Luiz do Mosaico é candidato a deputado estadual e estremece as candidaturas de Mucida e Nozinho

0
Compartilhe.

Os candidatos Bernardo Mucida (PSB) e Raimundo “Nozinho” Nonato Barcelos (PDT), que disputam quem será o deputado estadual majoritário em Itabira, caso sejam eleitos, que se cuidem: Luiz Antônio Viana Zanon, blogueiro e jornalista itabirano, também disputa uma vaga na Assembleia Legislativa de Minas Gerais nas eleições de domingo (7), pelo Partido Pátria Livre (PPL).

Luiz do Mosaico, que é como Zanon ficou conhecido, editou por muitos anos em Itabira o combativo jornal O Mosaico, de 1996 a 2000 e depois de 2006 a 2010. Foi fundador do Cineclube Lima Barreto, um movimento de base que nas décadas de 1970/80 levava cinema aos bairros da cidade – e participava de mutirões de construção de casas populares pelas Caritas Diocesana.

Capa de uma das edições do jornal Mosaico. Na foto em destaque, Luiz Zanon, candidato a deputado estadual (Fotos: Divulgação)

Uma de suas reportagens de maior repercussão foi a do famoso “computador da Nasa”. Na reportagem ele acusou o ex-prefeito João Izael (2005 a 2012) de ter adquirido um computador superfaturado pela soma astronômica de R$ 223.792,10, com base em documento público que teria obtido.

Foi processado e condenado a pagar R$ 20 mil de indenização ao ex-prefeito. E também ficou proibido de publicar em seu jornal charges e fotos de João Izael. Ele recorreu da sentença e o processo ainda corre no TJMG.

“Sou o único jornalista a sofrer esse tipo de censura no país”, ele se considera. “O juiz deu sentença sem entrar no mérito da denúncia. Por isso recorri para exercer a exceção da verdade, que é a prova do que publiquei.”

A sua candidatura foi surpresa para muitos –  e só foi homologada no dia 20 de setembro. “Num primeiro momento, o TRE-MG disse que eu não teria sido filiado ao partido no prazo legal. Depois consegui provar que a minha filiação ocorreu seis meses antes da eleição”, conta o jornalista.

Bernardo Mucida, candidato a deputado estadual

Após o reconhecimento de sua filiação, Zanon teve ainda de provar que é alfabetizado, mesmo sendo jornalista. “A serventuária do TRE me ditou um texto declarando que não sou analfabeto. Todo esse atraso prejudicou a minha candidatura, que só agora, na véspera da eleição, pude divulgar”, lamenta.

Estaduais

Com a candidatura de Zanon, Itabira passa a ter pelo menos quatro candidatos a deputado estadual. Advogado e cientista político, Bernardo Mucida é um dos que têm mais condições de ser eleito, pelo recall acumulado. Foi vereador e candidato a prefeito nas eleições de 2016, quando obteve 27.375 votos.

Nozinho é candidato à reeleição

Quem também tem chance é o empresário Raimundo Nonato. Disputando a reeleição, o deputado Nozinho foi vereador e prefeito de São Gonçalo por dois mandatos. Natural da vizinha cidade, ele há muitos anos se estabeleceu em Itabira como empresário, onde estreitou amizades e alianças políticas.

Camila Sgarbi candidata-se a deputada estadual

Outra que disputa uma vaga na Assembleia Legislativa de Minas Gerais é a militante social Camila Sgarbi (Pros). Ela é atuante na área, principalmente na prevenção do consumo de drogas, como também em projetos de reinserção social de dependentes químicos.

Federais

Como sempre ocorre, são também muitos os candidatos a deputado federal. Rodrigo “Diguerê” (PRTB) é um dos que disputam uma vaga na Câmara dos Deputados, em Brasília.

Diguerê é candidato a deputado federal

Vereador, foi presidente da Câmara Municipal de Itabira e líder do ex-prefeito Damon Lázaro de Sena (PV), de quem foi também correligionário. Depois rompeu com o ex-prefeito, desligando-se do ex-partido.

Reinaldo Lacerda também é candidato

Outro vereador candidato é Reinaldo Lacerda (PHS), empresário da construção civil. Ele é secretário da Câmara Municipal de Itabira e foi secretário de Obras no início do governo Damon Lázaro.

O ex-vereador Toninho da Pedreira (PRTB) também disputa uma vaga na Câmara dos Deputados. Atualmente exerce cargo de confiança no governo de Ronaldo Magalhães (PTB), na Secretaria Municipal de Ação Social.

Toninho da Pedreira é também federal

E por fim, se é que não há outros candidatos, o ex-chefe de Gabinete Elias Lima (PMN), no governo de Damon Lázaro, é mais um candidato a deputado federal. Pastor evangélico, ele exerceu também a função de ouvidor municipal e diretor da Itaurb, na administração passada.

Candidatos de farinha

A maioria dessas candidaturas é de “farinha”. Ou seja, elas não são para valer. Parte se candidata para “cacicar” para as eleições municipais daqui a dois anos, seja candidatando-se a vereador ou mesmo para prefeito.

As candidaturas podem ser também uma forma de faturar um “trocado” do fundo partidário destinado à campanha eleitoral. São úteis para se compor o coeficiente eleitoral que fortalece a legenda.

Elias Lima é pastor e candidato a federal

Todos, claro, prometem que vão atuar em “prol” do desenvolvimento socioeconômico de Itabira.

O mais provável é que ninguém se eleja por Itabira, um colégio eleitoral terra de ninguém, onde mais de 200 candidatos em todas as eleições garimpam votos.

Faça pois a sua escolha. E que a democracia seja preservada, mesmo com as nuvens cinzentas que a ameaçam.

Sobre o Autor

Deixe um comentário