Itabira também irá ocupar Brasília unida contra o retrocesso

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Marcelo Procopio*

No próximo 24 de maio (quarta-feira), quando a Câmara dos Deputados deve votar, em primeiro turno, a proposta da reforma ‘Temer’ da Previdência, trabalhadores, estudantes e os famosos eteceteras invadirão Brasília em protesto.

É o Ocupe BRasília. Assim mesmo: BR, uma analogia: todo o Brasil em Brasília.

Assim, centrais sindicais, entidades e instituições democráticas de todo o país participarão do que chamam de “grande marcha” contra essa reforma que retira direitos dos trabalhadores e os afoga num sem fim de retrocessos, que, no exemplo mais criticado, a aposentadoria só viria mesmo quase no limiar da vida de cada brasileiro.

E mais uma vez Itabira mostra que saiu mesmo do armário do conformismo. E vai à luta. Na greve geral de 10 de maio já esteve nas ruas de Itabira. Antes, professores estiveram em Belo Horizonte em protestos semelhantes.

Agora somam-se Metabase mais Asprev, OAB, Sintroita, Sindicato Comerciários, Diocese, Sintcom, Sintsepmi, Aposvale, SindUte, Interassociação de Bairros, Sindicato dos Vigilantes, entre outras (cadê os estudantes da Unifei e Funcesi?) e organizam manifestação na cidade. E lotarão um ônibus com destino à Brasília.

O presidente do Metabase, Paulo Soares de Souza, lembrou que Itabira tem grande representação na economia brasileira, “por ser berço de uma das maiores mineradoras do mundo”. Por isso, “os trabalhadores itabiranos precisam ser representados neste movimento, que será um dos maiores do país”.

Otimista, Paulo Soares afirmou:

Lideranças sociais de Itabira estão unidas contra as reformas neoliberais de Temer (Divulgação)

— “Nunca todas as centrais sindicais estiveram tão unidas assim, mesmo com todas as divergências de ideias, para levantar uma bandeira de luta dentro de uma linha de pensamento só, porque todos entendem que essas reformas são prejudiciais ao povo brasileiro. Deve ser a maior manifestação do país nos últimos 30 anos. Será uma manifestação forte, por isso é importante Itabira escrever seu nome nesta história”.

{Lutar contra o conteúdo das reformas – as já aprovadas: como a PEC do Fim do Mundo, que proíbe reajustar, por 20 anos, gastos com saúde, educação etc; e as ainda a serem – é uma síntese de lutar pela democracia ampla e irrestrita. E de não abrir mão de nem um direito sequer. Tanto os já adquiridos, como os que ainda precisam ser conquistados}.

*Marcelo Procopio é jornalista, editor de O Cometa

 

 

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

1 comentário

  1. Cristina Silveira on

    olá procópio tudo bem? quantos anos, bem antes do golpe das 6 camarilhas… te conto uma: no dia em que o lula da silva foi sequestrado a solidão tomou conta de mim e eu pensava em você, só pensava em você e não houve acordo com a minha cabeça pra te esquecer, só deu você até raiar o dia triste sequencialmente triste, curioso né!!!
    e pra brasília tu vai?
    agora na VU do carlos tá faltando as grandes jornalistas, como por exemplo a claudia fonseca, que é a melhor por toda vida do Cometa, chama ela…
    abraço pra ti cladiatetêjoãotrajano
    cristinica de cervantes

Deixe um comentário