Itabira apoia o fechamento do comércio e as medidas restritivas de isolamento social, constata pesquisa DataMG

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Pesquisa realizada pela internet via aplicativo, pelo Instituto DataMG, entre sexta-feira (27) e segunda-feira (30), constatou que a maioria da população aprova as medidas restritivas adotadas em todos os 853 municípios mineiros para conter o avanço do coronavírus (Covid-19).

O instituto entrevistou 1.007 participantes de oito cidades da região, com predominância em Itabira (67,2%). Foram ouvidos homens e mulheres com idade acima de 16 anos.

Em um universo de 977 entrevistados que responderam à questão relativa às medidas restritivas, 78,7% responderam que as aprovam. E 64,5% disseram que estão dispostos a ficar em casa pelo tempo necessário.

E, ainda, 57,1% se posicionaram contrários à abertura gradual do comércio, rechaçando assim a tentativa da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) de reabrir os estabelecimentos não essenciais na cidade.

Impopular

O resultado comprova também que não deram certas as incursões tresloucadas do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em áreas públicas e abertas, afrontando às recomendações da Organização Mundial da Saúde e determinações do próprio Ministério da Saúde.

Entre os entrevistados pelo DataMG, 71,8% desaprovam as atitudes do presidente Bolsonaro, contrárias às medidas restritivas. Contudo, as suas atitudes irresponsáveis ainda obtiveram o apoio de 44,4% dos entrevistados, contrariando o sentimento geral, manifestado na mesma pesquisa, de acerto das medidas restritivas.

Contrário às recomendações, e também desconsiderando a trágica experiência em outros países, o presidente propôs que fosse mantido apenas o isolamento vertical.

Por essa malsucedida forma de controle, apenas os idosos e as pessoas dos grupos de risco (hipertensos, asmáticos, diabéticos) permaneceriam em distanciamento social.

E para quem estivesse infectado, sem que evoluísse para uma situação mais grave, que permanecesse em isolamento domiciliar. Essa medida, parcialmente restritiva, não deu certo em países que a adotaram, que tiveram de voltar atrás dado o grande número de infectados e das mortes decorrentes.

Sem recursos suficientes

Para os entrevistados pelo DataMG, 46,2% acham que o isolamento deve ocorrer em tempo integral, enquanto 29,8% consideram ser necessário ficar por pouco tempo, mas com raras saídas de casa. E apenas 4,8% consideram o isolamento desnecessário.

Quanto ao aparelhamento dos serviços de saúde (hospitais, Pronto-Socorro, PSFs) para o enfrentamento do coronavírus, a maioria (34,2%) considera que estão bem preparados, 11,6% não souberam opinar, enquanto apenas 2,9% acreditam que estão preparados totalmente.

Confira a pesquisa completa aqui.

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário