PRL da Vale e superavit da Valia podem aquecer mercado de Itabira em março. Ou não, se não for competitivo

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Com a economia local fortemente atrelada à atividade mineradora, é grande a expectativa entre os mineiros, aposentados da Vale e o comércio em geral em torno do pagamento da Participação dos Lucros e Resultados (PLR) – e também do superavit primário pago pela Valia aos aposentados, ambos com previsão de ocorrer a partir de 1º de março, informa o diretor de Imprensa e Comunicação do Sindicato Metabase de Itabira, Marcos dos Santos Oliveira, o Marcão.

Serão aquinhoados com a PLR mais de 4 mil empregados da Vale só em Itabira (leia mais aqui). A expectativa no sindicato é que eles recebam entre 6,5 e 7 salários, que é o teto. “Foi uma importante conquista da categoria, obtida por merecimento. É a melhor medida de PLR da história da Vale”, vangloria Paulo Soares, presidente do Metabase.

Antes, o maior pagamento da participação nos lucros da empresa ocorreu em 2012, quando a Vale pagou 6,1 salários.

Assembleias

O sindicato já se prepara agora para debater com os associados o novo plano de pagamento da PLR referente a este ano, a ser quitado em 2019. Para isso, convoca a categoria para duas assembleias nesta terça-feira (30/01), quando serão debatidos os parâmetros para definir os critérios dessa participação, que é uma conquista dos trabalhadores do país obtida com a Constituição Federal de 1988.

Para participar das assembleias, os empregados da Vale dispõem de dois horários. Pela manhã, com a primeira chamada às 9h, e a segunda meia hora depois. E à noite, com primeira chamada às 18h, e a segunda às 18h30. As assembleias acontecem em frente ao sindicato Metabase, rua Mestre Emílio, 93, bairro Pará, que será interditada para veículos.

Divergências

Paulo Soares acredita que a participação dos trabalhadores no lucro da Vale neste ano será a maior da história (Fotos: Divulgação)

Paulo Soares chama a atenção para alguns aspectos que a categoria precisa ficar atenta. “Fizemos alguns ajustes na proposta da empresa. Iremos apresentar à categoria os critérios de pontuações que esperamos melhorar”, disse o sindicalista. As negociações dos sindicatos com a empresa já duram quase 90 dias.

A diretoria do sindicato discorda de muitos aspectos da proposta apresentada pela empresa, conforme destaca boletim distribuído à categoria. “O programa pretende aumentar o valor a ser distribuído em 10,6%, fixando-o em 7,3% do valor da geração de caixa e que o painel de metas será valorizado, bonificando melhor quem mais pontua. Também propôs alteração na base de cálculo do gatilho, que passa a ser de 50% do FCO-IC (fluxo de caixa operacional menos investimentos corrente) orçado e não mais no lucro operacional liquido.”

O sindicato critica também a falta de controle do empregado sobre o valor orçado com o indicador. “Se ele for muito alto, pode não ser alcançado”, alerta o sindicato. E prossegue na explicação: “Isto (a falta de controle) significa dar a Vale um cheque em branco, além da redução na vigência do acordo de 2 para 1 ano. Se a proposta é tão boa e a intenção é valorizar os trabalhadores, por que não propor um programa para dois anos como é o acordo vigente?”

Superavit

Ainda para o mês de março, a Valia deve pagar o chamado superavit primário aos também cerca de 4 mil aposentados da Vale residentes em Itabira. Segundo o diretor Marcão, ainda não se sabe o valor a ser pago, o que deve ser definido pelos conselheiros até meados do próximo mês. No ano passado a Valia pagou 3,3 salários. “A nossa expectativa é que sejam pagos este ano de 5 a 8 salários de suplementação”, adianta o diretor  do Metabase.

Como é esperado em Itabira, o pagamento da PLR da Vale e do superavit da Valia podem representar uma injeção de ânimo no mercado local. Ou não. Isso vai depender de como irá reagir. Se não for competitivo, como geralmente não tem sido, boa parte desses recursos irá migrar para outras praças vizinhas, mais dinâmicas e com menores preços em praticamente todos os segmentos.

Os empregados e os aposentados da Vale não são bobos. Com certeza irão pesquisar preços antes de realizar uma compra, buscando qualidade e, sobretudo, preços menores.

 

 

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

1 comentário

  1. sou filha de aposentado , minha mãe pensionista , faleceu dia 27 de setembro de 2018. o superavit já esta na pauta nos filhos queremos saber se temos direito a superavit, até então para quitar divida que deixou , com certeza ela o melhor os herdeiros tem direito devido mes que faleceu. Espero a compreencão de todos diretores da aposvaele e valia onde ela era sócio , E DOS SINDICATO DOS FERROVIARIOS. Aguardo uma resposta positiva e agradavel TENHA UMA BOA TARDE,

Deixe um comentário