Pitacos da rodada esportiva

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Luiz Linhares*

Cruzeiro vence de virada e equipe vai ganhando conjunto

Consegui acompanhar o melhor jogo deste ano no Campeonato Mineiro. Foi em Ipatinga, no último sábado, quando a equipe de Tombos, da Zona da Mata mineira, preferiu abrir mão de jogar em seu acanhado estádio e dar preferência ao lado financeiro, enfrentando o Cruzeiro no vale do Aço. Por sinal, levando ao estádio mais de 14 mil pessoas e renda superior a R$ 700 mil.

Digo que acompanhei o melhor jogo pois em nenhum momento da partida a Tombense jogou como time pequeno. Fez uma partida como se espera, jogando e deixando jogar, não se limitando apenas a defender e sim produzindo ações ofensivas. O primeiro tempo teve total domínio do Cruzeiro, criando alguns momentos de ação ofensiva. Nada que preocupasse o goleiro adversário, mas se apresentou para o jogo sempre em busca do domínio territorial. Sob o forte calor do Vale do Aço, é bem verdade, ocorreram erros constantes de passes dos dois times. Esse foi o desenho do tempo inicial da partida, só modificado no minuto final quando, pela primeira vez, a Tombense chegou, seu centroavante girou e fez 1 x 0. Uma vantagem injusta, pelo que jogou o time celeste, é verdade.

O segundo tempo foi marcante especialmente para Fred que conseguiu aproveitar um cruzamento de Arrascaeta, infiltrar-se entre os zagueiros e de cabeça fazer o seu primeiro gol no seu retorno ao Cruzeiro, igualando o jogo. Gol que foi muito comemorado por toda equipe cruzeirense. O gol de empate motivou mais o time que criou outras tantas oportunidades na sequência, abrindo caminho para a virada. Com o gol cruzeirense, o adversário ousadamente se lançou em busca de nova vantagem. Cresceu o jogo, agradou o torcedor. Com o jogo aberto, o time celeste chegou aos trinta minutos a vitória, de virada. Fez-se assim justiça ao que buscou ao longo de todo o jogo, com crescente produção cruzeirense, que conta com um conjunto que vai ganhando com o passar dos jogos.

Galo tropeça e demonstra falta de entrosamento mesmo entre os titulares

Atlético vacila e cede empate na partida contra o Patrocinense. No destaque, o atacante Fred que desencanta e fez seu primeiro gol pelo time celeste (Fotos: Superesportes e UOL)

Se o torcedor de seu principal rival está em paz com seu time, não é o que se observa entre os atleticanos com os resultados dos dois últimos jogos. O Atlético jogando com time reserva perdeu em Nova Lima nomeio da semana, enquanto na semana anterior, com o time titular, precisou de dezoito minutos no primeiro tempo para fazer três gols no Democrata. E parou de jogar. Ontem contra a Patrocinense, e com novamente o time titular, abriu vantagem de dois a zero no primeiro tempo sem muito convencimento. Mas relaxou na segunda etapa, enquanto o adversário cresceu, empatou o jogo. Com o empate, mostrou as deficiências do time alvinegro, que não teve poder de reação. O que se viu foi um treinador passivo em relação às mudanças. E quando as fez, foi de forma tardia.

Times do interior esboçam reação. Mas o fim será o de sempre

Tropeço surpreendente e perigoso, principalmente quando se pensa em algo maior, como a copa Sul-Americana, Brasileirão. São dúvidas que ficam pela qualidade do elenco, ou mesmo pela falta de melhor grupo e peças de reposição. Nessa última partida faltou brilhantismo até de forma individual. O time demonstrou ainda que o entrosamento está muito longe do ideal.

Não posso deixar de reconhecer que errei. Na semana passada escrevi aqui que a decepção com os times do interior era grande. Nesta semana, mordi a língua. Vimos o Tombense encarar o Cruzeiro. E tem também seus méritos a Patrocinense, que alterou na partida contra o Galo momentos de retenção e velocidade para aparecer no ataque. Quando quis, foi para cima do adversário e conseguiu seu objetivo. Fracasso atleticano sim, méritos também devem ser atribuídos ao adversário.

O certo é que chegamos a um terço da primeira etapa do campeonato e como tem sido nas últimas disputas nacionais, nosso regional não vai ser diferente, Ainda termos muita briga ainda para se definir os oito que seguem em frente. Certo mesmo é que bem ou mal os grandes chegarão

*Luiz Linhares é diretor de Esportes da rádio Itabira-Am

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário