Hulk estreia no Atlético que passeia no Estadual, enquanto se prepara para grandes disputas

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Luiz Linhares*

Enfim, mesmo que ainda de forma tímida, nesse domingo (7) foi lançado o Atlético da temporada 2021. Na partida contra o Uberlândia, entrou em campo a maior contratação da história do Galo em mais de 100 anos. O paraibano Hulk, que o Atlético repatriou, estreou no campeonato iniciando o ciclo de adaptação e entrosamento com os demais companheiros.

O time não estava com todos os titulares, a maioria só volta nesta semana, já que os que mais entraram em campo no Brasileiro tiveram uma semana de descanso. Mas o esboço do time para a temporada que se inicia, deve ser mesmo o que se viu em campo nesse domingo, só que com todos os titulares.

Com o novo treinador Cuca no comando, que chega também nesta semana, a dificuldade vai ser definir os titulares, tantas são as opções. Dificuldade, diga-se, que todo técnico gostaria de ter.

Mas voltando à estreia do Hulk, devo dizer que foi animadora, para guardar outros adjetivos mais para frente. Verdade que o adversário, com todo respeito, é bem fraco.

Uberlândia, polo comercial e agropecuário de uma importante região econômica, merece um time melhor, até para ver grandes disputas no portentoso estádio Parque do Sabiá, como palco de conquistas que o atual representante do Triângulo Mineiro não tem feito por merecer.

Perdeu de goleada para o Atlético que jogou como quis na casa do adversário. Hulk permaneceu em campo durante toda a partida, mesmo estando há três meses sem jogar. Esteve à vontade, desfilou em campo, com passes de qualidade – e até mesmo alguns lances mais ousados, facilitados pela inoperância adversária.

Chamou atenção o bom entrosamento do craque com Tardelli, trocando passes em profundidade, um indicativo dos momentos especiais que certamente serão produzidos em campo para o triunfo do Atlético.

Na partida de ontem ocorreu um lance até engraçado. Foi quando Hulk disputou uma bola com o meia do Uberlândia, com um embate de ombros. A força do atleticano acabou jogando o triangulino ao chão na disputa entre os dois, o que certamente faria a torcida vibrar se no estádio estivesse presente.

Mesmo com o time alternativo, o Atlético está sobrando neste início de Estadual, como era esperado. Afinal, o que se vê no estadual são times do interior sem grandes investimentos, mostrando fragilidades. Daí que Atlético e América estão com 100% de aproveitamento.

Ainda mais com a boa estreia do Hulk, o torcedor atleticano volta a acreditar em conquistas em todas as disputas que o time terá nesta temporada: estadual, Brasileiro, e as disputadíssimas copas Libertadores e do Brasil.

O Atlético ainda aguarda pela condição ideal para a estreia de Nacho Fernandes, assim como pelo retorno dos demais titulares com Cuca no comando. Com todos em campo, o atleticano certamente terá muitas conquistas para comemorar neste ano, que tem sido de muitas tristezas com essa pandemia que infelizmente está longe do fim.

América também triunfa no Mineiro, mas precisa de reforços para a série A do Brasileiro

O bom zagueiro Messias fez o primeiro gol do América contra o Pouso Alegre (Foto: Estevão Germano). No destaque, Hulk estreia no Atlético (Foto: Pedro Souza)

Outro time que está sobrando em campo neste Mineiro é o América nos embates com times do interior. Pensando na frente e na própria série principal do Brasileiro, a maior preocupação é não sofrer, mais uma vez, com o efeito bumerangue.

Se manter na divisão principal é o principal objetivo. Mas para isso o Coelho terá que reforçar a sua equipe. Isso até mesmo para pensar em algo mais que pode acontecer, como ocorreu na disputa da Copa do Brasil na temporada passada.

A temporada 2020 foi encerrada neste último domingo. O Palmeiras se tornou campeão da Copa do Brasil. Superou o Grêmio em Porto Alegre e por último em sua casa, com méritos, justiça para o grande campeão.

O time verde do treinador português Abel Ferreira sobrou nos dois jogos, ganhou com competência e tirou um pouco da marra do perdedor Renato Gaúcho.

Com obrigação de vencer, Cruzeiro derrota a URT e o torcedor volta a sorrir

Felipe Conceição gostou da evolução do Cruzeiro em campo na vitória contra a URT (Foto: Gustavo Aleixo)

O Cruzeiro foi a Sete Lagoas e venceu a URT, tendo ganho mando campo contra a URT na Justiça para a partida deixar de ser em Patos de Minas que, infelizmente, como ocorre em todo o país, vive surto de Covid-19.

Em decorrência, o STJ transferiu o jogo para a Arena do Jacaré. Independentemente do local da disputa, tinha o Cruzeiro o peso de ainda não ter vencido no Estadual nas duas primeiras rodadas, além de ter amargado uma derrota no Mineirão para a limitada equipe da Caldense, de Poços de Caldas.

Por fim, veio a vitória numa partida que teve um primeiro tempo bem burocrático, novamente com jogadores considerados importantes do elenco. Rafael Sóbis e William Potker nada renderam em campo e foram substituídos pelo técnico Felipe Conceição.

Com a entrada de Airton pela extrema do atacante Bruno José, que estreou e veio do Brasil de Pelotas, juntamente com entrada de Marcelo Moreno, o time do Cruzeiro melhorou, tornou-se mais envolvente e conquistando esta importante vitória.

Com o triunfo, o ambiente fica mais leve e diminui a dificuldade do grupo, que ganha confiança, ingrediente imprescindível como ferramenta ideal para continuar a nova reconstrução.

Já se observa melhora no rendimento do novo Cruzeiro, verdade que muito pobre ainda para se pensar em algo maior, como o retorno à série principal do Brasileiro. Há se convir que par isso ocorrer, é preciso reforçar ainda mais o time. Foi dada a largada, mas a torcida precisa ser paciente, além de o clube precisar de novos apoiadores.

Nesses caminhos, sorrisos e lágrimas vão caminhar paralelamente. Resta ao torcedor também acreditar no sorriso final.

*Luiz Linhares é diretor de Esportes da rádio Itabira-AM

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário