“Mais da metade dos estudantes que ingressaram na Unifei, neste ano, é de itabiranos”, diz diretor do campus de Itabira

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Em mais de onze anos de instalação da Universidade Federal de Itajubá (Unifei), em Itabira, em agosto de 2008, já é significativo o número de itabiranos matriculados em um dos oito cursos de engenharia instalados no campus do Distrito Industrial Maria Casemira Andrade Lage (1828/1929).

José Eugênio, diretor da Unifei, considera imprescindível a construção dos novos projetos para consolidar o projeto universitário (Fotos: Carlos Cruz)

Empresária itabirana, Maria Casemira foi dona da extinta fábrica de tecidos da Pedreira, que no século passado chegou a empregar mais de 150 tecelãs.

“Mais da metade dos estudantes ingressantes na Unifei, no campus de Itabira, já é de itabiranos”, disse o professor José Eugênio Lopes de Almeida, diretor do campus local.

O diretor da Unifei participou da solenidade de assinatura das três ordens de serviços para a construção dos novos prédios para a expansão do campus local, nessa terça-feira (23), no Parque Natural Municipal do Intelecto, no bairro Santo Antônio.

Os prédios foram projetados pelo arquiteto Gustavo Penna, que venceu o concurso para projetar o Memorial de Brumadinho, em homenagem às vítimas do rompimento da barragem da Vale naquela cidade.

“O investimento na ampliação do campus é fundamental para a consolidação da Unifei em Itabira”, afirmou o diretor, que espera o sinal verde do Ministério da Educação e Cultura para a abertura de novos cursos de engenharia, e também de medicina, para expandir o projeto universitário de Itabira.

Investimentos

Serviços de fundação superficial e profunda está a cargo da Construtora HRDomínio, do grupo MD Predial, vencedora da licitação de um dos três novos prédios

Os três contratos assinados somam R$ 115 milhões, sendo que R$ 100 milhões serão repassados pela mineradora Vale como mais uma contribuição à essa inédita parceria público-privada no país no ensino universitário. Antes, a mineradora havia investido R$ 42 milhões na aquisição de equipamentos dos laboratórios para os cursos de engenharia já existentes.

Os outros R$ 15 milhões serão alocados pela Prefeitura, investimento esse que se somam a R$ 3,4 milhões de recursos do Fundo Municipal de Desenvolvimento Econômico (Fundesi), que estão sendo empregados nas obras de fundação superficial e profunda dos novos prédios.

A execução desse serviço está a cargo da Construtora HRDomínio, do grupo MD Predial, vencedora da licitação de um dos três novos prédios. As outras vencedoras das licitações são a Construtora Guia e Conata Engenharia, ambas empresas de Belo Horizonte.

Nos atuais prédios do campus, a Prefeitura de Itabira já investiu R$ 90 milhões. Para concluir o projeto universitário da Unifei a projeção é de ser preciso alocar mais cerca de R$ 300 milhões, segundo cálculo do secretário municipal de Obras, Ronaldo Lott.

Novos cursos

Campus universitário da Unifei em Itabira foi projetado pelo arquiteto Gustavo Penna

De acordo com informação do vice-reitor da Unifei, professor Marcel Parentoni, por ocasião da assinatura de convênio com a Vale, em novembro do ano passado, a expectativa é ter em Itabira, em 2027, cerca de 6 mil universitários, alcançando 7 mil estudantes em 2030. O número de 10 mil alunos, que foi anunciado inicialmente, só deve ser alcançado no prazo de 15 anos.

Os novos cursos com pedidos de instalação junto ao Ministério da Educação são os de engenharia química, sistemas de informação, física, química, matemática e administração. E também o de medicina.

Atualmente, o campus de Itabira conta com um corpo docente formado por mais de 140 professores e cerca de 80 servidores técnicos e administrativos, com oito cursos de engenharia. Esse número de professores e servidores também deve ser ampliado proporcionalmente ao ingresso de novos universitários

Prazos

Ronaldo Magalhães, assim como seus antecessores, aposta no projeto universitário para diversificar a economia itabirana

A previsão é concluir a construção dos três novos prédios em dois anos.

Já com as ordens de serviços assinadas pelo prefeito Ronaldo Magalhães (PTB), que assegurou às empreiteiras o pagamento em dia, com os repasses que serão feitos pela Vale, a expectativa é gerar 400 empregos diretos.

A contratação de trabalhadores e mobilização do canteiro de obras deve ter início em julho.

Segundo Ronaldo Magalhães, a aposta para o desenvolvimento sustentável de Itabira permanece sendo a mesma que norteou a implantação do campus da Unifei há 11 anos: o ensino superior público de qualidade, juntamente com a implantação de um parque tecnológico, que já está atrasada.

“Essas obras não são apenas de Itabira, são da região e do Brasil”, disse o prefeito em tom ufanista, ao apostar neste projeto para impulsionar e diversificar a economia local, assim como fizeram os ex-prefeitos João Izael Querino Coelho (2005/12) e Damon Lázaro de Sena (2013/16), que construíram os dois primeiros prédios.

“Esqueceram-se de nós”

Na solenidade de assinatura das ordens de serviços para a construção dos três novos prédios do campus da Unifei em Itabira foi observada a ausência de vereadores.

Perguntado sobre o motivo de sua ausência, o líder do prefeito na Câmara, vereador Neidson de Freitas (MDB), foi econômico na resposta; “Não fui convidado.”

Da mesma forma respondeu o presidente da Câmara, vereador Heraldo Noronha (PTB). “Não nos enviaram convites. Eu só vou à casa de alguém sem ser convidado se for para ajudar. Fora isso, não entro onde não sou convidado”, disse o presidente do legislativo itabirano, que assegura não estar ressentido. “Deve ter sido por esquecimento”, relativiza.

Compartilhe.

Sobre o Autor

1 comentário

  1. Bela materia, mas deixo uma correção, são nove cursos atualmente.

    Eletrica
    Mobilidade
    computação
    controle e automação
    Saúde e Segurança
    mecanica
    materiais
    produção
    ambiental

Deixe um comentário