Governo brasileiro ataca a China e aposta no caos com o descontrole da pandemia que pode acarretar milhares de mortes

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

Rafael Jasovich*

No tempo de pandemia, com as pessoas morrendo aos borbotões ao redor do mundo, o Brasil já com mais de 400 mortos (só os contabilizados) vai na direção oposta ao resto do mundo.

Eduardo Bolsonaro, filho do Jair, que já havia atacado a China há alguns dias, quase causando um conflito diplomático, voltou a atacar o povo chinês chamando a Covid-19 de vírus chinês. Recebeu dura resposta do cônsul daquele país Li Yang:

“O povo chinês sempre abraça o povo brasileiro com sincera amizade, tratando o Brasil como nosso país irmão e parceiro. O respeito recíproco e a cooperação de ganhos mútuos de longo prazo entre os dois países trazem benefícios pragmáticos para os dois povos. Por dois anos consecutivos, dois terços do superávit do comércio exterior do Brasil vieram da China, o seu maior parceiro comercial! É por isso que tanto a geração do seu pai como a da sua idade estão todos se dedicando a promover a cooperação amigável sino-brasileira. Em resumo, os seus comportamentos remam contra a maré e não só colocam você no lugar adverso do povo chinês de 1,4 bilhão, mas também deixam a maioria absoluta dos brasileiros com vergonha, bem como criam transtornos ao seu pai, que é o presidente da República. É realmente uma prova de ignorância a respeito do tempo atual!

A China nunca quis e nem quer criar inimizades com nenhum país. No entanto, se algum país insistir em ser inimigo da China, nós seremos o seu inimigo mais qualificado!”

Charge do Aroeira. No destaque, Amarildo vê Eduardo e Weintraub botarem mais fogo na relação Brasil/China, na eterna busca do inimigo externo como meio de desviar atenção para o que realmente interessa

Como se não bastasse, o ridículo ministro da Educação Abraham Weintraub, usou o Twitter para zombar a prosódia chinesa ao falar o português e endossou preconceito contra o povo chinês.

A China é o maior produtor mundial de equipamentos de combate à Covid-19. Definitivamente, não é hora de brigar com eles, se estamos com carência de vários testes, máscaras e outros materiais produzidos por eles.

Equipamentos esses que já nos são muito necessários no momento e o serão mais ainda com a piora do quadro prevista por todos os especialistas, e pela experiência mundial.

Governados por um sociopata, e ajudado por dois jumentos (seus filhos, com o perdão dos quadrúpedes), o presidente condena à morte milhares de brasileiros.

Ou o STF cumpre seu papel histórico e afasta esse miliciano ou o desastre será total. O Brasil pede socorro.

*Rafael Jasovich é jornalista e advogado, membro da Anistia Internacional

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário