Rodada favorável aos times mineiros. Cruzeiro já vê o céu mais azul, mesmo que ainda não seja de brigadeiro   

WhatsApp Pinterest LinkedIn +
Luiz Linhares*

É bem verdade que o último fim de semana foi mais um daqueles de apreensão, em decorrência da pandemia e do retrocesso à onda vermelha, como alerta pelo aumento nos números de infectados pelo novo coronavírus.

Com isso, voltaram as restrições no que se refere principalmente a vida noturna em bares e casas de espetáculos. Já no futebol, para os mineiros, a rodada foi perfeita para Atlético, Cruzeiro e América. Todos venceram seus compromissos e somaram pontos importantes cada um em sua casinha.

Na sexta-feira, o Cruzeiro completou seu giro de dois jogos pelo Nordeste. Antes havia empatado em Maceió contra o CRB sem deixar boas lembranças. Pelo contrário, mostrou muita inoperância e pouca inspiração.

Deixou escapar a possiblidade de somar mais três pontos de forma contundente ante a fragilidade do adversário. Não deu certo e, na cabeça do treinador, somar quatro em seis pontos fora seria de bom agrado.

E foi com esse pensamento que o Cruzeiro partiu para Salvador para enfrentar o Vitória. O que se viu, mais uma vez, foi um jogo truncado e sem grande brilhantismo. Salvou-se pelo empenho, tendo dominado no primeiro tempo, domínio este sem grandes perigos ou perturbações para o goleiro Fábio.

Ainda no final do primeiro tempo e em um dos raros momentos de inspiração, quando as boas jogadas acontecem, o gol saiu de um escanteio, com bola levantada pelo Felipe Machado e a penetração certeira no cabeceio do zagueiro Ramon. Foi quando se fez presente, mais uma vez, a força do ex.

Ao estilo Felipão a vantagem mínima se torna muitas vezes uma expressiva goleada e assim se desenhou o segundo tempo. O que se viu foi o time baiano tentando se impor com extrema falta de talento e qualidade, enquanto se viu um Cruzeiro bem aplicado na destruição. E, bem posicionado em campo, fez valer a vantagem do gol, conquistando a vitória de grande importância.

O time celeste enfrenta nesta semana o CSA no Independência, estádio onde passa a mandar seus próximos jogos da temporada. Sem torcida, o que vale mesmo é a redução de custos. O estádio tem bom gramado e o Cruzeiro tem boa retrospectiva quando lá passou.

O que não pode é pensar em tropeço neste compromisso, ainda mais que o time das letrinhas está na quinta colocação e é um rival em relação ao sonho de ainda subir.

Após essa partida, o Cruzeiro enfrenta na sexta-feira o Avaí em Florianópolis. Trata-se de uma pedreira das bem fortes e que, no caso de sucesso, pode avistar um horizonte bem azul.

São dez jogos até o final e tudo pode acontecer. As rodadas têm sido também em favor do Cruzeiro. É mais uma esperança, de grupo, de superação e de força de uma das camisas mais fortes deste nosso continente.

Atlético tem confronto direto no meio da semana com todos jogadores à disposição de Sampaoli     

Atlético vence e segue na disputa de título pelo campeonato Brasileiro (Foto: Divulgação). No destaque, o time do Cruzeiro já vê a luz no fim do túnel (Foto: Johny Pinho/AGIF)

O Atlético livre da Covid19 iniciou uma série de jogos fundamentais em relação ao resultado final da temporada. Foi a Curitiba, na Arena da Baixada, e conquistou uma vitória importantíssima contra o Furacão.

Venceu, ainda que por magro placar diante das oportunidades perdidas, mas mostrou um melhor equilíbrio de equipe. A defesa foi mais firme, com mais atenção nas marcações e no apoio dos laterais, com boa produção na criação de momentos de gol.

Vai ganhando força o chileno Eduardo Vargas. O jogador fez o gol, mostrou melhor adaptação do time que, de forma geral, levou muito perigo ao gol adversário.

Em síntese, o Atlético jogou por competição e dentro dos padrões normais. Sabia da necessidade de vencer e teve o objetivo alcançado, lembrando que ainda perdeu uma penalidade máxima mais uma vez desperdiçada pelo Keno.

Agora tem pela frente a disputa direta com o São Paulo, jogo que se assemelha a uma meia decisão. Enfrenta o tricolor ferido após perder uma invencibilidade de dezessete jogos

Com certeza será um tira teima de líder e vice-líder com total observação do Flamengo.

Na defesa, o Atlético foi bem em Curitiba. Não sofreu gols e o zagueiro Gabriel, que entrou no lugar de Rever, agradou.

Na partida contra o São Paulo, o técnico Sampaoli terá todos os atletas à disposição. Com certeza Sampaoli vai armar o time com mais força pelo meio. E é bem provável que utilize três zagueiros.

Com a vantagem do time paulista tendo caído para quatro pontos, vencer o tricolor é uma meta para o time alvinegro que almeja a conquista do título nacional.

Com certeza o treinador atleticano Jorge Sampaoli acompanhou no domingo a derrota do São Paulo para o Corinthians pelo placar mínimo, com gol do ex-atleticano Otero.

Na partida o tricolor foi uma caricatura do time vencedor que se mostrou nas rodadas anteriores. Jogou muito mal, falhou bastante. Nada criou, nada tendo feito por merecer a ponta da tabela e com boa margem de frente.

E para complicar, ainda perdeu um de seus principais atletas, o Luciano, que deixou o campo contundido. Acho difícil que jogue contra o Galo.

América soma pontos e está firme na disputa do título de campeão da série B do Brasileiro

América encosta no líder e também se mantém firme na disputa de título pela série B do Brasileiro (Foto: Juarez Rodrigues/EM-DA Press)

Não posso deixar de escrever sobre o América, que vem navegando em mar bem calmo, cumprindo muito bem o seu papel.

O Coelho tem somado pontos dentro e fora de casa, tendo vencido o Paraná dentro do Independência.

A partida teve um sentido bem especial, de grupo, mesmo tendo vários jogadores fora por força da Covid-19, suspensão ou contusão.

Venceu com superação. E agora tem boa vantagem na segunda colocação em relação aos demais concorrentes.

O América se encontra bem posicionado na briga pelo topo da tabela e disputa a primeira colocação com a Chapecoense, com o qual ainda terá confronto direto. E o que é mais importante: está a cada rodada mais perto da elite do futebol brasileiro.

*Luiz Linhares é diretor de Esportes da rádio Itabira-AM.

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário