Nos próximos dias Itabira terá maior número de pessoas testadas positivas para a Covid-19, mas com isolamento é possível reduzir o avanço da pandemia

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Aos cerca de 10 mil kits com os quais a Vale já está testando seus empregados e terceiros para possíveis casos, além de outro tanto doado pela mineradora ao Hospital Nossa Senhora (HNSD) se somam os 10 mil kits de testagem rápida adquiridos pela Prefeitura.

Com isso, Itabira passa a figurar entre as poucas cidades brasileiras em condições de fazer uma amostragem mais precisa – e científica – de como está a disseminação do novo coronavírus (Covid-19) no município.

André Viana, vereador e sindicalista tem acompanhado a testagem na Vale (Fotos: Carlos Cruz)

Conforme salientou o vereador André Viana (Patriotas) em pronunciamento, na terça-feira (18), na tribuna da Câmara, ao anunciar o início da testagem na Vale, esse método tem-se revelado como sendo um dos mais eficazes no combate à pandemia, juntamente com o distanciamento social e o isolamento domiciliar.

Isso por permitir identificar, sobretudo, as pessoas que não se apresentam com os sintomas, encaminhando-as para o isolamento domiciliar por 14 dias. Dessa forma, ela deixa de seguir contaminando familiares, colegas de trabalho e a quem mais venha ter contato.

“A testagem em massa deu bons resultados na Alemanha e na Coreia do Sul, que tiveram baixos índices de mortalidade. É o que esperamos que aconteça em Itabira”, afirmou o vereador.

Amostragem ampla    

Com cerca de 30 mil kits de testagens disponíveis, fora os dez mil para detectar o vírus influenza (H1N1) que a Prefeitura adquiriu, Itabira terá um número mais preciso das pessoas infectadas por cada uma das viroses, o que permite o tratamento adequado e no tempo certo.

“Com certeza teremos aumento do número de pessoas testadas positivas nos próximos dias, fazendo subir a curva, principalmente de pessoas assintomáticas”, disse o vereador sindicalista.

Mas isso, é importante frisar, será também essencial para achatar a curva – e dissipar a pandemia, reduzindo o número de pessoas que possam ser infectadas por quem está com vírus, mas que não apresenta os sintomas.

Consequentemente haverá também um menor número de óbitos, mesmo com a chegada do inverno e a interiorização em curso da pandemia no Brasil – e em Minas Gerais, que é o segundo estado brasileiro com menor número de testagens no país.

“Existe um conforto silencioso perigoso em Minas Gerais”, acentuou André Viana, referindo-se às subnotificações de casos no estado.

Nota técnica instrui como será feita os testes com os kits da Prefeitura

No Pronto-Socorro Muncipal, nos hospitais e demais unidades de saúde pessoas com sintomas serão testadas

Para a testagem rápida no município, a Prefeitura já dispõe de nota técnica, emitida pela comissão municipal de Enfrentamento à Pandemia, para testar profissionais de saúde e pacientes com sintomas da doença.

Por essa nota técnica fica definido que os testes rápidos para influenza serão disponibilizados para pacientes com sintomas gripais nas unidades básicas de saúde, pronto-socorro municipal, Samu, HMCC e HNSD.

Esses testes serão realizados até o sétimo dia do início dos sintomas gripais. Se negativo para a influenza, a partir do oitavo dia será feito o teste para a Covid-19, devendo o paciente permanecer por todo esse período em isolamento domiciliar.

Se testar negativo, o paciente recebe alta da quarentena, diz o protocolo. Mas se der positivo ou indeterminado, o isolamento domiciliar é estendido por mais sete dias. Após a quarentena é repetido o teste rápido.

Já os testes rápidos para a Covid-19 serão realizados pela Vigilância Epidemiológica e também nos hospitais em pacientes que apresentem sintomas há mais de sete dias.

Para o paciente com indicação de internação, e que tenha testado negativo para a Covid-19, a investigação do caso deve prosseguir com novos exames clínicos e laboratoriais. Isso para que seja confirmado, ou não, a infecção pelo novo coronavírus.

Doações ao HNSD

Além dos kits de testes rápidos, o HNSD já recebeu da Vale 238 mil máscaras cirúrgicas, 112 mil pares de luvas, 37.214 aventais, 200 óculos de proteção especial.

São equipamentos de segurança para os profissionais de saúde que estão na linha de frente do enfrentamento à pandemia.

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário