Primeira feira criativa do Instituto Igualdade, Transformação e Inovação Social é realizada em Itabira

1
Compartilhe.

O estilista itabirano Ronaldo Silvestre desenvolve, por meio do Instituto Igualdade, Transformação e Inovação Social (ITI), um curso de qualificação profissional em costura e bordados, atualmente com 90 alunas (os) matriculados. A proposta é de qualificação profissional, empoderamento e geração de renda com muita criatividade.

Aprendizes da moda criativa expõem seus primeiros trabalhos na feira criativa (Fotos: Divulgação)

Nas aulas, que acontecem em um antigo restaurante, são ensinadas técnicas básicas do oficio de costura e bordado, além de incentivar o empreendedorismo com visão ampla do mercado para o qual a produção dos aprendizes pode ser destinada, com boas perspectivas na cadeia produtiva da indústria da moda.

Já na metade do curso, uma mostra da produção da primeira turma pode ser conhecida agora na feira criativa, aberta nessa quinta-feira (6) e que se estende até 14 de junho (sexta-feira).  Fica aberta de 9h às 18h, na sede do Instituto ITI, na Rua Irmãos de Caux, 283, centro (em frente à EEMZA).

Ronaldo Silvestre é idealizador e mentor do ITI

Os trabalhos estão à venda. “Queremos mostrar ao público o talento e a criatividade de nossos aprendizes”, diz Ronaldo Silvestre, para quem se trata, ainda, de uma primeira mostra da arte do bordado e da costura.

Segundo ele, na segunda etapa, alunas e alunos receberão consultorias para que tenham uma visão mais ampla do mercado, além das exigências de qualidade.

Silvestre acrescenta que nas oficinas serão desenvolvidos outros trabalhos artísticos, como é o caso de um aluno que já realiza pinturas decorativas em vidro – um trabalho artístico que pode servir também para criar desenhos e texturas em colares e brincos.

Outros produtos

Bordados criativos e outras peças estão à venda na feira

Na mostra, estão à venda trabalhos em biscuit, vidros e potes decorados, bonecas, caixas, toalhas, panos de prato, bolsas de crochê, carteiras, tapetes, sousplat, entre outras peças criativas. E também itens de armarinho como novelos de malha, miçangas, paetês, pedraria, lantejoulas, fitas, entre outros itens de aviamento.

Há ainda, peças do acervo de Ronaldo Silvestre, como vestidos, saias, casacos, camisetes, shorts, camisas, bermudas e calças para os públicos femininos e masculinos. Outras peças à venda com a sua assinatura vieram das passarelas para as araras da feira: calçados femininos, vestidos e looks completos, informa a assessoria de imprensa do ITI.

Peças da coleção Ronaldo Silvestre

Os recursos obtidos com as vendas da produção dos participantes serão destinados à remuneração de quem produziu. Já a remuneração pelas as peças assinadas por Ronaldo Silvestre será revertida na infraestrutura do instituto (manutenção das máquinas de costura, além da aquisição de tecidos).

E parte desses recursos será também empregada na aquisição de equipamentos para a futura cozinha de Gastronomia Social, que será em breve ministrada pelo cozinheiro Rodrigo Bernardi.

Para conhecer mais do trabalho desenvolvido pelo Instituto, acesse a página do Facebook ou do Instagram da instituição.

 

Sobre o Autor