Minas Novas, a Vila dos Fanados

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Mauro Andrade Moura

Segundo informação de diversas fontes, a cidade de Minas Novas (MG) recebeu uma forte influência dos Cristãos-Novos portugueses, que para lá imigraram por ocasião do ciclo do ouro e da rica mineração na região. Essa cidade era também popularmente conhecida como “Vila dos Fanados”, que quer dizer “mutilados ou circuncidados, e também degredados”. Isso pela relevante presença dos Cristãos-Novos.

Não nos esqueçamos que por desvio de informação mais precisa à época da colonização do Brasil, diversas pessoas foram “degredadas” (somente com a alcunha de degredados) para a colônia, simplesmente por serem contrárias aos dogmas da igreja católica e os termos da santa inquisição católica. Eram os cristãos-novos e os criptojudeus.

SOBRADÃO, o primeiro “arranha-céu” do Brasil, edifício construído a partir de 1811 para ser sede da Capitania do Jequitinhonha (pintura sobre tela de R.Pinto). No destaque, foto extraída do blog do Jequi

Na Bandeira de 1674, Fernão Dias Paes Leme e sua comitiva – formada por diversos cristãos-novos, sendo ele também um – chegaram ao vale do rio Jequitinhonha, nas proximidades de onde hoje é a cidade de Araçuaí. É por onde corre o rio Fanado, pequeno afluente do rio Araçuaí, que por sua vez é o principal afluente do Jequitinhonha.

Naquelas terras, o valoroso bandeirante achou que tinha descoberto o que procurava, as decantadas pedras verdes, as cobiçadas esmeraldas. Entretanto, ledo engano, encontrara as não menos belas, porém menos valiosas turmalinas. Fernão Dias faleceu considerando que eram esmeraldas.

Por volta de 1727, um grupo de bandeirantes chefiados por Sebastião Leme do Prado, localizou a ocorrência de ouro em um dos afluentes do Rio Fanado que, por essa razão, recebeu o nome de Bom Sucesso. A notícia de grandes jazidas atraiu os faiscadores.

Entre o Rio Fanado e o seu afluente Bom Sucesso, formou-se o primeiro núcleo populacional, em torno de uma capelinha, erigida em homenagem a São Pedro. Assim nasceu o Arraial de São Pedro do Fanado, que rapidamente prosperou, recebendo, dois anos depois, o título de Vila do Bom Sucesso do Fanado de Minas Novas.

Sebastião Leme do Prado, fundador de Minas Novas, a Vila dos Fanados, tem clara ascendência sefaradita, sendo descendente do sertanista João do Prado e de Filipa Vicente.

A respeito de João do Prado e Filipa Vicente, os mesmos foram citados nas seguintes publicações:

  • Os Cristãos-Novos e os Descobrimentos Mineralógicos, autor Prof. José Gonçalves Salvador;
  • Tribulações do Povo de Israel, autor historiador Marcelo Amaral Meira Bogaciovas; e
  • Cristãos-novos em São Paulo, autor historiador Marcelo Amaral Meira Bogaciovas.

Filipa Vicente, já no alto dos 80 anos de idade e viúva, conforme nos apresenta o antigo historiador e genealogista brasileiro Pedro Taques de Almeida, foi tratada de uma doença pelo também cristão-novo Antônio Rodrigues Alvarenga, que rogou pela sua cura ao também cristão-novo Pe. Anchieta. Constituiu-se assim, com a cura da beneficiada, um dos primeiros milagres alcançado pelo jesuíta e hoje santo católico.

Escultura de Fernão Dias Paes Leme no Museu do Ipiranga, em São Paulo (SP)

Em entrevista concedida pela professora Deolinda Alice dos Santos – A história de Minas Gerais, ao programa “Conheça os aspectos culturais das cidades mineiras, ela cita um festejo popular em Minas Novas com influência judaica, descrevendo os costumes e as histórias de cada região de Minas Gerais”. Assista o breve comentário da historiadora Deolinda Alice dos Santos a respeito de Minas Novas a partir do minuto 16:30:

https://www.youtube.com/watch?v=0fRucmnCSBA

Existe também em Minas Novas um dialeto somente utilizado naquela região com o nome de “Dicionário do Fanadês”, falado ainda hoje por alguns por alguns moradores. O dicionário foi  publicado há uns dez anos pelo Instituto Sociocultural Vale Mais, que cuida de preservar as tradições do Vale do Rio Jequitinhonha, na qual está inserida o Rio Fanado e as cidades de Minas Novas e Francisco Badaró.

 

Fonte: Museu da Inquisição – Belo Horizonte – MG

Compartilhe.

Sobre o Autor

2 Comentários

  1. Olá!
    Muito bom!!!

    Preciso de ajuda…

    Estou procurando filhas ou netos de Rozendo Francisco Pereira com Ana Antunes do Amaral.
    Meus avós paternos.

    Atenciosamente,

    Sandra Pereira

Deixe um comentário