Marcos Borges interpreta Drummond na Câmara Municipal

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Dentro da programação do projeto “30 Anos sem Drummond”, o violonista, cantor e compositor Marcos Borges se apresentou na sessão desta terça-feira (22/8), na Câmara Municipal, interpretando alguns poemas do poeta itabirano: Cidadezinha Qualquer, E agora José?, Canção Amiga, Lagoa e Memória.

Marcos Borges, na Câmara Municipal, interpreta alguns poemas de Drummond (foto: Carlos Cruz)

Segundo o músico, parte do repertório apresentado integra um projeto da banda Katumbi (Giovane e Binho Borges, Roberto Alexandre, Toni Almeida e Marcos Borges nas gravações e shows) de musicalização de poemas de Drummond, com exceção de E agora José? e Canção Amiga, que são cancões já consagradas por Paulo Diniz e Milton Nascimento, respectivamente.

“Alguns poemas de Drummond têm métrica, que mesmo não sendo no formato conservador, não são difíceis de musicar. Outros já apresentam maior dificuldade, para não dizer que são impossíveis.”

Marcos Borges, músico itabirano

O projeto “30 Anos sem Drummond” é uma iniciativa do vereador Paulo Soares (PRB), que vê na valorização da obra do poeta, com as referências à sua terra natal, como forte atrativo para se desenvolver o turismo em Itabira.

“O turismo cultural é uma alternativa viável desde que ocorra a revitalização dos Caminhos Drummondianos e dos demais espaços que fazem referência e reverenciam a sua obra e memória”, defende o vereador (leia mais aqui e aqui).

O vereador vê no projeto também uma oportunidade para os vereadores e o público presente no plenário da Câmara conhecerem um pouco mais da obra desse genial poeta brasileiro. “Eu mesmo só fui conhecer um pouco mais da obra de Drummond quando tinha mais de 30 anos”, confessa, sem esconder que agora é fã incondicional do poeta itabirano.

Compartilhe.

Sobre o Autor

2 Comentários

  1. Nosso querido, Marcos Borges. Grande músico itabirano. Além de músico, é designer, faz móveis…gente boa e do bem.
    Desculpem- me o comentário anterior. Era da matéria seguinte , o celular é novo e eu vivo dando mancadas com as novas tecnologias.

Deixe um comentário