Festa do museu e reunião do IEF, no início de abril, incrementam o turismo em Ipoema

WhatsApp Pinterest LinkedIn +

O início de abril será agitado em Ipoema, com reflexos positivos para a economia local. É que o Instituto Estadual de Florestas (IEF) promove na primeira semana, entre os dias 2 e 6, uma reunião de trabalho no Parque Estadual Mata do Limoeiro, com participação de 150 técnicos vindos de todo estado e também de dirigentes do órgão ambiental.

Ipoema terá início de mês movimentado com reunião de trabalho e aniversário do Museu do Tropeiro (Fotos: Valério Adélio e Carlos Cruz)

Reunião de técnicos do IEF no parque do Limoeiro (foto: Divulgação)

Para a reunião é aguardada as presenças também do secretário de Estado de Meio Ambiente, Germano Luiz Vieira, e do diretor-geral do IEF, Henri Collet. “É o segundo encontro de trabalho que promovemos no parque, que tem uma boa estrutura para receber as pessoas tanto para conhecer as suas trilhas, cachoeiras, grutas, como também para a realização de palestras e reuniões”, convida o gerente da unidade de conservação, Alex Amaral.

“A nossa sede já foi uma escola e tem muitas salas”, complementa o gerente, que observa o parque movimentando a economia da região com o turismo ecológico e também de trabalho. “Todas as pousadas de Ipoema, Senhora do Carmo e de Bom Jesus estão reservadas para a nossa reunião de trabalho.”

Tropeirismo

Vista aérea do parque do Limoeiro (Foto: André Sena/Divulgação)

Terminada a reunião dos técnicos do IEF, o movimento de pessoas no distrito prossegue no fim de semana com a festa do 15º aniversário do Museu do Tropeiro, que terá muitas atrações locais e duplas caipiras e sertanejas.

A festa já começa na sexta-feira (6), com comitivas de cavaleiras e cavaleiros saindo de Santa Bárbara, Senhora do Carmo, Itambé e Taquaraçu. “Com toda essa movimentação aqui em Ipoema, se eu queixo é de burro”, brinca o comerciante Valério Adélio com um trocadilho da região. Ele vê a cada ano o turismo crescer na capital mineira do tropeirismo.

A expectativa é de comparecimento de turistas vindos de todas as partes do estado e do país. “Só numa página que administro na rede social, mais de 600 pessoas já confirmaram presença e outras 1.400 disseram que tem interesse em comparecer”, conta, entusiasmado o comerciante ipoemense.

Atrativos

Situado na porção sul da Cordilheira do Espinhaço, a 90 quilômetros da capital mineira e a 42 quilômetros de Itabira, o distrito de Ipoema é considerado o portal de entrada da região do Mato Dentro.

Trata-se de um antigo entreposto comercial na rota da Estrada Real. Por meio da lei estadual 20.709, de 10 de junho de 2013, ostenta com orgulho o título de Capital Mineira do Tropeirismo.

Ipoema começou a despertar a sua vocação turística com a implantação do Museu do Tropeiro, em abril de 2003. Desde então, o distrito que até então vivia da pecuária extensiva, passa a vislumbrar no turismo um forte fator de desenvolvimento e diversificação de sua economia. É o que se confirma a cada dia – e a expectativa é de incremento cada vez maior com a duplicação da BR-381/262, que um dia, há esperança, ainda será concluída.

Cachoeira Alta (Macuco) é uma das mais visitadas da região

Além do turismo ecológico e cultural, o distrito itabirano atrai também romeiros para a Festa de Santa Cruz, que acontece no início de maio, com caminhada até o Morro Redondo – uma das muitas atrações próximas da cachoeira Alta (Macuco), com vista deslumbrante dessa região de montanhas de Minas Gerais.

No calendário cultural de Ipoema, o museu promove a tradicional Roda de Viola, evento mensal que acontece nos sábados de lua cheia. Além do ponteio da viola caipira, outras atrações que se apresentam são os Estaladores de Chicote e o coral das Lavadeiras, entre várias outras atividades culturais e folclóricas.

No parque são muitas trilhas e atrativos naturais

Também são atrativas as trilhas ecológicas tanto no Parque do Limoeiro, como nos arredores. O turismo de aventura já vem ocorrendo há anos na cachoeira Alta, com os adeptos do rapel – e também de trilhas.

Uma delas parte da localidade de Campo das Garças, na região do Morro Redondo – e segue até o povoado de Serra dos Alves, no distrito de Senhora do Carmo. Outra trilha bastante percorrida é a que liga Serra dos Alves ao povoado de Santana do Rio Preto, mais conhecido como Cabeça de Boi, no município de Itambé do Mato Dentro, passando pelo entorno da Mata Grande. Vale o passeio pela aventura, cachoeiras no meio do caminho e vista deslumbrante.

Serviço

Para saber mais sobre a festa de aniversário do Museu do Tropeiro acesse: https://www.facebook.com/events/1825735870793707/?ti=cl

 

Compartilhe.

Sobre o Autor

Deixe um comentário