Reincidente contumaz em permitir filas com aglomerações, CEF é multada mais uma vez pela Prefeitura de Itabira

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

As filas dessa segunda-feira (25) em frente à Caixa Econômica Federal (CEF) se formaram ao longo da avenida Daniel Grisolia, e também na Travessa Zeca Amâncio, principalmente por desempregados itabiranos para receberem as últimas parcelas do auxílio emergencial para quem não faz parte do programa Bolsa Família.

O calendário de liberação desse auxílio prossegue até 27 de janeiro, o que indica que o problema das aglomerações em filas tende a continuar. Isso se outras alternativas, como abertura de novos postos de atendimento, não forem tomadas.

Com as filas e aglomerações sem distanciamento, aumenta em igual proporção o risco de maior disseminação do novo coronavírus (Sars-Cov-2) no município, principalmente por quem possa estar infectado, ainda que assintomático.

Multas

Populares se aglomeram em filas até na Travessa Zeca Amâncio para receberem o auxílio emergencial. Prefeitura multa, mas a CEF continua no mesmo desprezo para com a pandemia e pelos direitos humanos(Fotos: Carlos Cruz)

Pelas seguidas reincidências, e pelo não cumprimento do decreto municipal nº 115/2021, na segunda autuação da CEF, em 13 de janeiro, a multa aplicada foi de R$ 30 mil, segundo informa a assessoria de imprensa da Prefeitura. Após a autuação, o banco sequer se deu à tarefa de apresentar defesa escrita.

Na primeira autuação, a multa foi de valor insignificante: R$ 174. Já para a terceira autuação, dessa segunda-feira, pelas contumazes reincidências, a multa deve ser de R$ 60 mil.

Em manifestação pelo descaso para com a pandemia e pelo desrespeito aos direitos humanos, por volta de 12h30 dessa segunda-feira, manifestantes chegaram a interditar o trânsito na avenida Daniel de Grisolia. Foi um protesto relâmpago, rapidamente dispersado pela Polícia Militar.

Mas serviu para demonstrar a insatisfação pela forma desrespeitosa que essas pessoas são tratadas pela reincidente agência transgressora da lei – e da necessidade de assegurar o distanciamento social no atendimento bancário como forma de não propagar o novo coronavírus.

Novos postos

Além da necessidade de se abrir novas agências, ou postos de atendimento, é preciso, que se destine um local mais arejado e amplo para que ocorra o pagamento sem longas filas e aglomerações neste período de pagamento do auxílio emergencial pela CEF.

No ano passado, esse atendimento chegou a ocorrer no ginásio Silvério Maestro Faustino, que fica na rua Irmãos de Caux, próximo da agência da CEF.

Por se tratar de atendimento emergencial, a cessão desse imóvel municipal se justifica – mas sem que se abra mão de os clientes, e a própria Prefeitura, cobrarem a instalação de novos postos de atendimento no município.

A eventual cessão do ginásio poliesportivo é uma saída provisória. E que precisa voltar a ocorrer em respeito aos que necessitam receber o auxílio emergencial – e e também pela preservação da saúde pública no município. Afinal, ninguém enfrenta fila por que quer, mas por necessidade.

A reportagem procurou a gerência da CEF, mas não foi possível completar a ligação pelos telefones disponíveis da agência em Itabira na lista oficial da Guiatel.

Disque denúncia

Para denúncias sobre o descumprimento das normas relacionadas à prevenção da Covid-19, a Prefeitura disponibiliza os telefones 3839-2044 ou 3839-2143.

Disque sem medo. O sigilo da fonte é garantido.

Compartilhe.

Sobre o Autor

1 comentário

Deixe um comentário