Para diminuir a pressão sobre o sistema de saúde em Itabira, Vale doa 20 novos leitos de UTIs ao HNSD

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Uma boa notícia em tempos de pandemia e que certamente vai desafogar o sistema de saúde em Itabira, : o hospital Nossa Senhora das Dores (HNSD) vai abrir mais 20 leitos de UTI, com apoio da mineradora Vale.

Mas esse desafogo ainda não vai resultar na flexibilização das medidas restritivas da onda roxa, pelo programa Minas Consciente, que se estende até domingo (11). O prefeito Marco Antônio Lage (PSB) já avisou que só reabre o comércio não essencial depois que taxa de transmissão (Rt) cair para menos de 1,0.

Para isso acontecer, é preciso que as pessoas permaneçam em casa e ao sair façam uso de máscara e mantenham o isolamento social. Isso enquanto não chegam vacinas para imunizar toda a população.

Só com o isolamento social a taxa de transmissão do vírus cairá para um patamar que indique a retração da propagação do vírus. A Rt média nos últimos sete dias está em 1.16, o que ainda representa alto risco de surgimento de novos casos, principalmente entre os jovens que não respeitam os protocolos preventivos.

Mais apoios

O HNSD contará também com apoio da Vale para instalar os novos leitos de UTIs, inclusive de assessoria da empresa SanosMed, consultoria especializada em gestão de saúde. O HNSD atende 60% de pacientes SUS – e o restante particulares e de convênios, o que inclui o Pasa/AMS.

Segundo a assessoria de imprensa da mineradora, o trabalho da SanosMed envolverá a gestão de pessoas, incluindo profissionais da área médica, insumos hospitalares e aparelhagem, serviços de limpeza hospitalar e manutenção de equipamentos da ala.

Com a abertura de novos leitos com recursos da Vale, o hospital contará com um total de 26 leitos de UTIs, além de 17 nas enfermarias exclusivas para atendimento de pacientes com Covid-19.

Já no hospital municipal Carlos Chagas (HMCC), com a abertura de novos leitos pela Prefeitura nos últimos dias, a disponibilidade para atendimento exclusivos de pacientes com Covid-19 passa a ser de 22 leitos de UTIs e 66 de enfermaria.

Aumento da procura de pacientes com Covid-19 para atendimento nos hospitais de Itabira já levam o sistema ao colapso. Novos leitos diminuem a pressão, mas enfrentamento à pandemia só chega ao fim com vacinas já para todos. No destaque, helicóptero transporta paciente do Pasa/AMS (Fotos: Reprodução)

Ajuda é necessária e urgente diante da crescente demanda hospitalar

Para o gerente executivo do complexo minerador de Itabira, Daniel Daher, o apoio da Vale ao HNSD é parte da ajuda humanitária, que se soma a outras parcerias já implementadas no município desde o início da pandemia.

Afinal, a mineradora emprega, entre diretos e indiretos, cerca de 8 mil empregados no complexo minerador local – e que também demandam, juntamente com seus familiares, por serviços de saúde como parte da população itabirana e regional.

O pacote de medidas de apoio integra o que a empresa chama de “um novo pacto com a sociedade itabirana”. “Estamos atentos às necessidades das populações dos territórios onde atuamos, dando apoio desde o início a Itabira e à região para o enfrentamento da pandemia”, ressalta o executivo da mineradora.

Ainda como parte desse apoio, o HNSD recebeu, recentemente, a doação de dez cilindros de oxigênio. No ano passado, a Vale destinou ao hospital mais de 1,6 milhão de equipamentos de proteção individual (EPIs), além de 8,4 mil kits de testes rápidos para a Covid-19.

O aporte de EPIs incluiu 238 mil máscaras cirúrgicas, 8 mil máscaras N95, 37.200 aventais e 200 óculos, além de 1.350 milhão de luvas descartáveis.

UTIs Móveis regionais

Para desafogar a demanda regional, a Vale vai doar UTIs móveis aos municípios de Barão de Cocais e Mariana. Ao hospital municipal de Barão de Cocais a empresa já doou dez cilindros de oxigênio.

Para Catas Altas, foram doados 5 mil kits de testes rápidos. Isso enquanto para Santa Bárbara foram doados 148 unidades de luvas cirúrgicas, 267 máscaras PFF2 sem válvula, 1.584 máscaras cirúrgicas, 560 aventais hospitalares, 100 kits de testes rápidos, além de 30 cilindros de oxigênio.

 

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário