexíveis e salas de reunião adaptadas para áreas de integração e colaboração. “Estamos transformando nossos escritórios atuais em hubs e previsão é de que comecem a ser disponibilizados a partir de março de 2021″, adianta Saad.

Além dos espaços já existentes, no país serão abertos sete novos hubs distribuídos nos estados de Minas Gerais, Espírito Santo, Maranhão e Pará. No exterior, haverá pelo menos 10 hubs em países como Canadá, Omã, Indonésia e China.

Mudança deve ser lenta, gradual e estratégica

Na implantação do novo modelo, a Vale informa que já estabeleceu alguns “gatilhos de segurança” como forma de prevenção frente à pandemia.

Adianta que o novo modelo flexible office só será implantado de forma definitiva depois que os critérios forem atingidos. Para isso, foi colocado em prática uma estratégia de gestão de mudanças. Visa atender aos novos requisitos técnicos, de processos e tecnológicos.

A expectativa é criar um novo ambiente de trabalho integrado e colaborativo. Para isso, estuda modelos de benefícios que atendam às necessidades específicas, além de “garantir o bem-estar dos empregados que estão em regime de trabalho remoto”, é o que promete.

Alguns benefícios já foram incorporados, a exemplo do pacote de auxílio à ergonomia, para a aquisição de itens que tragam maior conforto e qualidade à rotina (cadeira, mesa e outros suportes.

“A empresa vem realizando conversas contínuas com suas equipes para que as mudanças em curso sejam adotadas em conjunto e atendam a todos os empregados.”

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário