Ouçam a voz (e o canto) que vem do botequim

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Rafael Jasovich*

Primeiramente, fica Temer.
Em segundo, Aécio.
Em terceiro, cadê o Queiroz?
Racismo reverso não existe.
Heterofobia também não.
Castigo divino também não.
É bolacha e não biscoito.
Não existe ex-amor.
Palmeiras não tem mundial.
Cachorro quente é com purê.
Pizza é sem catchup.
Amor não precisa de prova.
Não existe plenitude.

Ignorância não é uma bênção.
Bateu uma vez, vai bater de novo.
Não existe estupro consentido.
Cartola é o Pelé da música.
Dona Ivone Lara é a Marta.
Botequim não é bagunça.
Falta interpretação de texto no mundo.
Time grande não cai.
Gaby Amarantos é um absurdo de mulher.
Preta Gil também.
Taís Araújo também.
Sheron Menezes também.
Ellen Jéssica também.
Elza Soares também.
Homossexualidade não é doença.

PSDB não é Social-Democrata.
PP não é Progressista.
PSC não é Cristão.
DEM não é Democrata.
PMDB sei lá o que é.
Bolsonaro é perigoso.
Dória é muito mais perigoso.
Inferno não existe.
Família não tem modelo.
Caridade com publicidade é comércio.
Skol não é cerveja.
Haddad foi o melhor prefeito que SP já teve.
Doria é de cair o cu da bunda.
Cavalheirismo é o machismo travestido de “gentileza”.
Samba é resistência.

As rosas não falam.
Bandido bom é ex-bandido.
Entre quatro paredes só não vale o que faz perder o tesão.
Nóis gosta mesmo é do estrago.
Beijo não se pede.
Amor não se mendiga.
Amendoim japonês é melhor do que caviar.
Zeca pagodinho canta samba.
Exaltasamba toca pagode.
Pagode não é samba.
O samba cura.
Cota é justiça.
Não existe homem feminista.
O machismo é estrutural.
O racismo é estrutural.

O luthier Luiz Cássio com Zé Agostinho, no melhor boteco de Cabeça de Boi. “Violeiro mineiro, meu canto nem forte, nem belo, singelo. Recorda ternuras passadas, futuras. Presenças amadas, amigos imagens, paisagens meu canto. Ao canto da vida, da vida vivida.” (Viola de Bolso, Carlos Drummond de Andrade). Fotos: Carlos Cruz

Direitos humanos devem ser garantidos para todos os humanos.
Fé inabalável só a raciocinada.
A fé sem obras é morta.
Messi é melhor que Neymar.
Negueba é melhor que Messi.
Maradona foi maior do que Negueba.
Pelé foi maior do que Maradona.
Raí foi maior do que Pelé.
Mallu Magalhães também.
Bossa Nova também.
Machismo mata.
Patriotismo também.
Cheiro natural é melhor do que perfume.
O inseguro agride.
Chamou você de “deusa”, corra.
O inferno é uma mente imersa em remorso.
A porta tinha tamanho suficiente para caber o Jack e a Rose boiando no mar gelado.
Se tenho que descer pra pegar, não é delivery.
Camarão que dorme a onda leva.

Pena de morte é barbárie.
Rodeio é barbárie.
Vaquejada é barbárie.
Tourada é barbárie.
Paixão não é amor.
Excesso de sinceridade não é virtude, é falta de educação.
Se orientação sexual fosse escolha, eu escolheria ser bi pra dobrar as opções.
O Belo é fanho.
Tambaqui é melhor do que salmão.
Milhares de pessoas no mundo te achariam linda(o), independentemente de sua aparência.
Não existe alma gêmea.
Ansiedade é doença.
Depressão não é frescura.

Robinho é uma farsa.
David Luiz também.
Tom Zé é gênio.
Osvaldinho da Cuíca também.
Paulinho da Viola também.
Samba-rock é o Jazz tupiniquim.
Se achar humilde é desumilde.
Não existe a palavra desumilde.
Dudu Nobre não sabe cantar samba.
O Rio de Janeiro é a cidade mais bonita do mundo.
Açaí congelado com banana e granola não é açaí.
Ouçam Fabiana Cozza.
Leiam Djamila Ribeiro.
Tirar selfie é constrangedor.
As panelas não eram contra a corrupção.
Auto-ajuda é um saco.
Heroísmo é ilusão.

Ninguém faz samba porque prefere.
Tenho preconceito com quem fala “top”.
E “bad”.
E “sextou”.
Saber quando utilizar crase é foda.
Doutor é quem tem doutorado.
Ter doutorado não te faz uma pessoa melhor.
Essa página jamais deve ser levada a sério.
Tô perdido, não me sigam.
Espalhem a palavra.
OUÇAM CHICO

*Rafael Jasovich é jornalista e advogado, membro da Anistia Internacional

Compartilhe.

Sobre o Autor

2 Comentários

Deixe um comentário