Sem energia elétrica, e gerador, Centro Odontológico municipal deixa de atender pacientes agendados

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Por falta de energia elétrica, dez pacientes com consultas previamente agendadas deixaram de ser atendidos no dia 13 de setembro, no Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), na avenida João Pinheiro, no centro da cidade, onde funciona também o Pronto-Socorro Odontológico.

Para dar manutenção à rede, a Cemig cortou a energia entre 10h e 14h30. Segundo a Prefeitura, não houve aviso prévio, o que é desmentido pela empresa concessionária e distribuidora de energia elétrica.

“Imagine se no momento do corte de energia estivesse ocorrendo uma cirurgia, uma extração de dente de siso?”, pergunta a auxiliar de saúde bucal, Karina Moura, para quem a instalação de um gerador de energia no local teria evitado todo esse transtorno aos pacientes.

“Se não é uma exigência legal, é uma questão de bom senso, uma necessidade e uma medida de segurança para o paciente e para o profissional que o atende”, considera.

A servidora municipal tem sistematicamente apontado folhas e sugestões de melhorias para o atendimento na área de saúde. “Será que a Prefeitura não tem dinheiro para instalar um simples gerador de energia que até muitos comércios têm?”, questiona.

Respostas

Em resposta à redação, a Secretaria Municipal de Saúde diz que a Cemig não informou à Prefeitura e nem publicou comunicado nos sites da cidade. “Desse modo, não havia possibilidade de avisar aos usuários agendados, mesmo porquê o corte ocorreu no meio da manhã”, diz a nota, que é assinada pela secretária Rosana Linhares, além da diretora de Saúde Bucal, Beatriz Araújo e pela superintendente de Ações em Saúde, Heloísa Martins.

Entretanto, essa versão é desmentida pela Cemig. Em nota encaminhada a este site, a empresa assegura que “enviou comunicado ao cliente no dia 30/08, às 13h48, para o e-mail gp@itabira.mg.gov.br.”

Informa ainda que, além de enviar a informação diretamente à Prefeitura, um comunicado geral foi publicado em um dos sites da cidade, com ampla e prévia divulgação.

De acordo com a Cemig, a interrupção de energia no local foi necessária para que fossem executados serviços de melhoria da rede elétrica, com instalação de transformador e poste.

Atendimentos foram remarcados, informa Secretaria de Saúde

A Secretaria de Saúde informa que os pacientes que ficaram sem atendimento tiveram as consultas remarcadas para datas mais próximas disponíveis nas agendas dos profissionais.

Diz também que não há recurso financeiro para instalar um gerador de energia no CEO, assim como nas demais unidades ambulatoriais do município. “Não são serviços de atendimento de urgência, emergência e ou de internação”, justifica.

No CEO o usuário conta com seis gabinetes dentários, mas a fila de atendimento é longa

Salienta ainda que, de acordo com regulamentação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a instalação de gerador de energia só é obrigatória “em hospitais e nos serviços de urgência e emergência que precisam de suporte de vida 24 horas”.

“Portanto, não instalar gerador de energia no CEO, ou nas demais 29 unidades ambulatoriais do SUS municipal, não é questão de bom senso, mas de respeito ao regramento. E, mais, respeito aos princípios da administração pública”, afirmam as signatárias da nota enviada a este site.

Para o cumprimento desses princípios (legalidade, moralidade, eficiência), afirma que cabe ao gestor público sempre avaliar o “custo-efetividade” das ações adotadas, que é para evitar desperdício de recursos com mais resultados.

“O custo de aquisição e manutenção permanente de geradores é elevado”, diz a nota, e não se justifica a sua instalação em serviços de atendimento programado.

Isso por serem serviços que “não implicam risco à vida”, com baixo número de eventos de corte de energia (cerca de dois ao ano). Dadas essas circunstâncias, assegura que é prejudicial ao erário municipal. “Por isso, não se trata de bom senso”, rebate a nota da Prefeitura, ao negar o pedido de se instalar um gerador de energia elétrica no CEO.

Para saber mais

O Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) funciona de segunda a sexta-feira, de 7h às 19h. Dispõe de 14 cirurgiões dentistas, 19 auxiliares de saúde bucal, dois assistentes técnicos administrativos, três técnicos de radiologia, um gerente e um auxiliar de serviços gerais.

Segundo informa a Secretaria de Saúde, “os pacientes do CEO são referenciados pelos dentistas das equipes de Saúde da Família”. O agendamento para atendimento odontológico é feito na Secretaria Municipal de Saúde.

Em média, são agendados 1,2 mil pacientes mensais nas diferentes especialidades: cirurgia, endodontia, pediatria, periodontia, prótese (total, parcial, removível, fixa) e PNE – Pacientes com Necessidades Especiais.

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário