Guilherme Arana é convocado para a seleção Brasileira, enquanto o Atlético reassume a liderança isolada do Brasileiro

WhatsApp Pinterest LinkedIn +
Luiz Linhares*                   

Inicio esta esta crônica esportiva semanal com uma má notícia e outra boa. Com Alex Telles testando positivo para a covid-19, essa é a má notícia, o treinador Tite acabou convocando o lateral Guilherme Arana para a Seleção Brasileira que enfrentará o Uruguai pelas Eliminatórias da Copa do Mundo no Qatar.

Há quanto tempo não tínhamos um jogador atuando em time mineiro entre os selecionáveis? No passado, a convocação de jogadores atuando em Minas Gerais não era fato raro, mas comum: sempre tivemos atletas de ponta atuando em times mineiros sendo convocados para a seleção. Tomara que os ventos estejam nos levando de volta ao encontro dos melhores.

Com as eleições no domingo, tivemos uma semana com rodada no sábado, que foi marcada também por um surto de novos infectados pela pandemia que nos assola. O Santos tem com quase um time e seu treinador com a covid-19, outros tantos no Coritiba, além de um ou outro em outras tantas equipes na disputa.

Mas enfim, a semana e a rodada foram ótimas para o Atlético, que fez sua parte e venceu o Corinthians em São Paulo, mesmo tendo contra a arbitragem, que deixou de anotar uma penalidade máxima claríssima no início do jogo. A penalidade foi sofrida pelo chileno Vargas que estreava, e bem. Para a penalidade, quebrando o protocolo, não houve interpelação do VAR, o que acredito teria concluído que houve a penalidade máxima.

O Galo não teve uma partida brilhante contra o Corinthians. Venceu de virada um adversário de nome e que, com alguns desfalques, adversário relativamente fácil de se abater, como foi também contra o América, pela Copa do Brasil, que o aniquilou, eliminando-o da competição. E o Galo completou o trabalho pelo Brasileiro.

Mas o Atlético confirmou na partida uma postura mais competitiva, mas demonstrou ainda muita dificuldade de se entrosar ante as mudanças, em especial, com a entrada do argentino Zaracho pela meia e com a estreia do experiente chileno Vargas pela extrema ofensiva.

É bem verdade que falta ao argentino uma melhor adaptação. Ele sabe jogar e tem muita qualidade técnica. E, apesar de pouca idade, mostra maturidade e com certeza será importante no posicionamento para definição da jogada.

Quanto a Vargas, o jogador gera confiança, sabe se posicionar, aparece e cria ações de área. Ele se apresenta com uma dosagem certa entre talento, experiência e coletividade. Sabe bem exercer o papel de atacante e de servir aos companheiros.

Por fim, o Atlético ao derrotar o Corinthians em São Paulo, quebrando um tabu de muitos anos, beneficiou-se de tropeços na rodada de seus mais ferozes oponentes Flamengo e Internacional.

Foi assim que assumiu a liderança isolada, mesmo tendo um jogo a menos a ser disputado na semana, com previsão de uma nova gordurinha a ser adquirida para trabalho futuro.

No campeonato, hoje talvez nem seja o rubro negro ou o colorado as maiores preocupações e sim o São Paulo. O tricolor paulista, a trancos e barrancos, com turbulência e pressão quase diária, tem vencido com méritos, já com uma série de três jogos ainda por realizar. Se vencer, pode encostar e brigar pelo mesmo objetivo. Mas o tricolor ainda tem uma Copa do Brasil pelo caminho, o que pode ajudar.

Com melhor desempenho, Cruzeiro renova a esperança de retorno para a série A do Brasileiro

Rafael Sobis é o novo reforço do Cruzeiro, que volta a sonhar com o retorno à série A do Brasileiro (Foto: Gusrtavo Aleixo), No destaque, Guilherme Arana, do Galo, convocado para a seleção Brasileira (Foto: Bruno Cantini)

O time celeste teve um período de descanso e já no fim desta semana volta a maratona de jogos pelo Brasileirão da Série B, buscando se distanciar das últimas posições. E volta a sonhar com a possibilidade de ser um dos quatro promovidos ao fim da disputa.

O astral no Cruzeiro já é de mais confiança. Reforços vão chegando como o Rafael Sobis, já incorporado, devendo estrear contra o Figueirense. Outros atletas ainda virão, o que tornará o Cruzeiro mais competitivo e com faro para vencer.

Tem ainda 17 jogos pela frente, com a obrigação de vencer pelo menos 13. A missão é dura, mas não impossível. Isso pela crescente evolução, maturidade e uma boa dose de competência para definir o seu futuro.

América brilha na Copa do Brasil e joga em casa com o Internacional com a vantagem do empate para seguir em frente

Zé Ricardo é dúvida no América na partida de volta contra o Internacional pela Copa do Brasil (Foto; Estevão Germano)

Já o América tem uma semana importante. O Coelho tem jogado bem e feito estragos nesta Copa do Brasil. É inédita a sua presença nas quartas de final e já conta com vitória em Porto Alegre em cima do Internacional. Venceu com méritos.

Precisa agora de um simples empate para embolsar R$ 7 milhões e virar semifinalista. Manter o foco, a concentração e simplesmente fazer o que vem praticando, para seguir em frente.

O time está bem postado, armado, neutralizando o adversário e se aproveitando das brechas que os rivais deixam em campo. Tem a seu favor o mau momento do colorado, com troca de treinador e sem brilho no momento.

*Luiz Linhares é diretor de Esportes da rádio Itabira-Am.

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário