Pitacos da rodada esportiva

1
Compartilhe.

Luiz Linhares*

Cruzeiro mantém foco na Libertadores e Copa do Brasil

Não vou escrever no momento sobre as fracas apresentações que o time alternativo, ou para ser mais preciso misto, do Cruzeiro vem fazendo ao longo do Campeonato Brasileiro. O certo é que, enquanto a Copa do Brasil e a Libertadores estiverem em pauta com jogos decisivos, o final de semana do torcedor cruzeirense é de insatisfação com a pouca qualidade mostrada.

Em sua maioria, acredito que o torcedor assimila bem esta situação, mas quer, como todos, que essas importantes conquistas venham ocorre para o time celeste.

Não se pode negar que o Palmeiras cresceu de produção e eficiência com a chegada do professor Felipão – e esse será o adversário já a partir do meio da semana, abrindo a fase semifinal da Copa do Brasil. Após os cento e oitenta minutos só terá ou Flamengo ou Corinthians na briga pelo título.

Na fase anterior o Cruzeiro se deu muito bem jogando na casa do adversário. Ganhou do Santos convencendo. Agora, terá também um time bem copeiro, forte em todos os aspectos e, da mesma forma, empurrado por um mar de torcedores.

Será com certeza uma briga de cachorro, ou melhor de porco e raposa grandes, com as respectivas estratégias sendo montadas entre dois competentes treinadores.

O foco celeste está aí. E, assim sendo, não se pode comparar o que vem rendendo no Brasileiro para tudo que tem a mostrar de força e talento já a partir desses noventa primeiros minutos na capital paulista, deixando para o Mineirão o golpe final.

Neste ano já falei por aqui que o melhor jogo que acompanhei no ano foi nesta mesma copa do Brasil, em Porto Alegre, onde Grêmio e Flamengo fizeram um espetáculo. Tenho esperança que Cruzeiro e Palmeiras, os eternos palestras, me façam deixar para trás esse outro espetáculo.

Galo busca afirmação contra o xará paranaense que tem crescido de produção

Estou escrevendo essas notas antes de um jogo importantíssimo que farão nesta segunda-feira, à noite os Atléticos Mineiro e o Paranaense. O mineiro querendo a afirmação e a estabilidade que tem faltado em momentos cruciais das partidas. E o Paranaense, um franco-atirador que tem dado mostras de melhor produção nas últimas rodadas.

Galo vence o São Paulo e joga hoje à noite contra o xará paranaense (Foto: Douglas Magno)

O Galo contra o São Paulo venceu, mas deixou seu torcedor apreensivo por um bom tempo da partida, especialmente no segundo tempo, quando o adversário com qualidade foi para cima e encurralou o time mineiro.

Mas o certo é que venceu, mas precisa ter um assentamento em campo que não lhe cause contratempos, que tenha o domínio e transforme as dificuldades de jogo em benefícios.

Nesta noite o torcedor terá um reencontro com Patrick, que substituirá o atual titular Emerson, que cumpri suspensão. Não é muito querido, mas é sinal de luta, guerreiro e sempre buscando seu espaço.

O time mineiro tem que se impor em casa. O que não pode é superar um São Paulo e tropeçar em times intermediários. Vitória é ganhar uma posição, pular para o quinto lugar, entrar na casa dos que chegaram aos quarenta pontos –e ainda lutar por um improvável título brasileiro.

América perde pontos em casa para um fraco Ceará

América empata em casa e decepciona a torcida (Foto: Superesportes)

Escrevi na semana passada que de pontinho em pontinho vai o América se colocando no ponto intermediário, sempre arriscado, mas controlado.

Mas empatar em casa com o Ceará não considero ganhar um ponto, mas perder dois preciosos pontos, para decepcao de sua torcida

O Ceará é concorrente direto ao pior time do campeonato. Brasileiro

Esses tropeços podem gerar um transtorno mais a frente. Que se cuide o Coelhão.

Mesmo com todas dificuldades, Valério vence e se mantém invicto

São Gonçalo do Rio Abaixo acompanhou de novo mais uma vitória do Valério em sua caminhada na terceira divisão. Foi a terceira vitória na cidade vizinha, construída com muita luta.

Considero que foi a pior partida do time lá jogando. Mas o que importa é que venceu e o espírito de luta prevaleceu.

O adversário bateu muito, procurando a todo instante matar o jogo. Além disso, o forte calor tirou um pouco o brilho do time. Os dois gols só vieram em penalidades máximas, um convertido e o outro gol no rebote, após cobrança e defesa do goleiro.

Roberto Gaúcho tem conseguido ajustar bem o grupo. Nessa última partida ocorreram duas mudanças na titularidade e o nível se manteve.

Mesmo não tendo sido a melhor partida do Dragão, o torcedor Itabirano que foi à vizinha cidade para assistir a partida, com certeza gostou do que viu. Houve muita luta e empenho, além da própria qualidade individual de cada um dos atletas valerianos.

Observo que está sendo cada vez mais difícil o Valério retornar à sua casa, para jogar no Israel Pinheiro. Isso porque, além das dificuldades de se adaptar às cobranças impostas pelos Bombeiros, vem também a Federação Mineira e barra o gramado. Tem sido tudo muito difícil e até esquisito, muita coisa estranha. Tudo fica nas entrelinhas, nada muito claro, nada objetivo.

Às vezes vejo passar muita coisa que entendo como sendo errada devido às dificuldades que enfrenta o Valério por falta de recursos e tudo mais.

*Luiz Linhares é diretor de Esportes da rádio Itabira-AM.

Sobre o Autor

1 comentário

Deixe um comentário