Trabalhadores da Vale de Itabira aprovam contraproposta patronal de acordo específico

0
Compartilhe.

Em assembleia extraordinária realizada em dois horários, nessa sexta-feira (7), na sede do sindicato Metabase, no bairro Pará, foi aprovada a contraproposta da Vale às reivindicações específicas de seus trabalhadores, do complexo de Itabira. A contraproposta foi uma resposta patronal à pauta específica anteriormente apresentada pela categoria.

Com participação de 106 trabalhadores, a contraproposta da Vale foi aprovada por 80 votos (75%), registrando-se 24 posicionamentos contrários (23%), com duas abstenções.

A participação dos trabalhadores nos encaminhamentos das discussões de cada item da contraproposta foi considerada bastante positiva. “Acredito que, com os ganhos que obtivemos com a pauta específica, teremos os trabalhadores mais motivados para a luta por um acordo coletivo melhor para a categoria neste ano”, projeta o presidente da Metabase, André Viana.

Entre as conquistas obtidas com o acordo específico, o sindicalista cita a permanência da mesma data-base (1/04) para aprovação do novo acordo, que terá vigência reduzida de dois anos para um ano.

A redução desse prazo é considerada importante por permitir avaliar o cumprimento do que foi acordado entre trabalhadores e empresa, assim como também por permitir renegociar reajustes salariais anuais. E, também, por colocar em pauta novas demandas apresentadas pela categoria.

Outro benefício importante foi a implantação de uma linha de crédito do auxílio lanche no atual cartão alimentação. Para isso, o crédito de R$ 177,84 será adiantado, com média de R$ 8,20 por dia trabalhado. O valor total será pago de forma integral para todos empregados do turno. E não haverá desconto em caso de faltas, folgas, férias.

Ainda entre os ganhos específicos, a categoria obteve o aumento do número de passes livres para viagens no trem de passageiros da Estrada de Ferro Vitória a Minas (EFVM), tendo saltado de quatro passes para seis por ano para os trabalhadores na ativa, valendo também para aposentados e pensionistas.

Outra conquista importante foi o aumento do auxílio creche/maternal. Passa a ser de R$ 920,83 até o 36º mês de idade da criança – e de R$727,91 do 37º ao 72º mês de vida.

Ganhos específicos motivam categoria a manter mobilização por melhorias trabalhistas, diz sindicalista

Trabalhadores votam e aprovam contraproposta da Vale para acordo específico com a categoria

Para André Viana, a boa mobilização ocorrida na assembleia motiva os trabalhadores a se manterem unidos para agregar forças e fortalecer as reivindicações da categoria. Isso, acredita, será importante para assegurar um acordo coletivo de grandes conquistas.

“As discussões das reivindicações específicas serviram também para unir a categoria. Trata-se de um momento distinto daquele que depois daremos início para debater e aprovar a pauta para acordo nacional”, explica o sindicalista.

Viana relaciona como tendo sido motivador para a categoria a mobilização em torno das discussões sobre as melhorias nas condições de trabalho nas minas Conceição, Cauê e Periquito.

Entre os itens debatidos da pauta específica, constou a necessidade de melhorar o transporte, como também da readequação dos uniformes, que não atendem às necessidades dos empregados nos diferentes locais de trabalho.

Na assembleia, a diretoria do sindicato respondeu às dúvidas dos trabalhadores e abriu a discussão para que cada participante pudesse entender, analisar e bem avaliar a contraproposta patronal.

“Há tempo não se via aqui no sindicato uma participação tão efetiva da categoria, que compareceu em bom número de trabalhadores”, avalia o vice-presidente do sindicato, Carlos “Cacá” Estevam Gonzaga, para quem as perdas constantes de benefícios, no passado, resultaram na baixa participação dos trabalhadores nas assembleias.

Entre as perdas do passado, o sindicalista cita a restrição de benefícios indiretos, como foi o que ocorreu com a redução do passe-livre no trem de passageiros da EFVM. Antes, conta o sindicalista, a empresa concedia 12 passagens ao ano para cada empregado. Reduziu para oito, depois caiu para quatro.

Já agora, com a contraproposta aprovada, a empresa concede mais seis passagens, com o benefício sendo estendido aos aposentados e às pensionistas. Para o sindicalista, as pequenas conquistas motivam os trabalhadores a manter a mobilização necessária para fortalecer a categoria nas negociações do próximo acordo-coletivo de trabalho.

 

Sobre o Autor

Deixe um comentário