O que mais está liberado em Itabira pela onda verde com os novos e velhos protocolos para conter a covid-19

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

A reabertura dos serviços não essenciais pela onda verde, e que são de alto risco de contágio, deve ocorrer com cautela redobrada, seguindo os protocolos previamente definidos pelo programa Minas Consciente.

A partir deste sábado (5) podem voltar a funcionar as atividades artísticas, como produção teatral, musicais, de dança e circenses. Ficam liberadas, pela mesma onda verde, a reabertura de cinemas, bibliotecas, museus e arquivos, parques, zoológicos e jardins, feiras, congressos, exposições, filmagens de festas, casas de festas, bufê.

Parque de diversão, discoteca e boate (se houver em Itabira) também voltam a funcionar, assim como as agências matrimoniais, clubes com saunas e banhos, bares com entretenimento (shows e espetáculos) – como também serviços de colocação de piercings e tatuagens, manicure, pedicure e salão de beleza.

Mas pelos protocolos obrigatórios, o público deve ficar restrito a 30 pessoas. Além disso, as pessoas dos grupos de risco, como os maiores de 60 anos e portadores comorbidades (outras doenças), devem permanecer em isolamento domiciliar.

Para essas pessoas, a recomendação é para que executem as suas atividades laborais em casa (home-office, teletrabalho). Jovens com pessoas do grupo de risco devem, por precaução, altruísmo, amor e respeito à vida, manter os mesmos protocolos da prevenção e cuidados especiais para não propagar o vírus.

E para quem precisa sair de casa, a recomendação é para que seja pelo menor tempo possível. E se sair e encontrar com parentes, amigos e colegas de trabalho, a recomendação é para que se evite compartilhar objetos pessoais, como aparelhos de celular.

Evite também pagar as compras com dinheiro (notas e moedas) – e não permita que toquem em seu cartão de crédito.

Academias de ginástica

Academias já estavam liberadas, mas agora seguem novos protocolos para impedir a disseminação do vírus entre frequentadores e pessoal de apoio (Fotos: Carlos Cruz e Google)

Consideradas como sendo espaços essenciais à saúde física – e até mental – das pessoas, as academias são também, segundo as autoridades sanitárias, de alto risco de propagação da doença.

Daí que devem seguir, além das regras válidas para as demais atividades, também as específicas para seguir na onda verde. Uma das mudanças com a onda verde é que nas academias, a presença deve se limitar a um pessoa para 4 metros quadrados, ao invés dos 10 metros quadrados que estão previstos para a onda amarela.

Outra alteração é que os próprios usuários serão responsáveis pela higienização dos assentos e equipamentos antes de cada utilização. Com isso, o estabelecimento não se obriga a fechar a cada duas horas de funcionamento para a completa higienização, como antes tinha de fazer pela onda amarela.

Todos os demais protocolos de prevenção, contenção e profilaxia continuam aplicáveis nas academias de ginasticas e atividades correlatas.

Restaurantes e Lanchonetes

Os tradicionais self-service continuam proibidos. Os empregados de cada estabelecimento é que devem servir os alimentos aos clientes, respeitando a distância mínima de dois metros, o que é válido também para pães e similares.

É preciso suprimir das mesas e balcões os paliteiros, saleiros, açucareiros, ou qualquer outro alimentos e ou temperos que sejam acondicionados de forma semelhante.

Para atender aos usuários, os estabelecimentos devem prover a demanda disponibilizando sachês para uso individual. E as mesas devem ser mantidas a uma distância mínima de dois metro – e higienizadas, assim como as cadeiras, sempre que o freguês deixar o local, antes de receber o próximo usuário.

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário