Produção rural de Itabira cresce com assistência técnica e garantia de mercado consumidor

2
Compartilhe.

Como resultado direto de um bom trabalho de extensão, com visitas técnicas e cursos de capacitação em diversas áreas, ministrados pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), em parceria com o Sindicato Rural e Prefeitura de Itabira, cresceu nos últimos anos a produção rural no município.

Agricultura diversificada e livre de agrotóxicos é uma das alternativas para o desenvolvimento rural. Na foto em destaque, venda de hortaliça de porta em porta (Fotos: Carlos Cruz e Divulgação)

Com isso, retoma-se aos poucos a policultura em Itabira, que até o início do século passado foi autossuficiente na produção de alimentos, com cultivo diversificado. A produção atual ainda é insuficiente para abastecer os mercados local e regional, mas vem crescendo ano a ano.

Isso ocorre na medida em que os consumidores passam a valorizar a produção local, de preferência os produtos cultivados sem o emprego de agrotóxicos.

No ano passado, segundo dados divulgados no encerramento, nesta sexta-feira (19), da 26ª Semana do Produtor Rural de Itabira, fazendeiros e pequenos sitiantes produziram 500 toneladas de cereais, frutas, verduras, leguminosas. Dessa produção, a agricultura familiar representou 35,29% do que foi cultivado e da pecuária local.

A produção rural nos anos anteriores não foi divulgada, mas há consenso de que esse volume é bem superior ao que vinha sendo produzido no passado recente.

Incentivos

Outro motivo que certamente levou ao incremento da produção é a garantia de mercado para o produtor rural. Isso tem incrementada a produção orgânica, com base principalmente na agricultura familiar, cuja demanda de produtos orgânicos e de boa procedência tem crescido no país.

Feira Livre Itinerante amplia o mercado para os produtos da agricultura familiar

A instituição da Feira Itinerante Terra Nossa, promovida pela Associação dos Produtores da Agricultura Familiar de Itabira (Apafi), com apoio do programa de Apoio à Geração e Incremento de Renda (Agir), da Fundação Vale, é a prova de que assegurando o mercado a produção agrícola cresce no município.

Importante ressaltar ainda os incentivos oferecidos pelo governo federal em parceria com as prefeituras, com o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), juntamente com o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Por meio desses programas é feito o suprimento da merenda nas escolas públicas e também para os programas sociais de segurança alimentar.

A abertura da nova feira livre pela Prefeitura também constitui fator de incremento, só faltando agora liberar a venda de bebidas alcoólicas durante a sua realização. É o que atrai mais compradores e torna a feira um lugar de encontro marcado entre amigos nas manhãs de sábado, juntamente com a oferta de produtos diversificados e de boa qualidade.

Produção de queijos foi um dos cursos oferecidos na 26ª Semana do Produtor Rural 

A lamentar a desativação da Patrulha Agrícola, pela Prefeitura, sem que se oferecessem opções adequadas de serviços de trator com os implementos agrícolas necessários para o preparo do cultivo, principalmente como medida importante de apoio aos pequenos produtores.

Uma reivindicação recorrente no meio rural é a melhoria das estradas vicinais. Isso para que a produção possa ser escoada durante todo ano sem interrupções no período chuvoso.

Com essas políticas públicas de incentivo, e também com linhas de financiamento subsidiadas, é possível incrementar ainda mais a produção rural, tornando-se assim outro ponto importante na diversificação da economia local.

Capacitação

Confecção de peças artesanais foi outra capacitação oferecida

O balanço da produção agropecuária no município foi apresentado com a realização do 5º Dia da Comunidade Rural, um evento de confraternização realizado no encerramento da 26ª Semana do Produtor Rural de Itabira, no Parque de Exposições Virgílio José Gazire.

Com os cursos oferecidos foram capacitados dezenas de participantes. Fazendeiros e sitiantes participaram de cursos para incrementar e melhorar a produção de doces, laticínios, defumados.

Foram ensinadas novas técnicas de criação de bezerras, de cultivo de frutas, legumes e hortaliças, confecções artesanais, operação de maquinário agrícola, além de oficinas de proteção de nascentes e recuperação de mata ciliar.

 

Sobre o Autor

2 Comentários

  1. Este é o melhor caminho a seguir. O município tem uma zona rural extensa, podendo produzir o necessário para abastecimento local.
    O Mercado Municipal deveria ter seu espaço totalmente voltado para os produtos orgânicos e artesanais, e ser um local atrativo.

  2. Mauro Ferreira em

    Os desafios ainda são enormes para o setor agropecuário itabirano, entretanto pode-se notar o engajamento de todas as entidades locais ligadas ao setor no intuito de buscar soluções e propor iniciativas que ajudem a promover o desenvolvimento rural. Ler notícias como esta encorajam cada vez mais todos nós que militamos diariamente em prol do produtor rural itabirano.

Deixe um comentário