Flor do abismo

0
Compartilhe.

Marina Procópio de Oliveira*

 

Não foste a ponte,

foste o hiato.

O abismo que me sugou

entre dois nadas

e no qual agora me aconchego.

 

Entre tuas paredes

nascem flores, abismais;

imperiosamente tragada por

teus bálsamos embriagadores,

no abismo giro

e voo e vivo no céu.

*Marina Procópio é poeta e escritora itabirana. Reside em Belo Horizonte.

Ilustração: Silva Garcia Castro

 

 

 

Sobre o Autor

Deixe um comentário