Pitacos da rodada esportiva

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Luiz Linhares*

Atleticanos sempre sofrem por acreditar

É incrível como o time atleticano faz sofrer seu torcedor. Por que é tão difícil ganhar um jogo que parecia fácil? Sofrimento parece estar na alma do atleticano, sempre se encarnando no “Eu acredito” e ultrapassando e vivendo tempestades. Jogar com o time sub 20 do Grêmio em seu terreiro, contando com quase vinte mil torcedores, precisando da vitória a todo custo era prenúncio de goleada, de avassaladora apresentação e chuva de gols.

Se a palavra de ordem do atleticano é “eu acredito”, vai ter agora que acreditar e torcer pelo Flamengo

Ledo engano, o que se viu foi dramático, uma meninada nada brilhante, mas com vontade de jogar, sem se assustar com as estrelas e a torcida atleticana. O Greminho esteve três vezes à frente do marcador e só foi nocauteado no finalzinho. Isso após uma parada esquisita por falta de energia. Quando a luz voltou, veio o gol salvador, debaixo de muita chuva e mantendo a esperança atleticana de classificação para a pré-Libertadores.

Se dizer que o Galo fez por méritos estar na próxima Libertadores é um pouco puxado, é uma paixão de torcedor. Contudo, não custa ser flamenguista por duas oportunidades, qual o problema? Se o Cruzeiro ajudou nessa última rodada, por que o atleticano não irá torcer para o Flamengo sagrar-se campeão da Sul Americana? Só assim o Galo irá botar banca na pré-Libertadores. Já vi ao longo dos anos histórias assim: do nada se torna gigante.

Time forte e vencedor, o Cruzeiro podia se sair melhor no Brasileirão

Dentro de campo o Cruzeiro andou nas sete últimas rodadas. Por força do conjunto do grupo, perdeu poucas, empatou o suficiente para alguns pontinhos principalmente fora como aconteceu contra o Botafogo. Convenhamos que a diretoria não conseguiu impor vontade ao grupo para ganhar jogos finais. Daria sim para ocorrer, mas faltou vontade e milhões de reais escaparam dos cofres do time celeste. Daria muito bem pra ser o segundo ou o terceiro colocado. Ficou com a quinta colocação. Agora, férias. Que o próximo ano seja ainda melhor, é tudo que o torcedor precisa e quer: ano de volta a Libertadores das Américas.

Classificado antecipadamente para a Libertadores, time celeste esmoreceu, perdendo dinheiro por não ter ficado entre os três primeiros colocados

Despedidas e chegadas dão linha ao novo Cruzeiro, cheio de dúvidas em relação ao que vem ser plantado e planejado. Acertar a casa, medir o fubá e não mexer muito em uma base que bem ou mal é Campeã da Copa do Brasil. E não se pode dizer de o time foi mal no Brasileirão, mas podia ter se saído melhor. Fala-se hoje muito em contratações pontuais, certeiras, eficientes. É esperar para ver – e acreditar.

Politicamente, a saída de Gilvan Oliveira da presidência e a entrada do novo presidente, assim como a chegada de Itair Machado vão render bons capítulos ao longo deste fim de ano que vai se aproximando. Traições e delações vão brotar. Tomara que o clube continue forte e vencedor como sempre foi.

América pode brilhar na primeira divisão se mantiver boa parte do elenco

Tudo muito calado na toca do coelho, que tem novo comando para dar sequência ao que vem dando certo. Acertou a diretoria renovando o vínculo de Enderson Moreira e investidas em seus principais atletas com certeza vai acontecer. Se perder o mínimo da base já montada e novos nomes de destaques certamente darão do América um lugar de destaque para um 2018 de brilho. Como meta principal, e pelos poucos recursos que dispõem, a manutenção do patamar de agora será um grande presente.

A Alemanha que se cuide

Pessoalmente gostei do que foi reservado ao Brasil na primeira fase da Copa da Rússia no próximo ano. Suíça, Costa Rica e Servia não botam medo. O Brasil tem tudo para se o primeiro colocado de sua chave. Depois que venham os demais. Sou brasileiro e acho que quem tem de se cuidar é a Alemanha.

*Luiz Linhares é diretor de Esportes da rádio Itabira-AM
Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário