Justiça do Rio condena Investvale a ressarcir cotistas por prejuízos com fraudes

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Por decisão da juíza Maria Cristina de Brito Lima, da 2ª Vara Empresarial do Rio de Janeiro, o Clube de Investimentos dos Empregados da Vale (Investvale) foi condenado, em primeira instância, a ressarcir os seus cotistas pelos prejuízos que tiveram em decorrência de alterações fraudulentas em seu estatuto e por sonegar informações aos associados entre 2002 e 2003.

Paulo Soares, presidente do Metabase, anuncia vitória em ação contra o Investvale (Foto: Divulgação)

Segundo nota divulgada agora à noite pelo sindicato Metabase de Itabira, que moveu a ação em nome dos associados, o esquema criado pelos próprios administradores do clube, condenados penalmente pelos prejuízos ocasionados aos cotistas, consistia em omitir informações e incentivar a venda das cotas por valores reduzidos.

Com informações privilegiadas, os próprios dirigentes do clube adquiriam as ações por valores abaixo do mercado e as revendiam a preços astronômicos.

O Investvale é o clube de investimentos dos empregados da Vale, criado para gerir as ações por eles adquiridas após a privatização da mineradora. De acordo com o sindicato, os prejuízos foram da ordem R$ 40 milhões, em valores não corrigidos. A ação busca ressarcir os cotistas desse prejuízo com a fraude e pela falta de transparência contábil. “Não tenho dúvidas de que em breve teremos a garantia dessa vitória”, diz Paulo Soares, presidente do Metabase.

Na mesma decisão da juíza, a Fundação Vale do Rio Doce de Seguridade Social (Valia) passa a figurar como polo passivo da ação, tornando-se corré no processo movido pelo sindicato Metabase. “A Valia foi também condenada a ressarcir o valor da diferença aos cotistas, entre o que foi pago e o que ela deixou de ganhar em razão do prejuízo sofrido pelas manobras que os dirigentes do Investvale fizeram na época”, informa a advogada Rosilene Félix, coordenadora jurídica do Sindicato Metabase.

 

 

 

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

14 Comentários

  1. José Bárbara Bonifácio. on

    Tomara q isso não fique impuni,que nós trabalhadores podemos ter motivos para comemorarmos. Metabase de Itabira,parabens pela a luta em prol dos lesados.

  2. Pingback: Há um ano, Vila de Utopia circula nas “nuvens” de Itabira

  3. Maria Lucia de Paula Matos on

    Sou pensionista por morte,quero saber como anda o processo das ações meu esposo Oclesio jose metos CPF39545946768

      • “Todo ” mundo caladinho, peixe grande na área.. Fomos forçados a dar barato as ações; tinham informações previlegiadas e compraram de outros na surdina. O prédio da Credivale foi cedido em Itabira para lubridiar os cotistas.. “Todo” mundo calado. Pandemia tá matando. Lembra o SANGUE AZUL. Alguns usaram para pagar a própria sepultura. É é seu Chico Polvoa e larápios..

Deixe um comentário