Ex-mausoléu da Sizenando de Barros agora abriga o Centro Universitário Una-Itabira e já movimenta o centro da cidade

1
Compartilhe.

Se ainda estivesse vivo, o empresário Dilton Coelho certamente ficaria feliz com a nobre destinação que foi dada ao edifício que ele construiu, na rua Sizenando de Barros com a avenida Daniel de Grisolia, projetado para ser um shopping-center.

Dalma Barcelos, vice-prefeita: gratidão e esperança (Fotos: Carlos Cruz) . No destaque, o moderno Centro Universitário Una-Itabira (Foto: Eduardo Cruz)

Se Itabira continua sem ter esse espaço do consumismo, em compensação assiste a inauguração, nesta terça-feira (27), no mesmo prédio, de um moderno centro universitário da Una, do grupo Anima, uma das principais organizações universitárias do país, com mais de 115 mil alunos matriculados em Minas Gerais, Goiás, São Paulo, Santa Catarina, Bahia, Sergipe.

“Esse é um momento de expressar gratidão por ver esse prédio restaurado, que já mudou o panorama do centro de Itabira ao resolver um problema no coração da cidade. Que a chegada da Una seja um divisor de águas”, é o que espera Dalma Barcelos.

“Aqui era um local tido como mal-assombrado, diziam até que tinha uma cabeça de burro enterrada”, recordou a vice-prefeita. Abandonado há mais de 25 anos, sem que fosse concluído, esse mausoléu renasceu após ter sido adquirido pelo Banco Opportunity, que vislumbrou no local uma oportunidade de investimento.

Rogério Fernandes e a sua obra no centro universitário, em Itabira

Ao ser revitalizado, ganhou um moderno projeto que transformou o que seria um conjunto de lojas em salas de aula e laboratórios, espaços de aprendizagem.

O imóvel ocupa uma área de 8 mil metros quadrados, além de outros espaços equivalentes, distribuídos em oito andares e em dois subsolos.

Virou o mais novo cartão-postal da cidade, homenageando na fachada de uma de suas entradas o poeta Carlos Drummond de Andrade, com uma bonita e inspirada pintura do artista-plástico Rogério Fernandes.

Volta às aulas

Empresários, políticos e professores na inauguração do centro universitário da Una-Itabira

As aulas já tiveram início neste semestre no novo centro universitário de Itabira.  Na grade curricular já estão incluídos 13 cursos de graduação, entre eles de medicina veterinária, agronomia, fisioterapia, biomedicina, farmácia, engenharias elétrica, mecânica e civil.

Para breve, a direção da faculdade promete instalar os cursos de direito, odontologia, psicologia, além de pós-graduação nas áreas de educação, gestão estratégica de negócios e de estética, informa o diretor do campus local, Vinícius Costa.

Emocionada, a advogada Juliana França, representante dos condôminos, recordou a luta que foi para dar uma destinação nobre ao antigo mausoléu abandonado por tantos anos. “Este é um momento feliz. E o que mais me alegrou foi passar aqui na semana passada e ver os alunos chegando para o início das aulas. Deu um quentinho no coração.”

Sonhos

Débora Guerra: educação como fábrica de realizar sonhos

Segundo a empresária Débora Brettas Andrade Guerra, ex-vice-reitora da Una, e uma das principais articuladoras da vinda da universidade e das negociações com os condôminos do antigo mausoléu, a instalação do centro universitário foi precedida de uma pesquisa de mercado, que constatou a sua viabilidade econômica e educacional.

“Itabira aposta na possibilidade de transformar a sua realidade pela educação. Esta é também a proposta da Una”, frisou a empresária itabirana na inauguração do centro universitário da Una Itabira.

“Por mais que se tenha esse prédio lindo, o que estamos fazendo é a soma de nossos ideais, que se juntam com a Funcesi, a Unifei, o Pitágoras, com a educação básica, pública e privada, para transformar a realidade de Itabira por meio da educação”, enfatizou.

Rafael Ciccarini, reitor da Una: educação com espírito inovador

Ela lembrou que esse era sonho também de seu pai, o empresário Antônio Lisboa Guerra Neto (já falecido), que foi quem levou a sua família a investir no ramo de educação superior. Leia também aqui.

Alegria

Citando Carlos Drummond de Andrade, o reitor da Una, professor Rafael Ciccarini, lembrou que o poeta fala de uma tristeza que tanto o diverte, uma ambiguidade poética. E aproveitou para fazer uma analogia com a reforma do prédio.

Isso pelo fato de que o abandono do mausoléu já foi motivo de tristeza e desalento na cidade. E que agora passa a ser motivo de alegria pela sua revitalização – e pela destinação nobre ao se transformar em um moderno centro universitário.

“Hoje eu me permito falar em alegria”, disse ele, em seu discurso, ao mesmo tempo em que atuou como chefe de cerimonia. “Queremos mudar o nosso país com espírito inovador e contribuir para o desenvolvimento de Itabira.”

Essa contribuição ocorre ao democratizar o acesso à educação. “É quando não só os filhos do advogado, do médico ou do empresário, mas também os filhos do porteiro, da empregada doméstica têm acesso à educação, transformando seus sonhos em realidade”, salientou Débora Brettas.

 

Sobre o Autor

1 comentário

  1. Luciano Gonçalves em

    Fico feliz de ver este prédio revitalizado, há 18 anos organizei um grupo de lojistas e realizamos no mês de dezembro uma feira estandes neste local justamente para que seja revitalizado. Onde estava presente na época com a minha duas lojas a Mr.micro e a Lucs Eletrodomésticos. É uma pena que poucos ou ninguém se lembram disso.
    Parabéns né sucesso a UNA Itabira.

Deixe um comentário