Sem Neymar, Brasil conquista a América e é campeão

0
Compartilhe.

Luiz Linhares*

No futebol o Brasil volta a dominar a América do Sul. É bom, é muito bom com certeza. Vencer, comemorar e cantar o hino Nacional é algo que nos faz muito bem e nesses últimos vinte dias o fizermos de bom grato, como algo que nos faz bem e alimenta.

Não foi como nos belos tempos, nada de brilhantismo e mesmo de saudosismo. O que importa é que ontem levantamos o caneco e somos merecidamente campeões da Copa América.

Se ao longo da disputa a seleção não entusiasmou, com exceção do jogo contra a seleção peruana na fase primeira, pelo menos foi bem competente na forma defensiva.

A seleção segurou bem a barra. Passou por situações de adversidade com perda de qualidade ao longo do jogo. Certo é que se deu bem e contou também com uma boa dose de sorte,

Sorte essa que para o craque argentino Messi se passa por arrumação ou favorecimento. Prefiro entender que no futebol e mesmo com a presença do polêmico árbitro de vídeo existem situações de interpretação e que muitas delas não relatam aquilo que eu ou você interpreta.

Voltando ao que interessa, entendo que a seleção não é mais tão brilhante, mas continua com excelência. E esta conquista por não ter tanta importância a nível mundial, nos habilita a continuar caminhando e galgando os espaços que um dia ou época nos pertenceu.

Que é bom ver um ponta como antigamente e ter o Everton Cebolinha fazendo este papel, isso levanta a nossa autoestima. Mas muito melhor é conquistar um caneco sem depender de Neymar, que não fez falta. Vencer sem ele foi muito bom e eleva a autoestima dos demais jogadores

Outro orgulho foi ver mais uma competição ocorrer em nosso país de forma pacifica, organizada e sem muitos atropelos. Coisa muito boa para esse novo momento que vivemos.

Já na Copa do Mundo Feminina deu Estados Unidos. Venceram a Holanda até com certa facilidade – e conquistaram o Tetra Campeonato Mundial, mostrando que estão anos luz à frente.

Para Marta e companhia fica a certeza de que com uma maior integração, mais investimentos, com a esperança de que novas e talentosas meninas irão surgir, o Brasil entra na disputa para brigar de igual por igual com as forças do momento. É o que torcemos para que aconteça.

Nesta semana tem início o duelo entre Cruzeiro e Atlético pela Copa do Brasil

Cruzeiro volta a campo nesta semana sem reforços, mas com renovada disposição (Fotos: Divulgação)

Pré-temporada concluída para Cruzeiro e Atlético, que iniciam, nesta semana, a disputa das Quartas de final pela Copa do Brasil, com o clássico mineiro, primeiro no Mineirão e o segundo no Independência, ainda neste mês de julho.

Equipes cheias de suspense, com treinos secretos e muito segredo pelo que foi feito e mesmo pela manutenção ou mudança em suas formações.

Ambos fizeram jogo treino com o América e foram derrotados. Nada de anormal, acredito que só será possível conhecer a nova cara de ambos na hora do jogo desta semana no primeiro duelo para ver quem continua na Copa do Brasil.

E enfrenta o rival Atlético, que tem Otero de volta

Cruzeiro busca se reabilitar e reencontrar o futebol que entusiasmou nos primeiros meses do ano. Nada apresenta de novas caras ou de reforços. Ao contrario, perde Lucas Silva, perde Raniel negociado. E busca ser vencedor novamente.

Já o Atlético tem reforços, digamos, com o retorno de empréstimo do venezuelano Otero, que passa a ser o mais dá esperança ao torcedor alvinegro.

Outros reforços como o lateral  Lucas Hernandes e o volante Ramon Martines terão que provar ao treinador que têm condições de brigar pela titularidade.

Um outro ponto importante no Galo é a efetivação do Rodrigo Santana como treinador, fato que certamente o coloca bem mais animado e também com uma responsabilidade redobrada.

*Luiz Linhares é diretor de Esportes da rádio Itabira-AM

 

Sobre o Autor

Deixe um comentário