Marco Antônio Lage diz que mantém equipe de enfrentamento à Covid-19, em ascensão em Itabira, e não descarta compra de vacinas

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Na coletiva de imprensa para o lançamento dos nomes que comporão o seu futuro secretariado, nessa quinta-feira (17), o prefeito eleito Marco Antônio Lage (PSB) informou que já tem equipe cuidando da transição na Secretaria Municipal de Saúde, principalmente para o enfrentamento à pandemia com o novo coronavírus (Sars-Cov2).

No entanto, dada a gravidade e o avanço acelerado da pandemia no município, “pelo menos em um primeiro momento”, Lage pretende manter a atual equipe que cuida do enfrentamento à pandemia – e que a partir de janeiro passa a ser liderada pela futura secretária de Saúde, Eliana Horta.

Marco Antônio disse que já está fazendo contatos para garantir a vacinação mais rápida possível em Itabira. Eliana Horta (no destaque desta foto) assume em janeiro a Secretaria Municipal de Saúde

“Temos uma situação muito séria a enfrentar e não podemos desmantelar a Secretaria em meio à crise epidêmica com a Covid-19”, adiantou o prefeito já diplomado, acentuando que Eliana Horta já está trabalhando com a atual secretária Rosana Linhares e equipe.

Itabira evoluiu, neste sábado (19) para onda amarela, mesmo não tendo cumprido os 15 dias necessários para a ascensão mesmo tendo número de casos positivos ascendentes. E mesmo na onda vermelha a cidade não cumpriu as restrições definidas pelo programa Minas Consciente, que também relaxou com as medidas restritivas para não prejudicar o comércio na véspera do Natal.

Marco Antônio espera começar o ano novo com a Secretaria  Municipal de Saúde bem estruturada para fazer frente ao aumento do número de casos confirmados no município e na região, à semelhança do que está ocorrendo em todo o país. O boletim epidemiológico dessa sexta-feira (18) registra 127 novos casos e um novo óbito, o pior resultado nos últimos dias.

Fonte: Boletim Covid-19 de Monitoramento Semanal (Secretaria Municipal de Saúde/PMI)

“Temos um número de leitos em Itabira adequados, mas há confusão quando anunciam uma baixa taxa de ocupação e em outra hora já falam em ocupação alta diante de nossa capacidade (de atendimento)”, criticou o prefeito eleito na coletiva de imprensa.

Mas, segundo ele, se é alta a capacidade de atendimento, faltam recursos humanos. “Temos um bom número de leitos disponíveis, mas é baixa a capacidade humana (para atendimento), sobretudo de equipes técnicas de enfermagem”, lamentou.

Dados relativos a pacientes SUS. Não estão incluídas as internações particulares e convênios

Mais médicos 

“Eu brinquei que temos de trazer (profissionais de saúde) nem que seja de Cuba”, disse Marco Antônio Lage na coletiva de imprensa. Faltou ao prefeito eleito enfatizar que os moradores da ilha dispõem de uma das melhores medicina do mundo, além de ser um dos países que melhor tem enfrentado a pandemia, inclusive desenvolvendo vacina própria para imunizar a sua população.

“Precisamos ter todos os recursos (humanos e materiais) para salvar vidas”, acrescentou Marco Antônio Lage. “É fato que no início do próximo ano (após as festas) teremos mais casos, já que a pandemia está acelerando. Temos leitos mas não temos gente (suficiente para cuidar das pessoas infectadas com quadro grave)”.

Disse também que, a exemplo do que pretende fazer o prefeito Alexandre Kalil (PSD), de Belo Horizonte, Itabira pode adquirir vacinas para imunizar a população assim que forem liberadas. “Estamos fazendo contatos para, já no início do ano, tomar decisão nesse sentido (de o município obter a vacina)”, disse o prefeito eleito e já diplomado pela Justiça Eleitoral.

 

 

 

 

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário