Melhor remédio contra o Covid-19 é a prevenção. Prefeito assina decreto com restrições a grandes encontros e outras medidas  

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Com validade para 120 dias, prazo que pode ser prorrogado, o prefeito Ronaldo Magalhães baixou decreto, nessa segunda-feira (16), com medidas que terão de ser adotados em espaços públicos e privados como meio de impedir a propagação do coronavírus (Covid-19) em Itabira.

São medidas gerais como as que têm ocorrido em todo o mundo – e recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). O objetivo é enfrentar o vírus coletivamente, impedindo que se propague em pouco tempo e atinja grande contingente da população.

Se isso ocorrer, pode colocar em colapso o sistema municipal de saúde, acarretando mortes de pessoas mais idosas e suscetíveis à doença. Daí que a prevenção nos estágios iniciais da propagação continua sendo o melhor remédio.

Medidas

Com o decreto, fica estabelecido que Itabira enfrenta situação de emergência em saúde pública. Isso mesmo não se tendo, ainda, caso de paciente infectado pelo coronavírus no município.

O que se pretende é controlar a velocidade da propagação do vírus com medidas eficazes, já comprovadas em outros países. As determinações contidas no decreto passam a valer a partir desta terça-feira (17), com a publicação oficial do decreto municipal.

Entre as medidas está a suspensão de aulas das redes públicas e privadas a partir desta quarta-feira (18), devendo-se estender até 31 de março. Isso inclui também as universidades, pré-vestibulares, cursos profissionalizantes, instituições de ensino técnico, creches e congêneres.

Também fica proibida a realização de eventos com público superior a 100 pessoas. Outra proibição profilática contida no decreto está a proibição de visitas a pacientes internados em hospitais, assim como aos assistidos em asilos e outras instituições de acolhimento. Estão proibidas também visitas aos detentos no presídio.

Assim como já ocorre na mineradora Vale, o decreto recomenda à iniciativa privada que se adote o trabalho remoto (home-office) – uma prática que pode se tornar comum mesmo depois de passada a pandemia do coronavírus.

Ou ainda, que sejam adotados horários alternativos ou escala, para que se evite grande número de pessoas em um mesmo espaço de trabalho, deixando assim de se tornar campo fértil para a propagação do vírus.

O decreto repete, e isso não deve ser visto como exagero, medidas que são gerais e que devem ser adotadas de imediato, como manter os espaços públicos e privados, recreativos e comerciais sempre limpos e ventilados. E que se evite presença em locais com aglomeração de pessoas sempre que possível.

O clube Real Campestre, por exemplo, deve fechar pelos próximos dias, o que certamente irá se repetir em outros clubes recreativos e academias da cidade. Priva-se o associado momentaneamente do lazer, mas garante a sua saúde e de seus familiares.

Servidores

O decreto determina que os servidores municipais ao retornarem de viagem de locais com transmissão comunitária (que não se sabe a origem) devem permanecer em isolamento domiciliar por, no mínimo, sete dias.

Os servidores públicos da Secretaria Municipal de Saúde, que a partir da publicação deste decreto, apresentarem licenças médicas para afastamento do serviço, devem passar por perícia junto à Diretoria de Segurança e Medicina do Trabalho, da Secretaria Municipal de Administração (SMA).

Para assegurar a presença de profissionais de saúde para atender à pacientes infectados, é autorizada a suspensão de férias e férias prêmio dos servidores lotados na Secretaria Municipal de Saúde.

Com o decreto, fica dispensada de licitação a aquisição de bens, serviços e insumos de saúde destinados ao enfrentamento da emergência de saúde pública, de acordo com o que estabelece legislação federal.

E é instituído o Centro de Operações de Emergência em Saúde (COES-ITABIRA-COVID-19), coordenado pela Secretaria Municipal de Saúde. A sua função é planejar e executar as atividades necessárias para enfrentamento da emergência em saúde pública.

Cautela

O anúncio de que seriam adotadas essas medidas ocorreu nessa segunda-feira à tarde, com comunicado pela rede social pelo prefeito e pela secretária municipal de Saúde, Rosana Linhares (leia aqui).

O comunicado visou tranquilizar e preparar a população para as medidas adotadas para evitar a propagação do Convid-19 em massa e em pouco tempo.

Em Itabira ainda não se tem caso confirmado da doença. Mas isso, não demora, vai ocorrer. Com prevenção, que advém com os cuidados já recomendados pela OMS, os hospitais Nossa Senhora das Dores e Carlos Chagas, assim como toda rede primária de atendimento, terão condições e acomodações nas UTIs suficientes para o atendimento rápido,

Com isso, evitam-se grandes sofrimentos à população – e um rápido restabelecimento dos pacientes acometidos pela doença.

Sem as medidas preventivas, a propagação do vírus ocorreria em grande escala, o que levaria ao colapso o sistema municipal de saúde. E colocaria em risco a vida de pessoas mais suscetíveis à doença, como idosos, diabéticos, hipertensos, portadores de insuficiências renal e respiratória crônica.

Atendimento

O vírus Covid-19 provoca infecção e dificuldade respiratória, além de tosse e febre alta. Ao se apresentar com esse quadro, a recomendação da OMS é para que o paciente procure atendimento médico, que deve ocorrer primeiramente no posto de saúde de seu bairro ou região.

E só depois, se necessário, recorrer ao atendimento hospitalar. Para atender à população itabirana, profissionais de saúde já estão sendo treinados (leia aqui).

Com sintomas leves, que devem acometer 80% dos que serão infectados pelo coronavírus, o paciente não precisa procurar uma unidade de saúde. Basta o acolhimento e o tratamento domiciliar.

Mais prevenção

Medidas simples podem evitar a contaminação pelo vírus Covid-19. São, principalmente, os velhos hábitos de higiene, que precisam ser propagados e generalizados. Água e sabão bastam para uma boa higiene (leia quadro).

Mas também é recomendado utilizar álcool com volume 70% na assepsia, para desinfecção de mãos e superfícies. Além disso, deve-se evitar o contato das mãos com os olhos, boca e nariz.

Ao tossir ou espirrar, utilizar o antebraço para impedir a propagação do vírus e bactérias pelo ar, da mesma forma que deve ocorrer com o paciente acometido pela gripe.

Ao utilizar lenço descartável, disponha-o imediatamente na lixeira. E lave as mãos em seguida. É importante também, repita-se, evitar locais com grande número de pessoas e sem ventilação.

Com essas medidas, é grande a chance de não se contrair o vírus e desenvolver a doença. E também de contaminar outras pessoas, outro cuidado que todos devem ter.

Serviço

Para o monitoramento e acompanhamento dos casos, a Vigilância Epidemiológica atende pelos telefones 3839-2289 ou 3839-2608, de segunda-feira a sexta feira, das 8 às 18 horas

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário